ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 20º

Direto das Ruas

Jovem denuncia constrangimento de acadêmicos barrados em catraca de universidade

Por Paula Maciulevicius | 15/08/2012 12:39
Na foto tirada pela acadêmica, a fila que leva até 2h para chegar ao guichê de atendimento. (Foto: Charlita Benites)
Na foto tirada pela acadêmica, a fila que leva até 2h para chegar ao guichê de atendimento. (Foto: Charlita Benites)

Acadêmicos da universidade Anhanguera/Uniderp denunciam o constrangimento que vem sofrendo ao serem barrados nas catracas de entrada da universidade, impedidos de assistir às aulas. A estudante Charlita Benites, 23 anos, relata que mesmo tendo em mãos o comprovante de que as mensalidades estão quitadas, não consegue adentrar os portões da faculdade.

“Na faculdade está acontecendo muito isso, não sei se é um erro do sistema, mas eles estão barrando os alunos, mandam ir para a central e quando você volta não consegue entrar do mesmo jeito”, conta.

Acadêmica do 8º semestre de Direito, ela alega que a faculdade cobra uma mensalidade que não existe, todas as anteriores estão pagas e mesmo com o comprovante, o sistema ainda não deu baixa.

“Eles estão me cobrando uma mensalidade que já foi paga. No início do ano foi a mesma coisa. Eles não deixam você entrar, você explica a situação, mostra o comprovante e fica constrangido, porque quem não sabe o que está acontecendo, vê tudo. Eu já estou acostumada, mas tem muitos que não sabem o que fazer”, completa.

Charlita ressalta que só não está perdendo aulas, como tantos outros alunos, porque usa o cartão de uma colega. “Faço isso porque se for da maneira certa, não me deixam entrar”, completa. “Ontem mesmo peguei o cartão e entrei. Se não perco aula”.

O problema começou há 10 dias, quando as aulas do segundo semestre começaram. A aluna diz que tentou entrar com o cartão de estudante, mas não conseguiu.

“Aí eu fui lá ver o que estava acontecendo, porque eu não estava sabendo. Falei que no próximo dia eu levaria o comprovante, mas não me deixaram entrar. No outro dia eu levei e não deixaram de novo. Você fala com várias pessoas, espera numa fila de 2h, mas só entra se fizer escândalo”, explica.

Na foto que a acadêmica enviou ao Campo Grande News, os acadêmicos aguardam na fila que, segundo ela, demora até 2h para chegar no atendimento.

Em nota, a Uniderp/Anhanguera, informou que o sistema de catracas está de acordo com a legislação que dispõe sobre o valor total das anuidades escolares e autoriza as universidades a não renovar matrícula de estudantes inadimplentes.

Por meio da assessoria de imprensa, a universidade explicou ainda que encerrado um semestre letivo e não havendo renovação da matrícula para o seguinte, está a instituição legitimada a impedir o acesso do estudante à sala de aula e às demais atividades acadêmicas, enquanto não for renovado o vínculo jurídico entre as partes e que o controle nas catracas, além de uma forma de regularizaçãoda situação acadêmica e financeira dos alunos, tem como objetivo garantir a segurança de todos dentro da Instituição.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário