A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

15/12/2011 14:28

Projeto aprovado hoje vai garantir promoção a cabos com 23 e 26 anos de trabalho

Wendell Reis
Projeto foi aprovado sob o olhar atento de representantes dos policiais(Foto:Giuliano Lopes/Divulgação/ALMS)Projeto foi aprovado sob o olhar atento de representantes dos policiais(Foto:Giuliano Lopes/Divulgação/ALMS)

O projeto de autoria do Executivo, que garante aposentadoria dos cabos com 26 e 23 anos de serviços prestados, pode garantir a promoção mais rápida de soldados da Polícia Militar. A expectativa é de que a promoção dos cabos libere vagas para a ascensão dos soldados.

A última sessão da Assembleia Legislativa era para ser marcada por votação de projetos polêmicos, mas acabou sendo abafada pela retirada, a exemplo, da votação de dois vetos do Executivo. O primeiro, de autoria do deputado Paulo Duarte, obriga o Governo do Estado a estimar no orçamento o quanto de recurso será destinado a recuperação de dependentes químicos. Outro projeto, de autoria do deputado Pedro Kemp, prevê seis dias alternados para cobrança da tarifa de água, com intervalo de três dias entre as datas.

Os vetos ficaram para o ano seguinte porque o líder do Governo, Junior Mochi (PMDB), ainda tenta um acordo com o Governo do Estado para derrubar o veto. Resolvido o problema com os vetos, faltou apenas o projeto que prevê a promoção para os cabos da Polícia Militar com mais de 26 anos de serviço, acertado com o Governo do Estado na segunda-feira (12), em reunião entre o governador André Puccinelli e representantes da ACS (Associação de Cabos e soldados) da Polícia Militar e Bombeiro Militar.

O deputado Cabo Almi (PT) apresentou três emendas de sua autoria que alterava o projeto enviado pelo Poder Executivo. Uma delas garantia que os cabos fossem promovidos a sargentos com 23 anos de trabalho, diferente do projeto do Executivo, que garante promoção para mulheres com 23 anos de serviços prestados e homem com 26 anos. O deputado queria igualar o tempo de serviço com a alegação de que ambos se formaram junto e a mulher vai acabar passando na frente do homem.

As emendas que pararam a votação na Assembleia ontem não causaram o impacto previsto, tendo em vista que antes da votação, acompanhada por policiais e pelo coronel da Polícia Militar, Carlos Alberto Davi dos Santos, o deputado retirou as emendas, sob aplausos dos presentes.

Questionado sobre os aplausos, o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia e dos Bombeiros, Edmar Soares da Silva, explicou que as emendas apresentadas por Almi já tinham sido discutidas com o Governo do Estado, em uma negociação que se iniciou há quatro meses.

Edmar acredita que as emendas poderiam inviabilizar a votação do projeto e o acordo feito com o Governo do Estado. Segundo Edmar, a aprovação do projeto vai diminuir a fila de espera para promoção a terceiro sargento e, consequentemente,ajudar os soldados que desejam a promoção para cabo.

O presidente da associação conta que a promoção com 26 anos de trabalho ajuda os servidores, que em sua maioria não conseguem passar no teste de aptidão física. Ele cita como exemplo o caso de um policial de Ponta Porã, que depois de 27 anos de trabalho não conseguiu passar no teste de aptidão e entrou em depressão. O cabo tentou uma liminar no Tribunal de Justiça, mas perdeu a ação. “Ontem renovou a esperança da família”.

Edmar também relata que a promoção dos cabos vai contribuir para a ascensão dos soldados, que, possivelmente, serão promovidos conforme manda a legislação, com oito anos de trabalho. Segundo ele, antigamente os soldados eram promovidos com 22 anos de serviço. Agora, o atual comandante reduziu este tempo para 13 anos.



Estou aguardando a minha promoção ja a cinco anos, sem contar com os inumeros prejuizos que temos aqui. Todos tem que ter o mesmo valor. Só valorizando a classe policial, vamos ter uma segurança de verdade. Temos que parar de ajudar o estado, porque o estado não nos ajuda. Chega de mandarmos arrumar as viaturas, lavar, ou mesmo fazer concerto de pneus, pense nisso. obrigado. pec 300 já............
 
Charles Rocha em 10/05/2012 04:34:03
Só promoção não basta, precisamos de reposição da inflação real.
 
valter oliveira em 16/12/2011 09:50:50
cade a pec 300?
 
junior celso em 16/12/2011 09:22:00
Não sei não! Policial sem preparo físico... Será que terá condições física para pegar no batente e de nos proteger?
 
tenorio lima e silva em 15/12/2011 10:13:00
chega de cabide de emprego é hora de mudança já isto é mais um conto, é hora de valorização profissional, a solução é carreira unica,,chega de promoção só para a elite,,os praças que ralam tem sempre que mendigar sua promoção,,acaba com tudo isso e faz como o distrito federal ascenção funcional,,ou seja, sobe quem tem capacidade atraves de cursos, superiores, especializações etc,,,
 
wandelcy romão em 15/12/2011 08:43:46
Somente com estudos podemos lutar contra esse sistema que muitas vezes massacram os militares estaduais. Pois se esses cabos com 26 anos tivessem mais estudos garanto que nao ficariam tanto tempo nesse cargo, seriam promovido antes ou teriam saido da pm
 
roberto carlos em 15/12/2011 08:26:40
Quem fala em acabar com a seleção interna, nao sabe o que esta falando. Os "novinhos" nunca terão chance de crescer na carreira e com o nível de estudo desses novos PM's logo sairam da corporação. Até mesmo para chegar ao cargo de oficial deveria ser por seleção interna. Sem seleção interna é fazer com que a tropa fique sem estudar, e sem estudos estamos aos demandos de quem o poder.
 
roberto carlos em 15/12/2011 08:23:48
MEU MARIDO É SOLDADO DE 1998 TEM MAIS DE 13 ANOS E NENHUMA ESPERANÇA PARA FAZER O CURSO E PIOROU SER PROMOVIDO A CABO, AMA A PMMS MAS ULTIMAMENTE ESTÁ DESANIMADO E DESMOTIVADO E DEPRESSIVO ABALA TODA A FAMÍLIA EU E NOSSOS 3 FILHOS PASSAMOS MUITAS NECESSIDADES, PARA AJUDAR NO SUSTENTO VENDO PRODUTOS ARTESANAIS E COSMÉTICOS, HJ ELE VIVE A BASE DE ANTIDEPRESSIVOS E NÓS NA ESPERANÇA QUE ELE VIRE CABO.
 
Valéria Vila Mennott em 15/12/2011 08:20:02
Continuo achando que a conquista é boa, mas ainda pouca. Novas regras devem ser pensadas para a ascensão funcional das praças. O concurso interno inclusive para a promoção á cabo deve ser extinto. A categoria das praças, em especial os cabos e soldados "ralam, e ralam muito", mas é pouco valorizada. Fernando - SGT PM
 
Fernando Silva em 15/12/2011 05:11:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions