ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 19º

Política

Reinaldo diz que falta consciência e apela às pessoas para ficar em casa

Após anunciar prorrogação da suspensão das aulas, governador pediu apoio da população para evitar aglomerações

Por Marta Ferreira | 01/04/2020 13:13
Reinaldo Azambuja, falando ao microfone, em uma das transmissões ao vivo para anunciar medidas contra pandemia. (Foto: Reprodução intenet)
Reinaldo Azambuja, falando ao microfone, em uma das transmissões ao vivo para anunciar medidas contra pandemia. (Foto: Reprodução intenet)


Depois de confirmar a prorrogação do período sem aulas presenciais na rede estadual de ensino, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), repetiu o pedido que tem sido uníssono entre as autoridades de saúde, para que as pessoas só saiam de casa em caso estritamente necessário, por causa do risco de contrair, e espalhar, o novo coronavírus.  Azambuja reforçou a importância de manter o isolamento social para combater a proliferação do vírus e evitar um colapso no sistema de saúde.

A estimativa do governo do Estado é de prejuízo de pelo menos R$ 1,5 bilhão para os cofres públicos com os reflexos da pandemia, mas Reinaldo Azambuja  observou que a prioridade é salvar vidas.

“Prejuízos todo mundo está tendo: a dona de casa, o trabalhador, o empregador, o empresário, o industrial, os governos. Prejuízos a gente repõe, agora vida você não repõe. Precisa ter consciência das ações que estão sendo tomadas pelos governos”, disse o governador, em entrevista à CBN Campo Grande.

"Fique em casa" - Azambuja avalia que, por enquanto, os números de casos estão controlados no Estado, mas vê falta de consciência de algumas pessoas, o que eleva o risco de colapso do sistema de saúde. “Ontem mesmo eu vi uma movimentação muito maior de pessoas circulando. Isso é ruim porque, não tenha dúvida, vai circular mais o vírus e vai contaminar mais”, analisa.

“O Governo do Estado está fazendo o seu dever de casa: contratando leitos na rede privada, ampliando novos leitos na rede pública, fazendo parceria com prefeituras para ampliar leitos, agora se tiver um volume muito grande de pessoas contaminadas ao mesmo tempo que necessitem de internação, nós vamos ter dificuldade”, pontuou o governador.

Estimativa apresentada esta semana indica que, desde janeiro, foram adotadas em torno de 50 medidas para enfrentar a pandemia.