A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

02/07/2017 10:39

Acidentes continuam, mas Capital está há 28 dias sem mortes no trânsito

Conquista é atribuída ao aumento de fiscalização nas vias mais críticas da cidade.

Anahi Gurgel
Blitz realizada em via de Campo Grande na semana passada. Fiscalização contribui com redução de acidentes. (Foto: Divulgação/BPTran)Blitz realizada em via de Campo Grande na semana passada. Fiscalização contribui com redução de acidentes. (Foto: Divulgação/BPTran)

Desde o dia 5 de junho até a manhã deste domingo (02), nenhuma morte em decorrência de acidente de trânsito foi registrada em Campo Grande. Uma "façanha" que, de acordo com o BPTran (Batalhão da Polícia Militar de Trânsito), reflete a fiscalização intensa que vem sendo realizada nas vias mais críticas da cidade.

O comandante do batalhão, tenente coronel José Longatto, afirma que, diariamente, pelo menos duas blitz são realizadas em pontos estratégicos da Capital, onde mais ocorrem acidentes. 

“Nossa intenção é apertar o cerco contra motoristas que têm o hábito de beber e dirigir. Verificamos que, quando há fiscalização, os registros de embriaguez caem bastante. As pessoas têm receio de serem pegas em flagrante. A consequência dessa pressão é a queda do número de acidentes e mortes no trânsito”, ressalta, dizendo que números do BPTran serão computados somente na próxima semana. 

O comandante afirma ainda que, com as blitze, a presença dos policiais acaba inibindo outros atos criminosos, fora do âmbito de trânsito. “Quando esse tipo de trabalho é realizado, observa-se uma queda significativa nas chamadas no 190”, conta.

No sábado, BPTran apreendeu veículos com documentação irregular ou conduzidos por motoristas embriagados. (Foto: Divulgação/Bptran)No sábado, BPTran apreendeu veículos com documentação irregular ou conduzidos por motoristas embriagados. (Foto: Divulgação/Bptran)

As operações ocorrem na região central de Campo Grande, próximas de estabelecimentos como bares e restaurantes com grande movimentação durante a madrugada, e também na área da periferia, onde é comum a circulação de condutores com documentação irregular.

“A irresponsabilidade ainda é grande. As pessoas têm que mudar a cultura. Acredito que as campanhas de conscientização estão contribuindo muito para isso. Por bobeira, a pessoa terá que pagar multa, fiança, e responder por várias outras consequências”, pontua.

Pela legislação de trânsito brasileira, a multa para quem for flagrado dirigindo bêbado é de R$ 2.934,70. “A finaça gira em torno de R$ 2.500, e a pessoa ainda responde por processo criminal, tem a CNH recolhida, deve passar por curso para se reabilitar a dirigir, e fica responsável por danos materiais em casos de acidente”, detalha.

Cerco contra motoristas- Foram realizadas, entre quinta-feira (29) e domingo (02) seis blitze em Campo Grande, segundo o BPTran. As operações contam com aproximadamente 14 homens em cada equipe, mais o apoio da prefeitura em alguns, por meio da Guarda Municipal e Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Somente de sábado para domingo, sete pessoas foram presas em flagrante por apresentarem sinais de embriaguez, sendo que três delas se envolveram em acidentes – felizmente sem vítimas graves.

As operações nesses dias aconteceram na Avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping Campo Grande, por volta das 22h, e na Rua Euclides da Cunha, a partir de 1h.

Limousine, que estava com licenciamento atrasado, foi levada para o pátio do Detran no dia 30 de junho (Foto: divulgação/Polícia Militar de Trânsito)Limousine, que estava com licenciamento atrasado, foi levada para o pátio do Detran no dia 30 de junho (Foto: divulgação/Polícia Militar de Trânsito)

As ações duram em média quatro horas. São abordados condutores de qualquer tipo de veículo, que estejam em situação irregular. Os agentes se organizaram em escalas para realizar as operações também nos períodos diurno e noturno.

Menos acidentes, mais mortes - Nos primeiros cinco meses deste ano, foram registradas 35 mortes no trânsito da Capital. Número que representou 29% a mais que no mesmo período de 2016, quando foram 27 óbitos, de acordo com dados divulgados pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

No entanto, o número de acidentes caiu de 4.649 para 3.959, queda de 14,8% em comparação com o ano passado. Também houve redução de 14,2% na quantidade de acidentes com vítimas, de 2.393 registros para 2.053.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions