A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

25/08/2010 11:12

Secretaria de Educação cobra explicações de sindicato

Redação

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) de Dourados contestou as denúncias feitas pelo Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação), divulgadas em outdoors instalados em vários pontos do município.

Além de rebater ponto a ponto as denúncias, a Semed informa que vai exigir do Simted que tais denúncias sejam formalizadas por escrito.

Sobre o atraso no pagamento dos contratados, a prefeitura alega que foram apenas três dias úteis. O salário de julho do funcionalismo foi liberado no dia 6 deste mês. Os professores receberam no dia 11 do mesmo mês, ou seja, três dias úteis em relação aos demais.

Quanto a falta de material de limpeza e didático nas escolas, foi dito pela Semed que as Associações de Pais e Mestres recebem repasses financeiros da prefeitura, além de recursos do PDDE (Programa Dinheiro Direto na Escola) e do PDE (Programa de Desenvolvimento Escolar). A compra do material de limpeza e do material didático é feita pela escola, conforme a sua necessidade.

Em relação aos Ceims (Centros de Educação Infantil Municipal) que não possuem APM (Associação de Pais e Mestres), havia um problema na logística de entrega, mas já foi regularizado.

O sindicato também alega que falta cursos de capacitação para educadores. A nota da prefeitura diz que vários cursos são programados durante o ano e que não existem tal situação.

No corte de 10% do adicional do PAE (Programa de Acompanhamento Escolar), a prefeitura diz que cortou o adicional dos professores que não seguindo a legislação, que é pago aos docentes que atuam no 1º e 2ª ano.

Também foi denunciada a retirada de professores com capacitação em educação especial. A prefeitura diz que retirou após levantamento técnico, retirou aqueles que não eram necessários.

Sobre a queda da qualidade da merenda escolar, a resposta foi de que o dinheiro da merenda é depositado pela prefeitura diretamente para a APM (Associação de Pais e Mestres) de cada escola.

A aplicação dos recursos é fiscalizada pelo CAE (Conselho de Alimentação Escolar). Não existe nenhum atraso no repasse do convênio e a Semed "tem confiança plena na administração desses recursos, feita pela respectiva comunidade escolar".

A Semed diz que não tem nenhuma reclamação de pais de alunos sobre a queda da qualidade da merenda, apontada pelo Sindicato.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions