ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 12º

Política

Redução de impostos foi proposta por candidatos no 2º bloco

Candidatos ao governo responderam perguntas de entidades de MS na segunda etapa

Jhefferson Gamarra | 06/09/2022 20:22
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Os 8 candidatos a governador de Mato Grosso do Sul se enfrentam em debate nesta noite. (Foto: Alex Machado)
Os 8 candidatos a governador de Mato Grosso do Sul se enfrentam em debate nesta noite. (Foto: Alex Machado)

Os 8 candidatos a governador de Mato Grosso do Sul se enfrentam, nesta terça-feira (6), no primeiro debate promovido no Estado pelo site Primeira Página e rádio Morena FM. Durante o segundo bloco da transmissão feita ao vivo pela internet, os candidatos responderam perguntas elaboradas por entidades representativas.

Entre os questionamentos, foram levantadas questões fiscais, desenvolvimento sustentável, segurança pública, enfrentamento a violência e saúde.

Abrindo a rodada, o candidato Eduardo Riedel (PSDB) foi questionado pela Aprosoja-MS (Associação de Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul)( sobre os desafios do desenvolvimento do setor de agronegócio de forma sustentável. Acostumado com as demandas do setor, o tucano, que é ex-presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), disse que quer dar sequência no que já vem sendo construído para a redução de carbono.

“Sem dúvida nenhuma que MS sai na vanguarda, tem três biomas preservados em sua maioria, principalmente o pantanal, somos uma potência agroambiental, preservando, protocolado que é Carbono Zero em 2030, principalmente pelo desenvolvimento da atividade agropecuária", salientou.

No tema de segurança pública, o candidato do PCO, Magno Souza, defendeu o fim da Polícia Militar para frear os ataques sofridos por indígenas em regiões do Estado. “A gente espera uma segurança, uma defesa, uma proteção qualificada e agradável ao ser humano. Na minha candidatura nós colocamos uma proposta ao fim do PM, porque ele não trata bem o indígena, e não trata bem o sem-terra, estou aqui para denunciar", disse o candidato.

Ainda na questão de segurança, Marquinhos Trad (PSD) defendeu o aumento do efetivo e remuneração dos servidores. “Mato Grosso do Sul deveria ter 9.616 homens para fazer a nossa segurança, tem menos de 5,3 mil”, disse o candidato. “Nós estamos buscando cada vez mais pessoas preparadas e planejadas para entregar a vocês uma segurança de excelência, como nós fizemos em Campo Grande, o plano de cargos e carreiras da guarda civil municipal, elevamos o salários”, concluiu.

A violência contra a mulher foi tema da pergunta endereçada ao candidato Capitão Contar (PRTB). Na avaliação do candidato, Mato Grosso do Sul precisa investir em espaços adequados para receber as vitimas e aliar a tecnologia na prevenção da violência. “Precisamos ampliar os serviços de saúde dedicados à mulher, e criança também, a exemplo do que a Polícia Civil já faz, com relação às salas lilás, especializadas para atendimento à mulher. Que ela se sinta mais acolhida e tenha condição de fazer sua denúncia e sua queixa” sugeriu Contar.

Rose Modesto (União Brasil) e Giselle Marques (PT) falaram em redução da carga tributária. (Foto: Alex Machado)
Rose Modesto (União Brasil) e Giselle Marques (PT) falaram em redução da carga tributária. (Foto: Alex Machado)

Impostos - A questão fiscal e promessa de zerar o ICMS foi levantada no segundo bloco. A candidata do PT, Giselle Marques sugeriu acabar com o imposto na conta de energia elétrica. “Como governadora de MS, vou zerar o ICMS sobre a energia elétrica. Já fiz estudos que demonstram quem o impacto será de 10% sobre o orçamento. Ocorre que o estado encerrou 2021 com superávit de 1 bilhão 952 milhões, como nosso orçamento é de 18 milhões, temos recursos para zerar”, avaliou.

Na mesma linha da petista, a candidata Rose Modesto (UB), sugeriu a redução do ICMS em diversas áreas, inclusive no ITBI para registro de imóveis. “Não é em relação só ao imposto dos imóveis. Mato Grosso do Sul tem uma das cargas de impostos mais altas do Brasil”, disse a deputada. “ Não tenha dúvidas de como governadora, com a responsabilidade de cuidar das contas públicas, quando reduz imposto consegue gerar mais emprego, consegue comer melhor, consegue renda e, quanto mais consome, mais o estado consegue arrecadar", pontuou.

Em resposta as medidas de redução de impostos, o candidato Eduardo Riedel (PSDB), classificou as propostas das candidatas como promessas de campanha, apenas. “Em época de campanha todo mundo abaixa os impostos e faz de tudo de melhor”, alfinetou o tucano.

Adonis Marcos (PSOL) e André Puccinelli (MDB) responderam questionamentos ligados a saúde. O ex-governador defendeu a regionalização da saúde colocando médicos em cidades do interior e equipando a localidades para desafogar a demanda da capital. “Em parceria com o governo do estado com os municípios  e consonância com as universidades, podemos formar profissionais na área de saúde profissionais, garantindo colocação em todos os municípios", disse Puccinelli.

Adonis por sua vez defendeu o piso salarial para enfermeiros e valorização profissional em todo o país. “Sou favorável ao piso, são profissionais que muitos já vê, sofrendo há mitos anos, com perda de direto. Não vamos tirar direito de trabalhador. Os enfermeiros e enfermeiras merecem nosso carinho e respeitos, foram esses seres humanos que deram a própria vida, além do que podia, para salvar mais vidas no período da pandemia”, argumentou o candidato do PSOL.

Nos siga no Google Notícias