A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

28/04/2015 14:09

Vereadores batem-boca, quase se agridem e Câmara suspende sessão

Ricardo Campos Jr., Edivaldo Bitencourt e Kleber Clajus
Após bate boca com colega, vereadora toma água para se acalmar (Foto: Kleber Clajus)Após bate boca com colega, vereadora toma água para se acalmar (Foto: Kleber Clajus)

A sessão desta terça-feira (28) na Câmara Municipal foi marcada por bate-boca entre vereadores da oposição e aliados do prefeito Gilmar Olarte (PP). O legislativo teve gritos, empurra-empurra e até vereador segurando o outro para não agredir colegas dentro do plenário. O clima ficou tão tenso que o presidente da Câmara, Mario Cesar Oliveira (PMDB), suspendeu a sessão para reunião reservada e acalmar os ânimos. 

Vídeo mostra o momento em que Paulo Pedra (PDT) discute com Airton Saraiva (DEM) e logo outros colegas entram na confusão tentando acalmá-los.

No primeiro desentendimento, vereador Edil Albuquerque (PMDB), foi de encontro ao com acordo entre os sete vereadores oposicionistas para aprovar todos os projetos do Prodes (Programa de Desenvolvimento Econômico e Social) que estavam na pauta do dia.

Essa atitude irritou o líder do prefeito, que tentou pressionar a oposição e chegou a reclamar com a mesa diretora. Por sua vez, Thaís Helena (PT), líder da oposição na Câmara, não gostou do gesto e reclamou da pressão sobre os opositores.

“Pela falta de respeito do líder do prefeito, porque não estamos aqui para ouvir gritos, a oposição não vota”, exclamou. Edil tentou amenizar a situação, sem sucesso.

A sessão prosseguiu normalmente até que a vereadora Thaís Helena pediu vez para propor requerimento cobrando informações à prefeitura sobre edital para contratação de empresas de publicidade. Ela foi interrompida por Airton Saraiva (DEM), contrário aos questionamentos.

O democrata não gostou de Luiza  Ribeiro (PPS) ter levado a disputa para o microfone e queixou-se. A certa altura do embate, Saraiva se irritou e soltou no ouvido da vereadora: "se der pau, vai levar pau". 

Paulo Pedra (PDT), que estava do lado e ouviu a ameaça, assumiu as dores da colega e iniciou embate com o democrata, dizendo que ele “não é dono da Câmara”. Isso foi suficiente para que os ânimos se aquecessem na Casa.

O vereador Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), ficou furioso e partiu para cima do pedetista. "Você não respeita o regimento", gritou o socialista, que foi contido pelo vereador Marcos Alex (PT) para não agredir Pedra.

Para evitar o pior e acalmar os ânimos, que estavam quentes no dia em que um vereador, Alceu Bueno, renunciou ao mandato em decorrência da denúncia de exploração sexual de adolescentes, Mario Cesar suspendeu a sessão e convocou os vereadores para uma reunião. 

Após reunião reservada, os vereadores colocaram panos quentes no bate-boca. "Foi tudo um mal entendido", argumentou Saraiva. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions