A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

07/11/2014 18:55

União prevê R$ 411 milhões para o MS em 2015, bancada quer aumentar valor

Ludyney Moura
Os dois relatores setorias, Geraldo e Moka, discutiram orçamento com Reinaldo esta semana (Foto: Divulgação)Os dois relatores setorias, Geraldo e Moka, discutiram orçamento com Reinaldo esta semana (Foto: Divulgação)

Dois parlamentares do Estado integram a CMO (Comissão Mista de Orçamento) do Congresso Nacional, e tentarão aumentar os recursos previstos para Mato Grosso do Sul no PLOA (Projeto de Lei Orçamentária Anual), encaminhado ao legislativo pelo Governo Federal.

O projeto de lei prevê um investimento de pouco mais de R$ 411 milhões para 2015, dinheiro previsto pela União para investimentos no Estado. Valor maior que os R$ 348 milhões de 2014, porém inferior aos R$ 438 milhões de 2013.

O senador Waldemir Moka (PMDB) é o relator setorial do orçamento para área de Cidades, além de Planejamento, Orçamento e Gestão, e deputado Geraldo Resende (PMDB) é relator setorial para as áreas de Turismo, Desenvolvimento Industrial e Comércio Exterior, e Micro e Pequena Empresa.

“Certamente esse valor vai aumentar, mas a conjuntura econômica é muito ruim, e o governo terá que fazer um orçamento mais limitado. Mas, é claro que eu e o Geraldo como relatores setoriais tem um peso importante”, avalia Moka.

“Os recursos destinados para algumas obras são insuficientes e teremos de trabalhar bastante para que Mato Grosso do Sul não fique sem investimentos muito importantes”, argumenta Geraldo Resende.

O deputado citou ainda como exemplos de obras que, para ele, não sairão do papel se continuarem com esta previsão de investimentos, a construção de Anel Rodoviário em Campo Grande, com apenas R$ 1 milhão para a edificação, e R$ 4 milhões para reestruturação de modernização de Instituições Hospitalares Federais.

“Esses exemplos justificam a preocupação do governador eleito deputado Reinaldo Azambuja (PSDB), que em reunião com a Bancada, solicitou emendas para as áreas de saúde e infraestrutura. Todos os parlamentares presentes firmaram compromisso com Reinado e na CMO continuaremos lutando para encorpar os valores destinados para o Estado”, disse Resende.

Moka revelou que as duas Casas do Congresso, Senado e Câmara, ainda não votaram o projeto, e que nos próximos dias a CMO deve abrir prazo para apresentação de emendas parlamentares.

Na reunião com a bancada federal, no último dia 05, Azambuja elencou como prioridade investimentos para equipar os hospitais regionais existentes como os de Coxim, Nova Andradina, Ponta Porã e Aquidauana, bem como a continuidade da construção do Hospital Regional de Dourados e o Hospital Escola de Três Lagoas, além da substituição das pontes de madeira por pontes de concreto, para auxiliar o escoamento da produção de pequenas propriedades rurais.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions