ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Política

TJSP mantém obrigação de Delcídio indenizar presidente Lula

Turma julgou que houve dano moral ao presidente diante de acusações do ex-senador

Por Maristela Brunetto | 02/10/2023 12:50


Justiça de SP reafirma que ex-senador deve indenizar presidente por dano moral (Foto: Arquivo)
Justiça de SP reafirma que ex-senador deve indenizar presidente por dano moral (Foto: Arquivo)

A 7ª Câmara de Direito Privado do TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo) rejeitou recurso de apelação apresentado pelo ex-senador Delcídio do Amaral e manteve a obrigação dele de indenizar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em R$ 10 mil por danos morais. O corumbaense firmou um acordo de delação premiada e nele acusou o presidente de tentar obstruir os trabalhos da Justiça ao interferir nas tratativas de um processo de delação premiada negociado entre Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, e o Ministério Público Federal .

Delcídio tinha sido condenado pelo juiz de São Bernardo do Campo, José Rubens Queiroz Gomes, em uma ação movida em 2016 por Lula, apontando o dano moral com o conteúdo das declarações do ex-senador sul-mato-grossense, feitas no acordo e em entrevista à imprensa. O presidente pediu à época o valor de R$ 1,5 milhão, entretanto o magistrado rejeitou o valor pleiteado.

Delcídio chegou a argumentar ao TJSP, na apelação apresentada na metade do ano passado, que nunca foi julgado sobre a veracidade de suas declarações para poder embasar uma condenação a indenizar. Entretanto, a Turma do TJ manteve a posição de que a acusação foi falsa e incluiu trecho da sentença, apontando que “não houve a prática de crime de obstrução de justiça por parte do autor, bem como, que foi absolvido ante o deficiente conjunto probatório e falta de credibilidade do testemunho do requerido”.

O caso já havia sido analisado anteriormente, sem procedência, tendo depois retornado à Justiça de primeiro grau após o MPF (Ministério Público Federal) pedir absolvição de Lula em processo que respondeu na esfera criminal sobre a acusação e a anulação de benefícios previstos em acordo de delação do ex-senador.

O tema ainda pode ser levado às cortes superiores, no entanto, a questão fática não pode mais ser analisada, somente situações processuais.

Nos siga no Google Notícias