A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

29/11/2014 11:25

Iagro faz mutirão para combater a raiva em Camapuã e São Gabriel do Oeste

Adriano Fernandes
Aplicação de pasta anti-coagulante em morcego. Os animais se contaminam por meio de contato com os outros morcegos. (Foto:Divulgação Iagro)Aplicação de pasta anti-coagulante em morcego. Os animais se contaminam por meio de contato com os outros morcegos. (Foto:Divulgação Iagro)
Vistoria sendo feita em caverna com incidência do morcego vampiro.(Foto: Divulgação Iagro)
Vistoria sendo feita em caverna com incidência do morcego vampiro.(Foto: Divulgação Iagro)

A Iagro realizou em outubro e neste mês um mutirão de controle da raiva em bovinos e equinos nos municípios de São Gabriel do Oeste e Camapuã, na região norte de Mato Grosso do Sul. O objetivo foi capturar e “tratar” os morcegos transmissores da doença.

Ao todo foram visitadas 35 propriedades rurais em área de risco para a ocorrência da enfermidade. Nos casos de raiva em bovinos e equinos, diferente do que ocorre entre humanos, o principal transmissor da doença é o morcego conhecido como morcego vampiro, da espécie Desmodus rotundus .

De acordo com o médico veterinário e coordenador do programa de controle da raiva dos herbívoros, Fabio Shiroma de Araujo, os morcegos são capturados diretamente em seus abrigos. Cavernas, troncos de árvores, casas abandonadas são os locais de maior incidência.

Após a captura, é aplicada no animal uma pasta à base de anticoagulante e o morcego é solto novamente. Dentro dos abrigos, os morcegos se contaminam entre si pelo simples contato. Em um prazo de no máximo três dias, os animais vão a óbito, explica o veterinário. Um único morcego, após a aplicação da pasta pode contaminar até 20 animais.

Aliado a captura feita em um total de 27 abrigos, durante as visitas as propriedades, foram feitas orientações quanto ao controle da doença e a importância da comunicação ao escritório da Iagro, quanto ao aparecimento de animais com sintomas nervosos e também da presença de abrigos com morcegos ou animais espoliados.

A intenção da iniciativa, segundo Fabio, é expandir os mutirões para outras regiões já para o próximo ano. Controlando a população deste morcego, controla-se a ocorrência da enfermidade.

A raiva é uma zoonose, isto é, uma doença animal transmissível ao homem. Sob suspeita de contato, o indicado é procura imediatamente uma unidade de saúde, ressalta o veterinário.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions