ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Política

Vereadores adiam prazo para entrega de emendas impositivas

Câmara espera prefeitura regulamentar destinação de R$ 5,8 milhões para investimentos na Capital

Por Caroline Maldonado | 19/10/2023 13:09
Vereadores durante sessão ordinária nesta quinta-feira (19). (Foto: Divulgação/CMCG)
Vereadores durante sessão ordinária nesta quinta-feira (19). (Foto: Divulgação/CMCG)

Oito vereadores entregaram suas emendas impositivas ao orçamento de 2024 da Prefeitura de Campo Grande. Os parlamentares têm direito a indicar a utilização de recursos que a prefeitura será obrigada a executar. O relator da LOA (Lei Orçamentária Anual), vereador Epaminondas Vicente Silva Neto, o “Papy” (Solidariedade), explicou que eles esperam a prefeitura regulamentar a nova lei e por isso o prazo de entrega, que terminaria nesta semana, foi prorrogado para o dia 16 de novembro.

Estão garantidos R$ 5,8 milhões do orçamento, estimado em R$ 5,3 bilhões, para indicações dos vereadores. Do total de cada parlamentar, R$ 100 mil deverá ser encaminhado obrigatoriamente a investimentos em Saúde. O restante poderá ser dividido entre infraestrutura, compra de equipamentos, construção de academias ao ar livre, entre outros.

Já entregaram suas emendas mesmo sem a regulamentação os vereadores Papy, Otávio Augusto Trad Martins, o “Otávio Trad” (PSD), Clodoilson Pires (Podemos), Ronilço Cruz, o “Ronilço Guerreiro” (Podemos), Roberto Santana, o “Betinho” (Republicanos), José Jacinto de Luna Neto, o “Zé da Farmácia” (Podemos), Luiza Ribeiro (PT) e Jamal Mohamed Salem, o “Dr. Jamal” (MDB). O vereador Eduardo Miranda (Patriota) também finalizou o texto, mas precisou fazer alterações para apresentar novamente.

Os vereadores esperam uma regulamentação que contenha informações como para quem pode ser destinada a emenda, qual o valor, quais os prazos de cumprimento e execução da prefeitura.

“Como pela comissão esgotou-se o prazo de prorrogação regimental, a partir daí só o presidente pode prorrogar, que foi o que aconteceu. O vereador Carlão prorrogou o prazo de entrega. Os vereadores praticamente devem estar com as suas emendas já prontas, não colocou porque ainda não tinha essa essa regulamentação”, disse Papy.

Vereador Epaminondas Vicente Silva Neto, o “Papy” (Solidariedade) durante sessão na Câmara Municipal. (Foto: Divulgação/CMCG)
Vereador Epaminondas Vicente Silva Neto, o “Papy” (Solidariedade) durante sessão na Câmara Municipal. (Foto: Divulgação/CMCG)

Além disso, segundo o vereador, na segunda-feira (23) haverá uma reunião entre os parlamentares e a secretária de Finanças e Planejamento, Márcia Hokama, para discutir as emendas do ano atual que não foram pagas até agora, faltando pouco mais de dois meses para terminar o ano.

“O vereador propôs, por exemplo, uma emenda num valor muito baixo para fazer uma obra muito grande. Então são emendas consideradas inaptas, não tem como executar. Então, a prefeitura está tentando repactuar essas emendas para que o vereador direcione outro valor ou outro objeto para que possa ser executado”, explicou Papy.

A reportagem aguarda resposta da prefeitura sobre a regulamentação mencionada pelo vereador Papy.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias