A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/06/2013 14:08

Sindicato vai recorrer se Bernal ganhar liminar contra reajuste dos servidores

Nadyenka Castro e Jéssica Benitez
Presidente do Sisem afirma que vai lutar por reajuste dos servidores. (Foto: Marcos Ermínio)Presidente do Sisem afirma que vai lutar por reajuste dos servidores. (Foto: Marcos Ermínio)

O Sisem (Sindicato dos servidores e funcionários municipais de Campo Grande) irá recorrer caso o prefeito Alcides Bernal (PP) consiga liminar para não pagar reajuste aos servidores municipais.

O presidente do Sindicato, Marcos Tabosa, afirma que o setor jurídico “já está preparado para derrubar a liminar” e caso não consiga na Justiça, irá “ficar no pé” do prefeito e da Câmara Municipal.

Tabosa conta que já conversou com o vereador Elizeu Dionizio (PSL), presidente da Comissão de Eficácia Legislativa da Câmara Municipal para que sejam tomadas providências sobre o cumprimento de leis, entre elas, a do reajuste do funcionalismo municipal.

“Do que adianta ter Câmara se não for respeitada?”, questiona o sindicalista, que também critica a postura de Alcides Bernal. “O prefeito só quer conversar pelo facebook, eu gosto de olho no olho”.

Impasse - O gestor municipal vetou quatro emendas adicionais feitas pelos vereadores para complementar o projeto de reajuste salarial dos servidores. O prefeito, porém, vetou todas elas sob argumentação de que “havia vício de origem” na elaboração das emendas. A Câmara não concordou com o posicionamento e derrubou os vetos e o presidente da Casa, vereador Mario Cesar (PMDB), promulgou a matéria, validando-a integralmente.

Bernal não autorizou a aplicação de 15% às vantagens pessoais incorporadas e outras vantagens financeiras, fixadas em valor monetário, conforme o artigo 5º do projeto de Lei.

Ele também não concordou em equiparar os plantões de serviço de odontólogos, veterinários, enfermeiros, técnicos de enfermagem, assistentes sociais, farmacêuticos e farmacêuticos-bioquímicos, em 15% como foi feito com a classe médica.

O prefeito vetou, ainda, o plantão de serviço dos fonoaudiólogos, da categoria de referência 14, fica fixado em R$ 583,97, nos feriados e finais de semana. E, por último, não permitiu que seja assegurado a todo servidor da área de saúde adicional de insalubridade.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions