A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

25/09/2019 18:27

PSL ataca David e diz que deputado comete crime ao acusar "sem provas"

Parlamentar diz ter sido vítima de difamação e invasão de celular e sugeriu que colegas de partido podem estar envolvidos

Marta Ferreira
Afirmação de David na Assembleia nesta manhã provocou reação do partido em Campo Grande. (Foto: Leonardo Rocha)Afirmação de David na Assembleia nesta manhã provocou reação do partido em Campo Grande. (Foto: Leonardo Rocha)

Em nota de repúdio enviada à imprensa, o PSL de Campo Grande acusa o deputado estadual Carlos Albert David de cometer crime ao sugerir que integrantes do próprio partido estão envolvidos com a produção de um vídeo que viralizou em grupos de WhattsApp, no qual um rapaz identificado como Bruno Gomides pede providências da legenda contra o parlamentar, por ter apoiado a concessão de comenda da Assembleia Legislativa para o ex-senador Delcídio do Amaral. David procurou as polícias Civil e Federal denunciando, além do crime de difamação, o de invasão de seu aparelho de celular.

Na tribuna da Assembleia o deputado afirmou que informações recebidas indicam que o vídeo foi produzido a partir de ordens do partido em Campo Grande. Também citou, a partir do que chegou a ele, a ligação das pessoas envolvidas com a senadora Soraya Thronicke. “Raquear (sic) celulares é crime, assim como acusar sem provas, como foi feito pelo deputado Coronel Davi na sessão desta terça-feira(25) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul”, rebateu o partido em sua nota.

De acordo com o texto, “o Partido Social Liberal de Campo Grande repudia qualquer invasão de celular como já se posicionou quando o Intercept Brasil 'conseguiu’ as mensagem trocadas pelos procuradores da Lava-Jato. O PSL sempre prezou pela lisura e pelo combate à velha política que usa desse tipo de tática para denegrir. O nosso partido está a disposição para ajudar a investigar casos de fake news.”

Em sua manifestação, a legenda afirma não ter conhecimento da denúncia de David sobre invasão de seu celular e que repudia a “acusação do parlamentar que não tem provas de tal acusação”.
Por fim, o partido critica o voto de seu integrante favorável à concessão da comenda do Mérito Legislativo a Delcídio, proposto pelo parlamentar Neno Razuk, do PTB, legenda na qual o ex-petista agora está. “O PSL não apoia a votação de moções, comendas ou congratulações e homenagens a personalidades ou ex-integrantes do Partido dos Trabalhadores.”

Em alusão ao vídeo gravado por Bruno Gomides, a alegação do PSL é de que “o Partido não se responsabiliza e não tem a gerência sobre a opinião de pessoas simpatizantes com a causa, a Direita e com o presidente Jair Bolsonaro.”

Mudança de tom - A nota do PSL foi divulgada horas depois de fala do presidente municipal da legenda, o deputado estadual Renan Contar, em que ele foi menos crítico ao colega e chegou a dizer que está "ao lado" de David para acompanhar a apuração.

A senadora Soraya Thronicke, presidente da legenda no Estado, ainda não se manifestou a respeito.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions