A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

06/10/2013 15:39

Solidariedade se reforça com vereadores e irá seguir ao lado do PMDB

Leonardo Rocha
Direção do PSL diz que saída  de Dionísio foi amigável (Foto: Divulgação) Direção do PSL diz que saída de Dionísio foi amigável (Foto: Divulgação)
Herculano destaca que saiu do PSC por coerência política (Foto: Divulgação)Herculano destaca que saiu do PSC por coerência política (Foto: Divulgação)

O partido Solidariedade (SDD) irá iniciar suas ações em Mato Grosso do Sul tendo o reforço do vereador Eliseu Dionísio, que estava no PSL, e do atual secretário estadual da juventude e vereador licenciado, Herculano Borges, eleito pelo PSC.

O partido até “sondou” os deputados federais Geraldo Resende (PMDB) e Marçal Filho (PMDB), mas não conseguiu emplacar. A nova legenda criada pelo deputado federal Paulinho da Força deve seguir parceria com o PMDB em 2014.

O próprio Paulinho da Força teria pedido ao governador André Puccinelli (PMDB) que indicasse nomes aqui do Mato Grosso do Sul para assumir a direção estadual da legenda. Entre os diretores do partido está o presidente estadual da Força Sindical no Estado, Idelmar da Mota Lima, que também comanda o sindicato dos empregados do comércio de Campo Grande.

Acordo – O presidente estadual do PSL, o vereador Alceu Bueno (PSL), afirmou que a saída de Dionísio foi em conformidade com o partido. “Não houve qualquer discussão ou opinião contrária a sua saída, até porque o PSL deve ser parceiro da Solidariedade aqui no Estado”, destacou Bueno.

Ele ainda lembrou que como se trata de uma legenda nova, o PSL não teria o direito de pedir sua cadeira na Câmara, pois existe uma “janela” prevista na legislação permitindo a troca. “Para o partido perdemos o direito de indicar membros nas comissões na Câmara e CPI(s), mas seguiremos fortes em nossa representação”, esclareceu.

Coerência – Já o vereador licenciado Herculano Borges, que estava no PSC, destacou que resolveu mudar de partido por uma questão de coerência política. “Estou no grupo político do governador André Puccinelli (PMDB), não poderia seguir no PSC ano que vem já que eles pretendem apoiar o senador Delcídio do Amaral”, apontou.

Lista – O diretor do partido, Idelmar da Mota Lima, destacou que amanhã deve ser divulgada a lista completa dos integrantes do Solidariedade, que segundo ele almeja ter representação no cenário político do Estado. O partido conseguiu o registro estadual com a coleta de 3.880 fichas de apoio em todo Estado. Tem diretório municipal em Paranaíba, Guia Lopes e Nioaque.



Esses ao menos têm bom senso em ficar do lado certo.
 
luiz carlos soares em 06/10/2013 17:01:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions