ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

Suplente na Assembleia Legislativa em MS está na lista de operação da PF

Rodrigo se apresenta como representante da direita raiz e defensor das pautas do ex-presidente Bolsonaro

Viviane Oliveira | 05/09/2023 09:06
Rodrigo Lins em foto postada em suas redes sociais (Foto: reprodução/redes sociais)
Rodrigo Lins em foto postada em suas redes sociais (Foto: reprodução/redes sociais)

Em Campo Grande, o empresário Rodrigo de Souza Lins, de 40 anos, suplente do PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, também foi alvo de busca e apreensão na 16º fase da operação Lesa Pátria, deflagrada pela PF (Polícia Federal), na manhã desta terça-feira (5).

Na ação, que investiga suspeitos de financiar os ataques antidemocráticos contra o prédio dos Três Poderes, em Brasília (DF), no dia 8 de janeiro, uma assessora parlamentar do deputado estadual Rafael Tavares (PRTB), Aline de Paiva Lopes, também foi alvo de busca e apreensão.

Para a reportagem, Rafael alegou perseguição política. “O PT (Partido dos Trabalhadores) mandou a Polícia Federal fazer busca e apreensão na casa da minha assessora. É óbvio que o objetivo dessa operação é chegar até mim. Perseguição política na democracia relativa do PT.  Que Deus nos abençoe e nos proteja!", disse.

Suplente - Nas redes sociais, Rodrigo se apresenta como representante da direita raiz e defensor das pautas do ex-presidente Jair Bolsonaro. Ele é empresário do ramo de confecções de joias de ouro, casado e tem dois filhos. Nascido em Corumbá, Rodrigo mora em Campo Grande há mais de 20 anos, desde quando veio para a Capital fazer faculdade de Administração Rural e de Empresas.

Ele se colocou o seu nome à disposição como pré-candidato à Prefeitura de Campo Grande representando a base conservadora. Segundo o empresário, sempre esteve à frente dos movimentos de rua em defesa do ex-presidente.

"Recebi liberdade dos representantes do Partido Democracia Cristã para trazer outros membros da direita conservadora para o partido, mas o DC está de portas abertas para que todos que queiram disputar uma eleição", disse em publicação no Instagram. A reportagem tentou falar com Rodrigo pelo número divulgado em suas redes sociais, mas o telefone estava desligado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias