A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

28/01/2015 13:31

Sem acordo, quatro deputados ainda disputam cargos na Assembleia

Kleber Clajus
Chapa de consenso ainda depende de dois cargos para ser fechada (Foto: Wagner Guimarães/ALMS)Chapa de consenso ainda depende de dois cargos para ser fechada (Foto: Wagner Guimarães/ALMS)

Quatro deputados ainda disputam cargos na Assembleia Legislativa, após consenso não se concretizar para vagas de segunda secretaria e terceira vice-presidência. O PT ainda negocia se Amarildo Cruz ou Cabo Almi assumem o posto responsável pela comunicação, enquanto Lídio Lopes (PEN) e Mara Caseiro (PT do B) medem forças para integrar a Mesa Diretora.

“Espero que até amanhã resolva essas duas vagas. Não é fácil construir consenso com 24 deputados e seis vagas [na Mesa Diretora], além das 15 comissões”, comenta Júnior Mochi (PMDB), definido em acordo para comandar a Casa de Leis.

Com dois candidatos indicados a segunda secretaria, os petistas minimizam disputa interna, justificando que deve-se considerar na decisão influência das eleições de 2016 e do próprio partido. A Executiva Estadual, inclusive, pode ser acionada para solucionar o impasse.

“Se considerar idade e mais votado deve ser eu a assumir. Não tem briga, mas impasse”, comenta Cabo Almi, contraposto pela necessidade de “sentar para bater o martelo” de Amarildo Cruz.

A situação da terceira vice-presidência, no entanto, revela disputa de força dentro da Casa de Leis. Isso porque Lídio Lopes condiciona desistência somente em troca de espaço na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça).

Já Mara Caseiro não abre mão do cargo para o PT do B. “Se não for definido por consenso será no voto”, defende a parlamentar que tem como estratégia, caso não contemplada, abrir disputa contra Júnior Mochi para a presidência da Assembleia.

Quase pronta – A nova composição para o biênio 2015/2016 considera forte articulação do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para que não houvesse disputa entre os parlamentares. Aliado do tucano, Zé Teixeira (DEM) tentou angariar votos para a presidência, porém cedeu e responderá pelas finanças da Casa de Leis ao assumir a primeira secretaria.

Onevan de Matos (PSDB) assume a primeira vice-presidência, responsável pela TV Assembleia. Maurício Picarelli (PMDB), que buscava o mesmo cargo, deve permanecer no cargo de corregedor, enquanto a novata Grazielle Machado (PR) ficará com cargo de segunda vice-presidente.

Mesmo que definida em chapa de consenso, a nova mesa diretora será empossada somente após a posse dos deputados eleitos em solenidade no domingo (1º), às 9h, no Plenário Deputado Júlio Maia. Os mandatos compreendem período até 31 de janeiro de 2019.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions