A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

16/09/2014 10:22

Vereador que sugeriu gays em ilha diz ser vítima de campanha difamatória

Helio de Freitas, de Dourados
Sérgio Nogueira nega homofobia e critica postura do governo federal em defesa da união de pessoas do mesmo sexo (Foto: Thiago Morais/Câmara de Vereadores)Sérgio Nogueira nega homofobia e critica postura do governo federal em defesa da união de pessoas do mesmo sexo (Foto: Thiago Morais/Câmara de Vereadores)

Em nota distribuída à imprensa, o vereador e candidato a deputado estadual pelo PSB, Sérgio Nogueira, afirma que está sendo vítima de uma “campanha de difamação” após o discurso feito por ele no plenário da Câmara de Dourados, na sessão de ontem de manhã.

Ao comentar convite que recebeu da Secretaria Municipal de Assistência Social para um workshop sobre combate à homofobia, Sérgio Nogueira criticou o governo federal por incentivar o que chamou de “desconstrução da família” e sugeriu deixar homossexuais em uma ilha por 50 anos, para comprovar que não seria possível pessoas do mesmo sexo viver em família.

“O contexto da discussão era sobre o ensino da orientação homossexual nas escolas, de forma sistemática, conduzida pelo Estado e direcionado ao público infantil. O vereador compreende e respeita os direitos civis da comunidade homo-afetiva. No entanto, defende que uma temática desta natureza, quando endereçados ao público infantil, não pode ser imposta unilateralmente pelo Estado, antes, deve ser debatida com as famílias dos alunos, com os diretores e professores das escolas e com as lideranças religiosas que manifestam posicionamentos plurais quanto ao assunto”, afirma a nota distribuída pela assessoria de Sérgio Nogueira.

Ainda conforme a assessoria, a ilustração usada pelo vereador “jamais sugeriu a segregação dos homossexuais, como apontou difamatoriamente a reportagem do portal da 94 FM”. Através da nota, Sérgio Nogueira afirma que a frase se insere “dentro da linha argumentativa de que a orientação homo-afetiva não deve ser tomada como medida padrão de sexualidade a ser ensinado na rede de educação infantil”.

O vereador argumenta que, se por um lado admite-se que não deva existir a discriminação de pessoas por causa da opção homo-afetiva, por outro o Estado deve respeitar a sociedade, sobretudo o segmento religioso cristão, e não utilizar a rede de ensino para estimular crianças ao comportamento homossexual através de material didático, “como se pretendeu fazer com os kits de educação sexual do Ministério de Educação em 2013”.

Sérgio Nogueira conclui a nota dizendo que todos devem ser contrários à discriminação de pessoas por causa da orientação homossexual, “no entanto, a acusação de homofobia não pode se constituir em um argumento neutralizador da compreensão das comunidades religiosas sobre temas desta natureza”.

O vereador também afirma na mesma nota que a divulgação de seu discurso no site da rádio 94 FM foi feita de forma oportunista por interesse eleitoral. 

O eventoCom o tema “Avança Dourados: respeito à diversidade combatendo a homofobia”, o seminário que provocou o discurso do vereador será aberto oficialmente amanhã às 19h, na Câmara Municipal, e segue até novembro. Além da abertura, amanhã à noite serão lançadas duas cartilhas para capacitação LGBT, motivo do descontentamento de Sérgio Nogueira. As atividades, no entanto, começaram segunda-feira, no Jardim Água Boa.

Conforme a assessoria de comunicação da prefeitura, na sexta-feira haverá oficina direcionada à comunidade escolar, funcionários, alunos e pais. As oficinas também ocorrem nos dias 3, 20 e 21 de outubro e nos dias 14 e 20 de novembro. O encerramento será no dia 20 de novembro, com uma palestra na Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions