A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

25/09/2015 18:40

Seinfra contesta Egelte e afirma que desde janeiro Aquário está aberto à empresa

Paulo Yafusso
Secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli contesta nota da Egelte (Foto: Fernando Antunes)Secretário de Infraestrutura Marcelo Miglioli contesta nota da Egelte (Foto: Fernando Antunes)

Desde janeiro deste ano a obra do Aquário do Pantanal está a disposição para que a Egelte Engenharia “pudesse acompanhar e fiscalizar o andamento das ações”, de acordo com a nota divulgada na tarde desta sexta-feira (25) pela Secretaria Estadual de Infraestrutura, em resposta à manifestação da empreiteira. Diz ainda a nota, que o retorno da empresa à obra está sub júdice, em análise pela Procuradoria Geral do Estado, já que, depois que o Governo do Estado rescindiu o contrato com a Proteco Engenharia, a Egelte afirmou não ter responsabilidade com o empreendimento.

Segundo a Seinfra, a obra do Aquário do Pantanal foi aberta à Egelte durante reunião no início da atual gestão, em que participaram representantes da empreiteira, o secretário Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, e o titular da Seinfra, Marcelo Miglioli.
A nota da administração estadual afirma ainda que “contraditoriamente ao que foi publicado, que 'por mais de um ano e meio, todos os assuntos relacionados ao empreendimento foram tratados exclusivamente entre a Agesul e a empresa Proteco, sem qualquer participação da Egelte', não condiz com a atitude da Seinfra em disponibilizar o acesso e acompanhamento do Aquário”.

Mas de acordo com a Egelte, tal afirmação se refere ao período em que a Proteco assumiu a execução da obra, que foi na gestão anterior e prosseguiu na atual gestão, até que o contrato com a Proteco foi rescindido por recomendação do Ministério Público.

E o caso acabou em troca de notas entre as partes. Assim que a Seinfra se manifestou, a Egelte também emitiu nota afirmando que “reitera todas as posições contidas na nota de esclarecimento publicada no seu site no dia 24”. Ainda de acordo com a empresa, todas as afirmações estão fundamentadas em documentos. Ao final, diz que “aguarda posicionamento da Procuradoria Geral do Estado a respeito dessa questão e ressalta que a Egelte não pode der compelida a retornar à obra sem que haja completa e transparente auditoria”.

Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...
Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions