ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SÁBADO  27    CAMPO GRANDE 28º

Política

Secretário diz a vereador que não autorizou mensagens ameaçando professores

Por Flávia Lima e Juliana Brum | 16/06/2015 12:43
Professores voltaram à Câmara na manhã desta terça-feira para pedir apoio de vereadores. (Foto:Marcelo Calazans)
Professores voltaram à Câmara na manhã desta terça-feira para pedir apoio de vereadores. (Foto:Marcelo Calazans)

Em conversa via telefone com o vereador José Chadid, sem partido, o secretário municipal de Administração, Wilson do Prado, ressaltou que não autorizou qualquer tipo de mensagem ameaçando de demissão os professores convocados que não retornassem às aulas nesta quarta-feira (17).

A denúncia foi feita durante sessão da Câmara Municipal na manhã desta terça-feira (16) pelo vereador Eduardo Romero (PT do B) que disse em plenário que alguns docentes estavam recebendo as mensagens via aplicativo WhattsApp. Ao saber da denúncia, o presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Professores), Geraldo Gonçalves Alves, deixou a sessão e foi procurar o secretário Wilson do Prado, na prefeitura.

Como não conseguiu localizar o secretário, o sindicalista retornou à Câmara e através do vereador José Chadid (sem partido), que ligou para Wilson do Prado, teve a confirmação do próprio secretário de que ele desconhece as mensagens e negou qualquer determinação nesse sentido.

Chadid colocou a conversa no viva voz para que Geraldo Alves ouvisse a explicação. No entanto, o sindicalista disse que vai continuar buscando de onde partiram as mensagens e disse que vai entrar em contato com a superintendente de Gestão, Normas e Relações Comunitárias da Semed, Fabiana Parron. "Os professores precisam de um ambiente tranquilo para trabalhar", ressaltou Geraldo.

Durante conversa com o líder do prefeito, Edil Albuquerque (PMDB), o secretário Wilson do Prado disse que a prefeitura vai apresentar ainda na tarde de hoje, uma nova proposta aos professores na tentativa de por fim a greve que já dura 20 dias.  

 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário