A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

10/07/2013 13:51

Projeto que prevê merenda durante férias causa divergência entre vereadores

Jéssica Benitez

A votação do Projeto de Lei n° 7.393/13, de autoria do vereador Cazuza (PP), que dispõe sobre o fornecimento obrigatório de merenda escolar durante as férias, no âmbito da REME (Rede Pública Municipal de Ensino), causou divergência entre os vereadores durante sessão itinerante na manhã desta quarta-feira.

A discussão não girou em torno do texto em si, que inclusive foi provado por unanimidade, mas sim da capacidade de o Executivo conseguir tirá-lo do papel, após sanção do prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP). “A prefeitura não consegue abastecer as dispensas das escolas nem em época de aula, quem dirá nas férias”, avaliou o vereador Airton Saraiva (DEM) referindo-se às recorrentes denúncias de falta de merenda na REME.

“O que não pode ocorrer é criar expectativas na população para depois o Executivo não conseguir cumprir. A verdade é que os projetos aqui aprovados devem ser implantados para que não se tornem apenas uma fantasia”, desabafou o democrata. Diante das declarações, vereadores da base aliada logo se posicionaram em frente ao microfone para defender Bernal.

Paulo Pedra (PDT), por exemplo, afirmou que falta de merenda é normal em início de mandato e recordou-se de que na administração passada o “atraso” no fornecimento também ocorreu. O pedetista se disse feliz com a aprovação do projeto e pediu que os companheiros de Casa de Leis sejam otimistas.

O vereador relatou, ainda, sua visita à Escola Municipal Iracema Maria Vicente, onde esteve com o senador Cristovam Buarque (PDT), na última sexta-feira. “Lá os freezers estavam lotados de frango, até filé de peixe, vejam bem, filé de peixe, tinha”, exclamou.

Luiza Ribeiro (MD) aproveitou a onda de relatos e também defendeu o prefeito. Ela contou que na manhã de hoje esteve na Escola Municipal Arlene Marques, no Jardim Canguru, onde conversou com professores e com a diretora, todos disseram que não falta merenda no local. A mesma escola, porém, foi objeto no relatório feito pela Comissão Permanente de Educação e Desporto e aparece como uma das unidades que sofrem com a escassez de alimento.

“Isso me espanta porque estava tudo devidamente abastecido. A diretora, inclusive, me disse que estava descontente pelo nome dela ter aparecido no relatório. Por isso, peço que a Mesa Diretora nos dê acesso a esse relatório”, solicitou a parlamentar.

Eduardo Romero (PTdoB), integrante da comissão, rebateu as observações da colega. “As visitas foram feitas in loco e na data que estivermos na Iracema estava faltando merenda. Naquele momento não tinha alimento e o relatório está à disposição de quem quiser conferir”, finalizou.

Relatório indica falta de alimentos e uso de sobras na merenda na Reme
Um relatório da Comissão Permanente de Educação e Desporto da Câmara Municipal de Campo Grande, presidida pela vereadora Carla Stephanini (PMDB), foi...
Secretária diz que na próxima semana entrega ao MPE relatório sobre merenda
A secretária de Assistência Social de Campo Grande, Thaís Helena, disse que vai entregar na próxima semana ao MPE (Ministério Público Estadual), um r...


Pergunto? Alguma dessas pessoas que estão dizendo que não falta comida no ceinf faz parte de um deles??? So quem vive a realidade do ceinf pode dizer se falta ou não comida la.. hoje não esta faltando, mas desde o inicio do ano letivo a comida era basicamente arroz feijão e carne. Melhorou um pouco, mas frutas ainda não tem e criança em fase de crescimento, em desenvolvimento físico e intelectual necessita de frutas, verduras, legumes.... e outra coisa perguntar para diretora e alguns funcionários que são contratados é obvio que vão dizer que ta tudo bem....que não falta nada!!
 
Amelia furquim em 10/07/2013 18:31:12
Que ABSURDO. O dinheiro do ministerio de educação tem que ser usado para Educação (escolas, salarios de professores, material didatico, etc.), e não para fazer algo que em qualquer pais no mundo é o dever dos pais: alimentar os filhos. Enquanto o MEC (pois é do Fundeb que vem os recursos da Prefeitura para isso) gasta o dinheiro com comida em vez de gasta-lo em educação, a educação neste pais continua de segunda. Ou sera que é mais adequado batizar o MEC agora de "Ministerio de Alimentação Juvenil"?
Pode ser que os vereadores tem intenções muitas boas, mas não é assim que se melhora a educação no pais. Na verdade, deveria se economizar o dinheiro hoje ja gasto com alimentos, para conseguir aumentar a carga horario nas escolas, fazendo todas funcionar em periodo integral.
 
Marcos da Silva em 10/07/2013 16:16:12
Estão bravos só porque ficarão sem lanchinho.
 
Meire pereira de Souza em 10/07/2013 14:33:54
O Saraivinha continua firme em defesa de fabricante de lixo alimentar nas cantinas municipais.
 
JOSÉ NASCIMENTO em 10/07/2013 14:04:47
Engraçado, todas as mães que eu pergunto, e tem filhos em CEINFS, são unanimes em dizer que não falta alimento!!!!!!!!! uma inclusive disse que foi falar com a diretora para saber se precisava de algo e a mesma relatou que não precisa porque tem o suficiente para alimentar as crianças e ainda mostrou para ela a dispensa.
 
Mara de Oliveira em 10/07/2013 14:04:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions