ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 25º

Reportagens Especiais

Com jeito de quitanda antiga, sacolão familiar começou com uma bicicleta

Empreendimento que começou na região das Moreninhas sempre apostou em bairros e vilas para disseminar o negócio de hortifrútis e manter a renda da família

Por Da Redação | 21/09/2015 08:07
Clarice, Vander e a filha do casal, ao lado do pioneiro João Pereira Martins (Foto:Divulgação)
Clarice, Vander e a filha do casal, ao lado do pioneiro João Pereira Martins (Foto:Divulgação)

Aos 35 anos, a comerciante Clarice Pereira Martins lembra com carinho e orgulho de quando era criança e acompanhava o pai na venda de verduras de porta em porta na região das Moreninhas, em Campo Grande. João Pereira Martins, 65 anos, começou a vender hortifrúti de bicicleta há mais de 20 anos e, na época, a sala da própria casa era o local de armazenagem das frutas e verduras compradas todos os dias no Ceasa da capital.

Não demorou muito, no entanto, e a garupa da bicicleta ficou pequena. Devido ao rápido aumento de fregueses, João passou a utilizar um carrinho de mão para levar mais produtos e, então, Clarice e o irmão passaram a andar de bicicleta acompanhando o pai. “Quando faltava alguma coisa, a gente corria em casa e abastecia o carrinho para não deixar de atender ninguém”, conta.

O pequeno negócio que lembra as tradicionais quitandas (Foto: Divulgação)
O pequeno negócio que lembra as tradicionais quitandas (Foto: Divulgação)

E foi assim, conhecendo o negócio desde pequena e seguindo os passos do pai que Clarisse conseguiu um ponto para montar o seu próprio comércio. Ela e o marido, Vander Leandro Lima, 27 anos, conduzem há cinco anos o Sacolão Bom Sucesso, no bairro Universitário, conservando um aspecto de quitanda antiga. “Praticamente toda a minha família vive do hortifrúti há muitos anos, desde que meu pai iniciou o negócio e todos nós aprendemos”, relata.

Ainda hoje, o pai não abre mão de seu estabelecimento nas Moreninhas, onde construiu a vida, criou a família e fez muitos amigos. “E esses vizinhos-clientes também não abrem mão de comprar frutas e verduras de qualidade todos os dias”, diz a comerciante. “A comodidade de ter tudo fresquinho no próprio bairro atrai os clientes, que não precisam se descolocar muito em busca de bons produtos”, acrescenta. Para facilitar ainda mais a vida dos fregueses, ela abre o estabelecimento aos finais de semana e feriados.

Produtos de qualidade e selecionados para os clientes (Foto: Divulgação)
Produtos de qualidade e selecionados para os clientes (Foto: Divulgação)

Para Clarice, essa parceria com a comunidade de seu bairro, em que as pessoas compram no local e recebem atendimento e produtos de qualidade, é extremamente benéfica para uma ampla cadeia de pessoas que tiram o sustento do segmento. “Como ficamos o tempo todo cuidando do negócio, também consumimos quase tudo o que precisamos aqui mesmo, onde conhecemos a procedência dos produtos e, além disso, colaboramos uns com os outros”, diz.

É por isso que, na opinião da comerciante, iniciativas como o Movimento Compre do Pequeno Negócio, do Sebrae, são fundamentais para manter e ampliar essa cadeia de geração de emprego e renda, incentivando que as pessoas busquem cada vez mais atender a suas necessidades nos estabelecimentos próximos de onde moram.

Compre do Pequeno

Lançado pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae), o Movimento Compre do Pequeno Negócio estimula a comunidade a consumir seus produtos de micro e pequenos empreendimentos, chamando a atenção para a importância deles para a economia de cada região da cidade e para fazer o dinheiro circular localmente.

A data oficial do movimento é 5 de outubro, quando se comemora o Dia da Micro e Pequena Empresa. Se você também é um pequeno comerciante, participe da iniciativa e ajude a difundir a importância dessa escolha para a economia de seu bairro ou região. Acesse www.compredopequeno.com.br e cadastre-se gratuitamente para receber o material completo da campanha e divulgar sua marca.