A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

12/03/2015 13:07

Zeca do PT assume Comissão da Agricultura para defender assentados

Petista também vai priorizar quilombolas, indígenas e acampados

Juliene Katayama
Zeca integra Comissão de Agricultura e já se reuniu com ministro do Desenvolvimento Agrário (Foto: Divulgação)Zeca integra Comissão de Agricultura e já se reuniu com ministro do Desenvolvimento Agrário (Foto: Divulgação)

O deputado federal Zeca do PT participou da primeira reunião da Comissão da Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural na quarta-feira (11). O petista tinha prometido integrar comissão para defender os acampados, assentados, quilombolas e indígenas.

"Fiz esse compromisso na campanha, de que estaria nesta comissão para defender os acampados, assentados, quilombolas e indígenas, que lutam pelo direito a terra. Vamos fazer um debate de luta para conquistar avanços na reforma agrária, na assistência técnica e no acesso de crédito para agricultura familiar", afirmou Zeca.

O deputado que também é vice-coordenador no Núcleo Agrário da bancada do PT. Em fevereiro, se reuniu com o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, para discutir mudanças para o desenvolvimento dos pequenos produtores rurais do País.

Uma das principais pautas abordadas por Zeca com o ministro foi a necessidade da reforma administrativa no Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária). Demanda apontada pelos próprios servidores do instituto. Na avaliação do petista, o Incra precisa de novos técnicos, advogados, de uma nova estrutura administrativa para que ele não morra e atenda seu objetivo.

"Hoje o Incra está esvaziado, sem funcionários para trabalhar porque não há concursos públicos. Servidores muitas vezes desmotivados por conta da falta de condições de trabalho e de valorização salarial", disse.

Outro assunto tratado na reunião foi a necessidade da criação de novos assentamentos rurais. "Os Decretos que no final do ano passado desapropriaram 22 áreas (58 mil hectares) ainda não são suficientes para atender os trabalhadores sem terra, que estão acampados a espera de chão para plantar, enquanto o latifúndio continua improdutivo", pontuou o parlamentar.

A última pauta debatida com Patrus Ananias foi a possibilidade do PAC (Programa de Aceleramento ao Crescimento) específico para agricultura familiar, demanda histórica dos movimentos sociais que lutam por uma Reforma Agrária digna, com recursos e assistência técnica qualificada.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions