A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

09/10/2012 18:29

STF forma maioria pela condenação de José Genoíno

Débora Zampier, da Agência Brasil

Com o voto do ministro Gilmar Mendes, o Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (9) maioria de 6 votos a 1 pela condenação do ex-presidente do PT José Genoino por corrupção ativa na Ação Penal 470, o processo do mensalão.

Sétimo a votar, Mendes seguiu integralmente o voto do relator Joaquim Barbosa para, além de Genoino, condenar o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, o trio de publicitários Marcos Valério, Cristiano Paz, Ramon Hollerbach, a ex-diretora financeira da SMP&B, Simone Vasconcelos, e o advogado Rogério Tolentino, ligado a Marcos Valério.

Mendes dedicou a maior parte de seu voto para falar sobre a situação de Dirceu e Genoino, descartando a tese de que Delúbio agiu sozinho na captação e distribuição de recursos a parlamentares da base aliada. O ministro lembrou que o próprio processo desmente a tese de que Delúbio agiu com autonomia, pois ficou provado que a distribuição de verbas era pautada por acordos políticos fechados entre a cúpula partidária e governista.

O ministro ainda lembrou que o STF já definiu que parte do dinheiro usado no esquema veio de fonte pública, como a Câmara dos Deputados e o fundo Visanet. “Não é factível e crível aceitar que ele [Delúbio] lograria pegar essa renda estatal sozinho, ainda que contasse com a sempre presente colaboração de Marcos Valério”. 

Segundo Mendes, vários depoimentos indicam que José Dirceu sempre dava a palavra final em acordos costurados por Delúbio ou Genoino, o que o coloca no centro do esquema. “José Dirceu não só sabia, como contribuiu intelectualmente para sua estruturação”, afirmou o ministro.

Quanto a José Genoino, Mendes lembrou que vários líderes partidários confirmaram negociar com o então presidente petista o apoio à base aliada. Pelo alto cargo partidário que ocupava na época e pelas atividades que desenvolvia, Mendes considera que a declaração de que Genoino “ignorava por completo o centro de distribuição de recursos parece-me menosprezar a inteligência alheia”.

Os únicos réus absolvidos por Gilmar Mendes, seguindo a unanimidade até agora, foram o ex-ministro dos Transportes Anderson Adauto, por falta de provas, e a ex-gerente financeira da SMP&B Geiza Dias, por sua participação menor nos fatos.

Confira placar parcial da segunda metade do Capítulo 6, que trata do crime de corrupção ativa entre políticos do PT e PL e no núcleo publicitário:

1) José Dirceu: 5 votos a 2 pela condenação (Divergência: Ricardo Lewandowski e Antonio Dias Toffoli)
2) José Genoíno: 6 votos a 1 pela condenação (Divergência: Ricardo Lewandowski)
3) Delúbio Soares: 7 votos pela condenação
4) Anderson Adauto: 7 votos pela absolvição
5) Marcos Valério: 7 votos pela condenação
6) Ramon Hollerbach: 7 votos pela condenação
7) Cristiano Paz: 7 votos pela condenação
8) Rogério Tolentino: 5 votos a 2 pela condenação (Divergência: Ricardo Lewandowski e Antonio Dias Toffoli)
9) Simone Vasconcelos: 7 votos pela condenação
10) Geiza Dias: 7 votos pela absolvição

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions