A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

27/06/2017 12:08

Secretário vai à Assembleia para entregar dados sobre incentivos da JBS

Titular da Sefaz vai se reunir com os 24 deputados estaduais na quarta-feira

Mayara Bueno e Leonardo Rocha
CPI da JBS reunida na quarta-feira, dia 21. (Foto: Wagner Guimarães/ALMS).CPI da JBS reunida na quarta-feira, dia 21. (Foto: Wagner Guimarães/ALMS).

Márcio Monteiro, secretário de Fazenda de Mato Grosso do Sul, vai pessoalmente entregar os documentos referentes aos incentivos fiscais da JBS na Assembleia Legislativa. O presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), deputado Paulo Corrêa (PR) confirmou a informação nesta terça-feira (27).

Conforme o presidente, o secretário entrou em contanto esta manhã e confirmou que vai pessoalmente na casa de leis, a partir das 9 horas. A intenção é também se reunir com os 24 deputados estaduais na sala da presidência.

Amanhã vence o prazo para o governo do Estado entregar dados e notas fiscais referentes aos contratos de incentivos fiscais concedidos à JBS, empresa que, em delação premiada, disse que pagava propina para o Estado em troca de benefícios.

A mesma documentação foi pedida para a empresa, mas Corrêa ainda não sabe se o prazo para entrega dos dados vence também amanhã, já que o período de cinco dias começa a ser contado a partir da notificação da JBS.

CPI – O grupo foi aberto para investigar denúncias sobre eventuais pagamentos de propina em troca de incentivos. A apuração vai de 2010 a 2017 sobre possível crime de responsabilidade por parte do governo estadual.

A princípio, o tempo estimado da CPI é de 120 dias, além de gastos de R$ 30 mil por mês. Se os dados fiscais enviados pelo governo forem utilizados de alguma forma na investigação, o colegiado terá de pedir autorização judicial, pois tratam-se de informações protegidas por sigilo fiscal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions