A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

03/05/2012 11:38

Puccinelli e sindicatos fazem "Dia D" da negociação de reajuste salarial

Aline dos Santos, Fabiano Arruda e Wendell Reis

Ao menos 12 representantes de sindicatos já passaram pela mesa de negociação na Governadoria.

Segundo Rudney, reajuste linear será de 6%. (Foto: Pedro Peralta)Segundo Rudney, reajuste linear será de 6%. (Foto: Pedro Peralta)

Os sindicatos e o governador André Puccinelli (PMDB) vivem nesta quinta-feira o “Dia D” do reajuste salarial. As reuniões começaram pela manhã e devem adentrar à tarde. Ao menos 12 representantes de sindicatos já passaram pela mesa de negociação na Governadoria.

Presidente da Fersep (Federação dos Servidores Públicos Municipais e Estaduais de Mato Grosso do Sul), Rudney Vera de Carvalho afirma que o governador concedeu reajuste de 6% para todas as categorias do funcionalismo público estadual. O valor é próximo ao da inflação acumulada nos últimos 12 meses, que chega a 5,2%.

Segundo ele, o maior avanço foi na remuneração para os administrativos, que somam 15 mil servidores. A tabela de remuneração começa em R$ 502 para servidores com ensino fundamental completo ou incompleto. “Agora, conseguimos que a tabela comece em R$ 622, valor do salário mínimo”, afirma.

Conforme o presidente da federação, Puccinelli se comprometeu a fazer uma nova rodada de reuniões no dia 17 de agosto. Desta vez, para discutir o plano de cargos e carreira de todas as categorias.

Presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar declarou, ao entrar para reunião com o governador, que os administrativos da Educação querem reajuste de 17%. A categoria representa 7.500 servidores. Caso não tenha acordo, será realizada assembleia-geral no dia 9. O reajuste dos professores já foi definido no começo do ano.

Enquanto as reuniões acontecem a portas fechadas, impera a tranquilidade e pouco movimento na Governadoria. Puccinelli vai enviar até amanhã os projetos de reajuste para a Assembleia Legislativa.

De acordo com o líder do Governo na Casa de Leis, deputado estadual Júnior Mochi (PMDB), os projetos devem começar a tramitar na próxima terça-feira. “O governador começou as negociações pela Educação e Polícia, que são as maiores categorias”, afirma.



O presidente da federação está certo em falar que o mínimo é de R$ 502,72 funcionário na letra "A" e nível 3. Agora não vejo avanço uma vez que é inconstitucional qualquer cidadão no brasil ganhar menos que o mínimo. O governo somente está organizando a sua pauta salarial com os servidores. Para não correr o risco de ser penalizado pelo MP. Isso não é aumento salarial, mas reposição salarial!!!
 
JOSÉ MARCELINO MELLO DOS REIS em 04/05/2012 02:11:46
É BRINCADEIRA ESTE RUDNEY VERA FALAR QUE O MAIOR AVANÇO FOI PARA OS ADMINISTRATIVOS. ELE NEM SABE O MENOR VALOR DA TABELA. PARA MELHOR INFORMAR O MENOR VALOR DA TABELA DO ENSINO FUNDAMENTAL INCOMPLETO É DE 567,10 E SE 6% É AVANÇO SÓ SE FOR PARA ELE. POIS ESTA FERSEP NEM FAZ ASSEMBLEIA COM OS ADMINISTRATIVOS PARA DISCUTIR SE O PESSOAL ACEITA OU NÃO. ESTE SENHOR NÃO TEM COMPROMISSO COM A CATEGORIA.
 
Wilds Ovando em 03/05/2012 05:30:51
Estou a mais de 6 anos no governo e desde aquela época escuto falar que vai sair um novo pcc, que vão negociar, e até agora nada. E prometeram pra esse ano, mas nada de novo. E em agosto vão protelar pra 2013, e por fim fica pro próximo governador. Decepção é pouco pra descrever o que sente os servidores do estado.
 
Josiel M. Silva em 03/05/2012 05:09:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions