ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Política

Senadora pede celeridade no projeto que garante presença feminina nas comissões

Líder da bancada de mulheres no Senado, a sul-mato-grossense quer evitar o que ocorreu na CPI da Covid-19

Gabriela Couto | 03/06/2021 15:42
Senadoras Simone Tebete e Eliziane Gama se cumprimentando durante os trabalhos legislativos no Senado (Foto Agência Senado)
Senadoras Simone Tebete e Eliziane Gama se cumprimentando durante os trabalhos legislativos no Senado (Foto Agência Senado)

Líder da bancada feminina no Senado, Simone Tebet (MDB vai solicitar a inclusão na pauta do Plenário do projeto de resolução 36/2021 que cria uma vaga adicional de titular e outra de suplente destinadas a representação feminina.

A vaga extra só seria criada se, instaladas as Comissões Permanentes e Temporárias pelo critério da proporcionalidade, for constatado que não há membro da bancada feminina.

“Se nas comissões, inclusive nas CPIs se, por ventura, o líder não indicar nenhuma mulher, automaticamente abre-se mais uma vaga para que a bancada feminina possa indicar. Acho que esse projeto será mais uma conquista, não porque somos mulheres, mas é porque é importante a representatividade, o olhar diferenciado, a sensibilidade que temos em questões políticas”, disse Simone Tebet.

Apenas 12 mulheres fazem parte do Senado Federal que possui 81 representantes dos estados (Foto Agência Senado)
Apenas 12 mulheres fazem parte do Senado Federal que possui 81 representantes dos estados (Foto Agência Senado)

Ela explicou que o projeto altera o Regimento do Senado Federal e não precisa passar pela Câmara, nem ser sancionado. Sendo aprovado no Senado, já passa a valer. O texto é de autoria da senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA).

A bancada feminina passou a existir em março deste ano e possui 12 senadoras. Elas tiveram dificuldade para garantir presença nas discussões da CPI da Covid-19. Não foram escolhidas pelas bancadas que fazem parte e passaram por constrangimento de alguns colegas que não concordavam com a presença delas nas oitivas. Se aprovado o texto vai por fim a essa discussão e garantir maior igualdade de gênero na política.

Nos siga no Google Notícias