ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 24º

Política

Riedel diz que vai lutar para MS não perder fundo com reforma tributária

Governador cita "injustiça" ao ver Estado no fim da fila para receber fatia de R$ 8 bilhões

Por Gustavo Bonotto | 27/10/2023 20:14

Após o anúncio de que Mato Grosso do Sul vai ficar com uma das menores fatias do FNDR (Fundo Nacional do Desenvolvimento Regional), o governador Eduardo Riedel (PSDB) publicou, nas redes sociais, que irá "brigar" pelo investimento oriundo da União.

Para o gestor, o Estado "fez o dever de casa" e não pode sair prejudicado com a PEC 45/19 (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma tributária que tramita no Senado Federal.

"O montante é um investimento importante para o nosso desenvolvimento, é o futuro de Mato Grosso do Sul, e não podemos ser um dos últimos. Temos o imposto mais barato do Brasil, em termos de alíquota de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), junto com mais cinco estados", cita Riedel.

O governador ressaltou que se reuniu com todos os órgãos que tratam da reforma no âmbito estadual após retornar de sua viagem para Nova Iorque (EUA), na tarde desta sexta-feira (27).

"Reuni toda a estrutura assim que cheguei no gabinete. Não podemos sair prejudicados com os critérios adotados para a divisão do fundo pois fizemos o dever de casa. Não falo pelo meu mandato, falo por Mato Grosso do Sul daqui a 10, 15, 20 anos. É injusto. Este é momento é de brigar para garantir o retorno em 2033. E é isso que vamos fazer, a partir da leitura do texto no Senado [Federal]", finalizou.

Entenda - Conforme noticiado, a previsão do repasse leva em conta os critérios de divisão da verba estipulados pelo relator, o senador Eduardo Braga (MDB-AM). O texto aponta que 30% do valor, estimado em R$ 8 bilhões, sejam divididos colocando à frente os que têm maior população. Com 2,7 milhões de habitantes, Mato Grosso do Sul é o 21º na lista dos estados, conforme Censo de 2022 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Na proposta, o FNDR será usado pelos estados para conceder incentivos locais dentro do novo sistema tributário, que vai unificar PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS em dois novos tributos: a CBS (Contribuição sobre Bens e Serviços) federal e o IBS (Imposto sobre Bens e Serviços), de estados e municípios.

Receba as principais notícias do Estado pelo celular. Clique aqui para entrar no canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias