ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

Relator vota para tornar réus outros 200 por invasões em Brasília, 2 são de MS

A 1ª leva teve votação encerrada ontem, com 100 réus por atos golpistas, 5 deles aqui do Estado

Silvia Frias | 25/04/2023 08:00
Ataques aconteceram no domingo, 8 de janeiro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Ataques aconteceram no domingo, 8 de janeiro. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre Moraes, relator dos processos dos ataques aos Três Poderes, ocorrido no dia 8 de janeiro, votou por tornar réu a nova leva de 200 denunciados. A votação começou na madrugada de hoje e deve se estender até a próxima terça-feira (2/5).

Na nova lista, há pelo menos dois residentes em Mato Grosso do Sul: o empresário de Maracaju Ivair Tiago de Almeida, 47 anos, e Ilson Cesar Almeida de Oliveira, 45 anos, morador de Sidrolândia.

Ontem (24), o STF encerrou a votação da primeira leva, em que foram denunciadas 100 pessoas, entre elas, 5 residentes em Mato Grosso do Sul.

Esta votação começou na semana passada, já tinha alcançado maioria e foi encerrada com os votos dos ministros Nunes Marques e André Mendonça. Os dois foram os que votaram para rejeitar a denúncia contra 50 denunciados que estavam no QG do Exército.

Ivair Tiago de Almeida, de Maracaju, está na lista da votação da 2ª leva. (Foto/Arquivo)
Ivair Tiago de Almeida, de Maracaju, está na lista da votação da 2ª leva. (Foto/Arquivo)

Nesta segunda leva, caso os ministros sigam o voto do relator, os réus vão responder por associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado pela violência e grave ameaça com emprego de substância inflamável contra o patrimônio da União e com considerável prejuízo para a vítima e deterioração de patrimônio tombado.

MS - Ivan Tiago de Almeida, conhecido como Russo, é proprietário de empresa de assistência técnica e locação de colheitadeira de grãos em Maracaju. Ele chegou a divulgar fotografia do dia da invasão. Na imagem, está posicionado perto das cúpulas do Congresso e mostra outros invasores pelo gramado da Esplanada dos Ministérios.

A defesa de Ilson Cesar Almeida de Oliveira vai se manifestar pela inocência. "Pois ele não praticou nenhum delito descrito na denúncia", diz o advogado Daniel Alves.

Desde o ataque, a PGR já denunciou 1.390 pessoas por atos antidemocráticos, sendo 239 no núcleo dos executores, 1.150 no núcleo dos incitadores e uma pessoa no núcleo que investiga suposta omissão de agentes públicos.

Nos siga no Google Notícias