A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

16/06/2011 12:36

Vereadores criticam obrigatoriedade do uso de cartão no transporte coletivo

Vanda Escalante e Ítalo Milhomem
Vereadores consideram que obrigatoriedade do cartão não é a melhor alternativa. (Foto: Simão Nogueira)Vereadores consideram que obrigatoriedade do cartão não é a melhor alternativa. (Foto: Simão Nogueira)

O anúncio de que, a partir do dia 26 de agosto, o pagamento da passagem nos ônibus do transporte coletivo urbano de Campo Grande só poderá ser feito com cartão magnético gerou críticas por parte dos vereadores. De acordo com os parlamentares, não se pode impor essa metodologia como tentativa de solucionar a falta de segurança dentro dos ônibus.

A ideia é evitar os assaltos, cada vez mais constantes, acabando com o uso do dinheiro nos coletivos. A proposta foi anunciada ontem (15) pelo procurador de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul, Aroldo José Lima, durante audiência pública realizada na Câmara. No entanto, não há consenso em torno da questão.

Lima afirma que essa será alternativa para diminuir as funções dos motoristas, que hoje atuam como cobradores, dando troco e guiando o ônibus. A proposta deverá ser apresentada ao prefeito Nelsinho Trad (PMDB). Segundo o diretor presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade Junior apenas 27% dos usuários ainda pagam a passagem em dinheiro.

Para o vereador Athayde Nery (PPS), a proposta não pode ser incondicional. “Não se pode impor o uso do cartão sem que haja alternativa. Além disso, a questão da segurança exige outro tipo de providências, como monitoramento das vias e mais condições para que o motorista exerça sua função”, alerta.

O vereador Paulo Pedra (PDT) lembrou também que essa proposta contraria o direito do consumidor e, para ele, a alternativa seria a volta dos cobradores aos coletivos. “E afinal, quem tem que garantir a segurança ao cidadão é o Estado”, argumenta.

O presidente da Câmara, vereador Paulo Siufi (PMDB) concorda que a falta de segurança e o crescente número de assaltos aos ônibus é uma questão que precisa de solução urgente, mas considera que o uso obrigatório do cartão, sem alternativa, não é o caminho.

“O assunto ainda vai ser discutido, ainda vamos realizar mais audiências públicas, e isso poderá ser regulamentado por lei, já que o transporte coletivo, apesar de ser feito por empresas privadas, é uma concessão de serviço público”, aponta Siufi.

 Vereadores criticam obrigatoriedade do uso de cartão no transporte coletivo


A educação, a saude, a rede de esgoto, tão precisando de atenção. Transporte coletivo caro, BELEZA. Agora obrigar????? Bora trampa meo
 
Júlio César em 21/07/2011 05:14:51
tudo bem pode ser que foncione mais e os passageiros que seguranca vai ter;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;
 
maria fatimachagas em 21/06/2011 06:24:39
será que porque em tal lugar é assim ou assado é o melhor para nós?nem sempre pois em qualquer parte do país seja são paulo ou goiania ou rio de janeiro,o interesse financeiro est´´a sempre a espreita para prevalecer ante o que é melhor para a população.
 
antonio luis em 18/06/2011 01:17:09
Acho que facilitaria e agilizaria muito a vida dos motoristas e dos usuários se o passe fosse pago em cartão. Já viram quanto tempo o motorista perde em dar troco? Além de ficar estressado e executar duas ou três tarefas ao mesmo tempo. Se colocarem novamente cobradores no minimo o passe vai subir. Deveria ter mais facilidade em comprar o cartão e mais policiamento nos ônibus. Quem fala que o cartão não facilita é por que não pega ônibus
 
Robson Almeida em 17/06/2011 08:21:26
Secretário de segurança, com a máxima data vênia, chame o Cel. Adib Massad, que ele sabe como acabar com esses "nóias" e traficantezinhos que ficam perturbando nossa capital e levando jovens a perdição.....
 
Gilmar candido em 16/06/2011 07:42:42
Existem pessoas que nao usam onibus diariamente, assim como eu. As vezes que precisei usar o transporte coletivo aqui no bairro tive que pagar em dinheiro... Como vou fazer quando nao aceitarem mais dinheiro?? Será que vou ter que andar enormes distância pra comprar um cartão ou chegar a algum terminal?? Ou vão fazer como nas cidades que tem metrô, onde o ticket se compra antes de embarcar em cada estação, vão colocar funcionarios e pontos de vendas em cada ponto de onibus?? Melhor eu aprender usar as pernas pra andar... ou comprar uma bicicleta assim ainda vou economizar né?!.
 
Anderson Sant em 16/06/2011 07:37:03
Vai sobrar pro usuário,essa medida de obrigar o cidadão usar cartão é ridicúla não vai acabar com os assaltos,pelo contrário o visado serão os passageiros pelos ladrões pois os ladrões não são bobo,eles tem imaginação fértil para tirar o que não lhes pertence,vão assaltar senhoras frageis e idosos dentro dos coletivos principalmente ,nos onibus que circulam em regiões periférica da cidade.estamos segundo dizem em uma democracia,mas aqui em campo Grande pelo jeito é a lei da imposição,já obrigam idoso a adquirir cartão para andar gratuitamente e agora mais essa de não aceitar que a passagem seja paga com dinheiro.abaixo ao autoritarismo e a ditadura!
 
antonio luis em 16/06/2011 07:26:06
EDUARDO JULIACE, VOCÊ É MEU HERÓI!!!!!!
E O JOELHO TA BEM?????
PARABÉNS PELOS TÍTULOS.....
 
Gilmar candido em 16/06/2011 07:22:20
O que adianta criticar e não fazerem nada, simplesmente serem coniventes com o problema?
 
Marcelo Max em 16/06/2011 06:37:38
É gente mais uma vez querem tapar o sol com a peneira, na hora de criticar o aumento da tarifa o vereador que se diz amigo do peito nada fez pra barrar o mesmo, agora tentam inventar formas de não ter assalto a ônibus, o pior de tudo, já falei antes a culpa por esses problemas é toda nossa que escolhemos nossos representantes pelos seus lindos olhos ou por cestas básicas, vale refeição, vale diversão, vale camisinha dentre outros "programas sociais", até quando vamos continuar nos enganando?
 
Oswaldo Benites em 16/06/2011 05:21:49
pasou da hora da prefeitura tirar o dinheiro do onibus isso vai dar certo ja funciona em outras cidades como goiania sorocaba etc e a respeito do cobrador ate em sao paulo ja esta tirando enta esquesa o assunto cobrador entao vereadores que trabalhao para a sociedade aprovem essa ideia
 
carlos lopes em 16/06/2011 04:56:00
Esse assunto necessita de uma discussão mais ampla.
Devemos pensar nos usuários e no motorista.A empresa é uma prestadora de serviço público e têm por obrigação,servir bem a todos os seus usuários.Isso inclui,SEGURANÇA, maior números de ônibus circulando, todos bem adaptados para os portadores de necessidades especiais.
Se a empresa está preocupada com a mesma,então sua idéia é válida.Se está preocupada com o motorista(duvido muito),então faça uma cabine blindada(vai onerar bastante).Se a preocupação for o motorista e os usuários(também duvido),façam o estado exercer seus deverem,colocando policiamento nos terminais,dentro dos ônibus e batidas constante pelos trechos mais complicados.Mas, que isso seje feito de forma efetiva,não para enganar a população e a imprensa,como foi feito na AV.Cel.Antonino... Aí, cabe a população fazer seu papel de fiscal e botar a boca no trombone.
O que estão querendo impor aos usuários é juridicamente Inconstitucional.A lei é para ser respeitada,pelo menos deveria ser.Contrário, acredito estarem chamando a população de ignorante.Isso é um tremendo absurdo.
Devemos pensar nos turístas,no pessoal do interior do estado e nos eventuais usuários.
Essa palahaçada,está parecendo a história da leshimaniose.Ao invés, de matarem/exterminarem os mosquitos tramissores,ficam preocupados apenas em eliminar cães.E quando não existirem mais os cães?Voltando ao assunto: Parece que os empresários estão preocupados só com o seu prejuízo.Mas, e o MOTORISTA e os USUÁRIOS?Os bandidos, vão continuar assaltando os tranportes coletivos do mesmo jeito,eles querem dinheiro,celular,relógio...para trocar por DROGAS.Só cego(burro) não vê, tá na cara.Portanto,isso é PROBLEMA DE SEGURANÇA PÚBLICA.
 
neyde de oliveira em 16/06/2011 04:40:36
Bom, primeiramente deve-se considerar que a Segurança Pública é dever do Estado, e, não se pode transferir integralmente à sociedade medidas que busquem resolver o problema operacional e financeiro das empresas. Segundo, não se pretende aqui virar as costas para esse problema, pois, é real fato que muitos motoristas de coletivo (pais de família, pessoas honestas e trabalhadoras) saem do leito de sua família com a insegurança de voltar ou não para casa, mas... é dever do poder público resolver o problema, para tanto, não aceitar dinheiro não resolve o problema já que o criminoso continua existindo, um exemplo o viciado em drogas! Não é o fato dos coletivos deixarem de receber dinheiro que vai acabar com o vício do usuário de drogas, por exemplo, apenas, concretamente falando, o poder público estará transferindo o foco do problema à outros setores, um exemplo, ao comércio! Juridicamente é um direito do consumidor pagar em Moeda nacional e um dever do empresariado recebe-lá, já na esfera Penal, a Lei de Contravenções Penais- LCP: determina no art. Art. 43- Recusar-se a receber pelo seu valor, moeda de curso legal do País: Pena - multa. Nesse caso cabe até boletim de ocorrência, Ação Penal Pública Incondicionada.

EDUARDO JULIACE- Bacharel e Licenciado em História, Bacharel em Direito, Bacharel em Ciências Sociais, Acadêmico de Jornalismo e Especialista em Direito Penal e Processual Penal, Especialista, também, em Gestão de Segurança Pública.
 
EDUARDO JULIACE em 16/06/2011 04:03:19
Meu Deus! Quanta tempestade em copo d'agua! Eu morava em uma cidade do interior de São Paulo (Sorocaba) e, em 2000 já não se usava mais dinheiro no transporte coletivo, eram fichas posteriormente subistituidas por cartões, as pessoas lá estavam plenamente adaptadas, será que só aqui em Campo Grande as pessoas são incapazes de lidar com isso? Creio que não. Lá existem postos específicos para a venda de bilhetes unitários de transporte, na rodoviária por exemplo. Criminalidade zero nos trasportes, ou será que as pessoas que não querem a mudança pouco se importam com a segurança de quem usa o trasporte, ou algum motorista tem que morrer em uma ação de bandidos para se tomar providências. Concordo plenamente com a Prefeitura, uso o transporte todos os dias e acho que demorou essa iniciativa. A cidade está crescendo, temos que olhar para o progresso.
 
Gisele Muniz em 16/06/2011 04:02:31
A obrigatoriedade do cartão só vai beneficiar as empresas. Ou vocês acham que o dependente de drogas (em crise de abstinência) só vai assaltar se tiver dinheiro no caixa do ônibus??? O assaltante vai pegar um celular, uma bolsa ou qualquer coisa que tiver na frente. Segurança Pública é dever de todos e responsabilidade do Estado. Sabe-se também que esses assaltantes são viciados em drogas (portanto, doentes). Eles assaltam para conseguir dinheiro para comprar drogas. Como não há espaço nos presídios, e há muito tempo entende-se que usuário de droga é problema do sistema de saúde, eu pergunto: O QUE O MINISTÉRIO DA SAÚDE ESTÁ FAZENDO PARA TRATAR OS VICIADOS EM COCAÍNA (pasta base, zuca, crack, oxi)???
 
Gilberto Ramos em 16/06/2011 03:49:09
Não existe limites quando se trata de violência,na ausencia do dinheiro no caixa dos coletivos quem serão os alvos dos ladrões??Os próprios usuarios são os que mais sofrem com essas medidas....
 
gilvan moura de moraes em 16/06/2011 03:36:32
Só quem não anda de onibus comentou a matéria. Mas eu concordo com o amigo acima. Desde que no brasil, o escambo deixou de ser a principal fonte de aquisição, o Brasil instituiu o dinheiro como moeda de troca.... agora vem esses semi analfabetos encherem o saco com coisinhas sem sentido. Querem ajudar instalem câmeras de segurança nos ônibus, almentem a frota com ônibus para cadeirantes... coisas assim realmente farão a diferença
 
Fabiano Pontes em 16/06/2011 03:25:51
É muito simples os vereadores acharem a medida absurda, eles não usam onibus, e nunca foram assaltados dentro do onibus. No metro não se usa dinheiro e sim cartão, qual a diferença, em usar somente cartão no ónibus, nós estamos em 2011, a era do dinheiro de plastico.
 
silvio santos em 16/06/2011 02:44:04
A moeda no Brasil chama-se REAL. É obrigatório receber em papel-moeda.
 
Orlando Lero em 16/06/2011 02:25:42
Gostaria de saber das empresas de ônibus e das autoridades, como fará uma pessoa que não mora na cidade de Campo Grande para usar do transporte coletivo. Terá esta pessoa que comprar o tal cartão?
 
Anderson de Jesus em 16/06/2011 01:52:47
Concordo que não se pode impor o uso do cartão aos usuários, pois ainda existe pessoas que não usam o transporte coletivo diariamente e sim aleatoriamente, e com isso não possui cartão e sem contar que nem todos tem acesso para comprar o passe individual. É um assunto para ser muito bem discutido e espero que nossos representantes saibam discutir e achem uma solução plausível e justa para todos.
 
katiuscia rivarola em 16/06/2011 01:38:08
vereadores nao podem deixar isso ser aprovado. Empresas gananciosas, exploram seus funcionarios, que coloquem novamente os cobradores, gerando empregos. So querem ganhar muito, nao se importunando em nenhum momento com quem precisa de seus serviços. Estao usando esta artimanha para gerarem ainda mais lucros.

se pensassem na segurança e conforto de seus clientes, que colocassem onibus novos, contratassem cobradores e respeitassem os horarios, pois muitas vezes ficamos mais de horas esperando o coletivo.

Nelsinho, chega desta palhaçada. A populaçao começa a desconfiar que voce deve ser sócio destas empresas. Vereadores, nao pactuem com esta safadeza. Mostrem a quem vos elegeu que estao trabalhando pela populaçao.
 
JORGE DAURI DE OLIVEIRA FERNANDES em 16/06/2011 01:16:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions