A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/03/2013 14:38

Leitora registra sujeira e sangue na UPA da Vila Almeida

Helton Verão
Foto enviada pela moradora do Jardim Petrópolis Foto enviada pela moradora do Jardim Petrópolis

Em meio a epidemia da Dengue, a transição da empresa prestadora de serviços de limpeza nos postos de saúde tem deixado a desejar. Foi o que registrou a leitora residente no Jardim Petrópolis ao levar a amiga ontem (1) a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Vila Almeida.

“Levei ela pela manhã, tinha muitos vestígios de sangue pelo posto e sujeira também. Cheguei a falar que estava muito sujo ali, e uma funcionária falou que todos os postos estão assim”, conta a leitora.

Segundo ela, quando retornou no período da tarde para buscar a amiga, já acontecia a mobilização para iniciar a limpeza.

O presidente da Steac-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação de Mato Grosso do Sul), Wilson Gomes da Costa, informou na tarde de ontem (1) que a empresa prestadora de serviço Mega Serv recontratará no total 140 dos 275 funcionários demitidos pela Total Administração de Serviços Autorizados e a limpeza nas unidades de saúde será retornada.

Antes, 121 já haviam sido contratados. O reforço vai garantir a atuação também nas unidades básicas. Até então, apenas os postos 24 horas estavam com a limpeza garantida.

A Total era responsável pelos serviços em diversos postos de saúde de Campo Grande e o contrato com a Prefeitura, renovado em caráter emergencial em dezembro, foi encerrado no último dia 28.

A empresa foi obrigada a dispensar os funcionários por não efetuar o pagamento salarial que passa de R$ 1,5 milhão. Segundo o diretor da empresa, Water Loo, a Prefeitura não paga a prestação de serviço desde o mês de dezembro.

Também informa que manteve os funcionários em atividade após um pedido do prefeito Alcides Bernal (PP).

Os trabalhadores se reuniram em assembleia e aceitaram a proposta da empresa de dividir o salário de fevereiro com uma entrada e duas parcelas, e a verba rescisória, tendo direito a FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e Seguro-Desemprego.

A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que o contrato com a Mega Serv para as unidades que recebiam o serviço prestado pela Total é de regime emergencial.



Não é essa a saúde que a população queria?? Agora aguenta! O que o povo achava que estava ruim, ficou bem pior..
 
Claudio Vieira em 03/03/2013 10:57:41
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions