A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

08/09/2014 16:37

Projeto transforma Quinta Gospel em cultural e abre para outras religiões

Kleber Clajus
Alternativa apresentada por Eduardo Romero pretende contemplar todas as religiões (Foto: Arquivo / Campo Grande News)Alternativa apresentada por Eduardo Romero pretende contemplar todas as religiões (Foto: Arquivo / Campo Grande News)

Após polêmicas, a Câmara Municipal de Campo Grande já analisa um projeto de conversão da Quinta Gospel em evento cultural. O objetivo é reverter inconstitucionalidade da lei que tem garantida realização de apresentações religiosas na Praça do Rádio Clube.

Proponente da alteração, Eduardo Romero (PT do B) esclarece que os evangélicos, atuais beneficiados pela Lei Municipal 5.092/12, não terão mais “exclusividade do espaço”. Em contrapartida, o segmento ainda poderá se utilizar das quintas anteriores a noite da Seresta, mas na condição de “manifestação cultural”.

“A lei atual é inconstitucional, onde o Estado financia atividades específicas para esse segmento. Estamos trocando o gospel por cultural, para poder atender todas as religiões. É uma forma de aplicar o recurso como manifestações culturais, que porventura possam beneficiar a religiosidade sem investir na religião”, comentou Romero.

'Guerra Santa' – O vereador abriu as discussões, no mês passado, após apresentar negativa da Fundac (Fundação Municipal de Cultura) para apresentação da cantora Rita Ribeiro, artista espírita que tem como principal projeto o 'Tecnomacumba'.

Em seu parecer, a diretora-presidente Juliana Zorzo citou que o termo gospel se traduz como Evangelho e, dessa forma, o evento se destinaria ao “público evangélico cristão”.

Contudo, a própria redação da lei, com apenas quatro parágrafos e instituída em agosto de 2012, não estabelece que tipo de apresentações podem ou não utilizar o espaço, pois se limita a dizer que “deverá ser realizado com artistas nacionais e regionais”.

Dessa forma, Eduardo Romero questionou a inconstitucionalidade da lei ao que classificou “beneficiar apenas um segmento com uso do dinheiro público”. O questionamento foi confirmado pelo MPE (Ministério Público Estadual), que cobra a anulação da lei e até sugere a criação da “Quinta Cultural” para assegurar apresentações “de natureza distinta”.




deixa este vereador satisfazer o ego dele e vamos continuar nossa quinta goooossssspeeeel em diversos centros de atividades de nosso município, como parque Ayrton Senna, parque indígena, parque das moreninhas, Elias Gadia entre outros. Agora só falta este Eduardo romero querer pegar carona eleitoral também nessa ideia.!!!! Vereador! Procure apresentar projetos que melhore de imediato nosso município, como a saúde por exemplo, transporte publico e segurança.
 
EDINALDO VIANA em 09/09/2014 08:46:16
Só tem preconceituoso nessa prefeitura, vão mudar o nome mas vão continuar beneficiando os evangélicos.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 09/09/2014 08:16:28
Como são as coisas não.... Tem tantos dias na semana para se colocar evento de outras religiões e persistem em colocar no dia da Quinta Gospel....
Esse povo não tem o que fazer mesmo... É o fim dos tempos mesmo, cadê o respeito com as coisas de Deus???
 
Jaqueline Rodrigues em 09/09/2014 08:13:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions