A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

19/07/2015 10:15

Setor de açúcar e álcool segue em expansão e safra deve crescer 15%

Renata Volpe Haddad
Setor canavieiro em Mato Grosso do Sul está em crescimento, pois as usinas ainda não atingiram a capacidade de produção. (Foto: Rural Pecuária/Divulgação)Setor canavieiro em Mato Grosso do Sul está em crescimento, pois as usinas ainda não atingiram a capacidade de produção. (Foto: Rural Pecuária/Divulgação)

Apesar de usinas de cana-de-açúcar nos Estados de São Paulo, Goiás e no Triângulo Mineiro, decretarem falência ou terem feito pedidos de recuperação judicial nas últimas semanas, o setor canavieiro em Mato Grosso do Sul está em crescimento, depois de apresentar duas safras seguidas ruins, devido as geadas.

São 22 usinas em operação no Estado e a maioria ainda não atingiu sua capacidade de produção, resultando em crescimento e expansão em maior velocidade, se comparado com outros Estados brasileiros. Quem afirma isso é o presidente da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), Roberto Hollanda.

Segundo ele, o diferencial de Mato Grosso do Sul está nas usinas recém instaladas que começaram a chegar a partir de 2005 dentro de um novo paradigma, que é a geração de energia. "O boom do setor canavieiro começou no ano 2000 e depois de cinco até dez anos, elas começaram a chegar no Estado, e algumas se instalaram antes de plantar o canavial", comenta.

O presidente explica que a previsão de crescimento para a safra de 2015/16 é de 15%, mesmo com um momento difícil para o setor em outros regiões do país. "É um crescimento bom, temos feito um esforço grande para poder expandir, já que o canavial no Estado foi castigado por causa de uma geada rígida que aconteceu em 2013, isso causou prejuízo enorme para o setor, que voltou a sofrer com este fato também na safra de 2014", informa.

São duas lutas que as empresas enfrentam neste ano, conforme Hollanda. "Precisamos crescer e ainda estamos recuperando a qualidade da matéria-prima que foi perdida com as geadas. Quando isso acontece, o teor da sacarose da cana-de-açúcar abaixa muito, e o que dá para extrair é apenas o etanol, então precisamos recuperar a qualidade", ressalta.

 

 

Usinas do Estado exportam 80% do açúcar produzido e 88% do etanol. (Foto: Rural Centro/Divulgação)Usinas do Estado exportam 80% do açúcar produzido e 88% do etanol. (Foto: Rural Centro/Divulgação)

Exportações – O presidente da Biosul informa que as exportações de açúcar já foram melhores, pois o preço pago pelo mercado externo caiu, por conta do superávit de produção. "Já chegamos a produzir 1,750 milhão de toneladas de açúcar. Na safra de 13/14, quando ocorreu a geada, a produção caiu para 1,368 milhão de toneladas, com crescimento mínimo no ano passado, onde foram produzidos 1,367 milhão de toneladas de açúcar", afirma.

São exportados 80% do açúcar produzido em Mato Grosso do Sul e 88% do etanol. Em relação ao combustível, Hollanda comenta que as usinas do Estado produzem quase dez vezes mais do que é consumido. "O consumo cresceu no último ano devido as ações que o Governo Federal fez e ao aumento do preço do litro da gasolina", diz.

Outro segmento importante para as usinas instaladas no Estado é o de bioeletricidade, pois o espaço para a produção de biomassa cresceu. "Já conseguimos exportar para as redes, um volume bem maior que o consumo residencial de Mato Groso do Sul. É como se todas as casas daqui, pudessem ser abastecidas pelas 22 usinas", finaliza.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions