A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

18/04/2013 07:00

Pela primeira vez em 11 anos, Campo Grande não terá Parada Gay

Elverson Cardozo
Passeata da parada gay em  2012. (Foto: Arquivo/Campo Grande News) Passeata da parada gay em 2012. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

Pela primeira vez, em 11 anos, Campo Grande não terá a parada gay. A ATMS (Associação das Travestis de Mato Grosso do Sul), entidade que promove o evento na cidade, resolveu substituir a atração deste ano por ações mais profundas e politizadas, focadas em palestras, discussões de políticas públicas e debates acerca dos problemas enfrentados pela comunidade LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Simpatizantes).

Veja Mais
Lei mudou, mas igreja não sabe como será cerimônia de casamento gay
Sob protesto de "religiosos", Câmara aprova moção sobre casamento gay

Até hoje, em todas as edições, o público estimado variou de 30 a 35 mil pessoas em um único dia. Agora, com a “reformulação”, a entidade se diz preparada para uma mudança drástica, tanto é que espera receber 1 mil pessoas durante cinco dias.

A ATMS justifica o cancelamento citando o aumento do índice de violência contra os participantes de todo o país, apesar da Capital não ter registrado qualquer situação de agressão nas últimas edições do evento.

O motivo principal, no entanto, é o “mau momento” vivido pelos militantes a nível nacional. “A parada é um dia de orgulho à luta e às conquistas, mas esse ano, com a eleição do Marcos Feliciano [PSC-SP], não tem muito o que comemorar”, afirmou Cris Stefanny, uma das integrantes da Associação.

Fora Feliciano, atual presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, Cris cita nomes como o deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ), a cantora Joelma, que entrou em polêmica após declarações sobre homossexuais e até a presidente Dilma Rousseff, vista, na avaliação dela, como exemplo de governo omisso. “A gente vê que há um conchave muito grande”, resume.

Manifestantes durante passeata.  (Foto: Arquivo/Campo Grande News)Manifestantes durante passeata. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

“As coisas tem ficado cada vez pior. O que a gente tinha avançado no governo Lula retrocedemos no governo Dilma. Temos um PT, mas duas medidas diferentes” acrescentou.

Mas não é só isso. A coordenação da ATMS também se mostra descontente com participantes que não abraçam a causa e só querem se divertir durante a festa que promove a diversidade sexual na Capital.

“É muito mais fácil a gente sentar, agregar um grupo para conscientização e militância do que fazer a parada aonde a maioria não vai comprometida com o movimento, mas com a parte festiva”, disse.

Questionada se esse “problema” e enfretamentos políticos não ocorrem desde o início, Cris afirma que sim, mas argumenta que a situação tem piorado, especialmente agora, com a eleição de Feliciano, o apoio ao pastor pela bancada evangélica e a omissão do Governo Federal.

Mudanças - Ainda não está definido se a parada gay vai acabar em Campo Grande. Por enquanto, este ano, os organizadores querem experimentar uma nova forma de militância, embora arrisquem dizer que o novo movimento terá público infinitamente menor se comparado à festa tradicional.

As mudanças na realização começam pela data, passam pelas atrações e terminam no nome. Ao invés de “parada gay”, o evento vai se chamar “Diversificando a Diversidade”.

Stands para ações sociais serão mantidos. (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)Stands para ações sociais serão mantidos. (Foto: Pedro Peralta/Arquivo)

Não haverá passeata, trio elétrico, presença de drag queens ou gogoboys, como sempre aconteceu. O máximo que poderá ocorrer será um sarau depois do ciclo de reuniões e palestras, mas isso ainda não está definido.

Para não fazer referência à festa, os organizadores trocaram o mês setembro por outubro. Data, local, horário e programação ainda não foram acertados, mas pode ser que as ações também ocorram na Praça do Rádio Clube.

A proposta, a princípio, é promover exibições de filmes temáticos, gincanas, rodas de debate e palestras com convidados de fora, que militam pela causa. A ATMS não quer restringir o número de participantes, mas avisa que, como não há possibilidade de acomodar 35 mil pessoas para uma palestra, por exemplo, as inscrições para as atividades serão limitadas.

Cris acredita que não haverá problemas com relação à procura porque a programação será elaborada em cima de temas, que vai atrair público distinto, com interesses específicos.

Da programação “original”, a entidade pretende manter apenas as ações sociais, que contemplam serviços de saúde e orientação. Assim como ocorreu nos últimos anos, a ATMS quer continuar com os stands para aferição de pressão arterial, teste rápido de hepatite e HIV, distribuição de preservativos, lubrificantes e material informativo sobre DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

“A gente sabe que o público não vai ser o mesmo, mas se você atingir 100 pessoas em uma formação política você estará formando 100 pessoas que vai reproduzir isso”, disse. Na parada, completou, por mais que se tente politizar o evento, “90% dos que vão estar ali não vão fazer isso”, declarou.

“Cadê o povo LGBT, a sociedade LGBT, só existe quando tem parada?”, ela questiona, antecipadamente.

Congresso da Diversidade - A “substituição” da parada gay foi um dos assuntos abordados durante a reunião dos membros da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul), na terça-feira (16), segundo divulgou a assessoria da entidade.

Reunião da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-MS. (Foto: Divulgação)Reunião da Comissão de Diversidade Sexual da OAB-MS. (Foto: Divulgação)

O presidente da comissão, Júlio César Valcanaia Ferreira, viu a decisão por parte da ATMS como positiva. Na avaliação dele, a associação e os participantes do evento vão perder em visibilidade, mas ganhar em conhecimento.

“Sempre fui um pouco crítico da parada. Não tinha nenhum momento de conscientização”, disse.

A OAB, afirmou, apoia a iniciativa e, inclusive, vai promover, no mesmo período, o primeiro Congresso Estadual da Diversidade. O encontro tem como público alvo a comunidade LGBTs, mas deve reunir estudantes, professores, promotores de justiça, juízes, advogados, médicos, entre outros profissionais.

“A gente pode melhorar a qualidade e o entendimento das pessoas para compreensão da diversidade”, declarou Júlio César.




APENAS UMA JUSTIFICAÇÃO A MANIFESTAÇÃO COM TRIO ELETRICO E O PERCURSO DA PARADA DA DIVERSIDADE COMO CHAMÁVAMOS ANTERIORMENTE VÃO ACONTECER SIM, APENAS AS DARGS E O SHOW FICARAM RESTITOS AO SHOW DA DIVERSIDADE DURANTE O PERCURSO NO TRIO SÓ SUBIRÃO AUTORIDADES POLITICAS E PESSOAS DO MOVIMENTO,
 
HELLEN KADORY em 19/11/2013 11:47:49
sou homosexual, mas nao concordo com muitas coisas que ocorrem na parada gay. a parada gay é para lutarmos com o nosso direito,contra homofobia e etc...
e não para as pessoas ficarem fazendo baderna e os travesti como muitas vezes eu ja vi gritanto besteira falando só palavrão, tem muitos gays que nao sabem se portar na sociedade e é por isso que sofremos preconceito
 
nathalia bento em 23/09/2013 17:41:05
não concordo com o fim, é uma forma de mostrarmos que não somos como pensam. temos o direito de reivindicar da nossa forma e pra mim não tem só gls também tem simpatizantes que gostam da parada gay, pois pra nós o direito é de TODOS SEM ESCESSÃO.
 
meire araujo em 20/09/2013 18:30:45
Gente, a chamada "parada gay" envolve muito mais a quebra de regras sociais legitimadas do que um direito que a classe tenha atingido. Não pertenço a militância mas sou uma das pessoas que mais defende os direitos reivindicados. Contudo, quando colocam drags ou gogoboys, como são referidos, lá no trio para aquelas danças estoutinantes simplesmente ferem o princípio da moralidade jurídica, ou seja, de acordo com o artigo 213 do CP isso é produzir ato libidinoso. E pior, quando as drags resolvem mostrar os seios, isso é atentado violento ao pudor, classificado hoje como estupro.

Eu gosto do movimento pois, alí, kda um pode ser o que é. Apenas acredito que deveria ser em local fechado. O filho de alguém que está passando na rua não precisa ver isso. Parabéns pelo novo movimento.
 
Elton Douglas em 03/05/2013 08:41:36
É ISTO MESMO CRIS STEFANNY, CONCORDO COM O COMENTÁRIO QUE FOI DITO PARA A rOSIMEIRE tAGO , EU ASSINO EM BAIXO E AFIRMO.
 
JEFFERSON DIAS em 20/04/2013 11:56:34
Gente, nossa classe lutou tanto para conquistar esse direito, não vamos deixar morrer agora eu AMOOOOOOOOO a parada Gay , não tirem isso de mim!!
 
Marco Gutierres Canuto em 19/04/2013 16:07:53
Prezada Rosemeire Tago, ai do “Glória Deus e Aleluia”, nada contra Deus eu o amo e sei o quanto ele me ama acima de tudo, mas deixe de ser demagoga e fundamentalista, pois Deus nada tem haver com suas posições de preconceitos e nem com a Parada que ambos os casos são coisas do Homem e não dele, pois dele veio a pregação do Amor, respeito e fraternidade..

Atire a primeira pedra quem nunca cometeu pecado!

Em fim, nada de se regozijar porque a Parada não vai ter, mas os protestos e as ações de combate ao fundamentalismo religioso vão.

Para sua Tristeza e para Nossa ALEGRIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA... kkkkkkkk
 
Cris Stefanny em 19/04/2013 13:47:00
É FAZER O QUE NÉ, GOSTARIAMOS QUE A PARADA DA DIVERCIDADE SEJA UMA AÇÃO DE PROTESTO CONTRA A HOMOFOBIA, MÁS COMO ACONTECEU VÃO "SUSPENDER A PARADA" AXO QUE APROVEITANDO DEVERIA SUSPENDER O NATAL TAMBÉM ! ...
 
BIANCA CORTNAY em 19/04/2013 13:04:49
Deus me livre dessa pouca vergonha...
 
Marcos Batista em 19/04/2013 12:17:30
Vejo Que Este Movimento Realmente Não é ( Nunca Foi ) Sério Pois a Maioria dos LGBTS Não Se Posicionam Para Resolver os Problemas Com a Sociedade e Sim Afronta-la Com Essa Parada Gay. Qual Sociedade Vai Querer Uma Bando de Gente Praticamente Pelada , Drogada , Toda Pintada e Com Roupas ( Se é Que Podemos Chamar Aquelas Vestimentas de Roupas ) Que Mais Parecem o Restart , Gritando e Até Fazendo Sexo Ali Mesmo na Rua ? A Comunidade LGBTS Querem Espaço e Respeitado ? Muito Bem. Estao Certissimos em Lutar e Correr Atras , Afinal , é Um Direito , Né ? Mas Pra Voces Conseguirem Seus Direitos Primeiramente Voces Tem Que Cumprir Com Seus Deveres e , Uma Coisa Eu Garanto : Afrontando a Sociedade Voces Só Tem a Perder. Somente. Sejam Inteligente. Apoio a Luta de Voces , Mas na Moral ,Sem Baixarias.
 
Gildo Oliveira em 19/04/2013 10:27:11
Que continue assim por vários longos anos.
 
Lucas Andrade em 19/04/2013 00:26:37
GLÓRIAA A DEUS.E ALELUIAA.
 
ROSIMEIRE TAGO em 18/04/2013 23:43:18
SÓ ACHO QUE A PARADA LGBT ESTÁ FUGINDO DO QUE REALMENTE DEVERIA SER,POIS NA ULTIMA QUE FUI ASSISTI LAMENTAVELMENTE MENINAS DE POUQUISSIMA IDADE SE DROGANDO,E TRAVESTI QUE DESFILAM QUASE Q TOTALMENTE PELADAS ,,,SINCERAMENTE ACHO QUE NÃO PRECISA SER ASSIM QUEM PEDE RESPEITO...TEM QUE SE DAR O RESPEITO...
 
cleide loira em 18/04/2013 23:01:45
torcida corintiana lamenta e a unica festa que nos corintianos nos reuniamos
 
paulo souza em 18/04/2013 22:29:46
Lendo alguns comentários preconceituosos eu fico pensando "o povinho q não se garante" deixem os gays serem felizes. Vamo cuidar cada um da sua vida. Eu hein.
 
Eduardo Zukerman em 18/04/2013 20:26:18
Finalmente, estava na hora de uma defesa mais política no que tange aos direitos da comunidade LGBTs, festar é muito bom, porém seus direitos e obrigações perderam a vez quando o que passou a ter mais valor foi sair na rua gritando, rindo e se "mostrando", quando na realidade o que deveria ser colocado em questão é a igualdade o real motivo da luta e o da passeata.

Acho que agora sim a comunidade LGBTs será vista com olhos diferentes não só em Campo Grande mas em todo território nacional.

E para aqueles que acham que acabou tudo agora que não tem mais festa, eu digo que então você não tem orgulho de fazer parte dessa comunidade , porque não é só dar a cara a tapa na hora da farra, GUERREIRO É AQUELE QUE COLOCA A CARA A TAPA NA HORA DA LUTA.
 
Fernanda Ribeiro em 18/04/2013 19:49:01
olha que perda de tempo ficarem discutindo isso, não é o meu caso mas quem tem preconceito tem e pronto e nunca vai deixar de ter pois são seres diferente pois para ser homem precisa de algo e para ser mulher precisa de algo então que coisa esquisita vem o preconceito!!!!!!!!!!!!
 
ilma matos em 18/04/2013 19:45:26
Não vai fazer a menor falta.
 
Valter Oliveira em 18/04/2013 19:24:30
Sábia decisão... O movimento GLBT não se restringe a um gogo-boy ou uma drag fazendo show, acredito que a maioria quer muito mais que isso, afinal todos pagam impostos e vivem em sociedade e porque não respeitar a diversidade. O movimento tem que abrir os olhos da juventude quanto a isso, se queremos respeito devemos dar o respeito.
 
Andre Aranda em 18/04/2013 19:12:08
Até que enfim uma notícia boa.. :)
 
Felipe Benites em 18/04/2013 18:20:04
O povo nem leu a noticia e ja esta se lamentando....o preguiça de ler...
 
Gardel Moura em 18/04/2013 18:13:14
A parada nunca foi e nunca será uma festa e/ou "carnaval" fora de época, discordo destas teses e destas defesas "nefastas" e sem fundamentações, pois nós que de fato fazemos o movimento LGBT queremos com as Paradas é celebrar a memória de LGBTs que foram mortos em uma guerra urbana no ano de 1969 em New York, onde policiais e militantes se enfrentaram após anos violências policias e suas repressões, sendo que muitos forma presos e mortos.

Aqui no Brasil, a cada 26/hs uma LGBT é assassinado com requinte de crueldade simplesmente por ser Lésbica, Gay, Bissexual, Travesti e/ou Transexual, a cada minuto um LGBT é insultado e violado no que tange aos seus direitos como cidadão brasileiro e mesmo assim a maioria do público não “acorda” para vida fazendo deste nosso espaço de luta, reivindicação e ação cultural como sendo apenas um ato festivo.

Quanto ao direito de liberdade de expressão, o que esta havendo é uma mania generalizada do que seria este direito, pois nunca nem já mais a liberdade de expressão pode ultrapassar os direitos fundamentais e ferir a constituição, nem muito menos ir ao contrario do que seriam os direitos coletivos, ou seja, nunca pode o direito de uns prevalecer-se como absoluto sobre os direitos de outros cidadãos, quando isto ocorre a prática é criminosa e não liberdade de expressão, não somos contra um evangélico está na Comissão de Direitos Humanos, desde que sua luta seja por direito humanos e não uma pessoa que seu histórico se contradiz com praticas de racismos, intolerância, machismo e homofobia.

Sobre a utilidade pública da ATMS – Associação das Travestis e Transexuais este ela já tem estadual e federal e nada nos tira o histórico de ações sociais e benefícios as pessoas vivendo com HIV/AIDS, acompanhamentos jurídicos e psicossociais a LGBT e seus familiares, cursos de qualificação profissional do quais filhos de evangélicos tem participado e por ai vai, então não precisamos de que os fundamentalistas da câmara de vereadores de campo grande reconheçam isto ou não, pois os méritos nos já têm em maior amplitude nacional e estadual e ninguém pode nos tirar isto, contra fatos não argumentos e contra ações não há quem nos desqualifique, pois somente os “burros” e os idiotas que não conhecem nossas ações podem falar tamanha bestialidades

 
Cris Stefanny em 18/04/2013 17:50:32
É PRA GLORIFICAR DE PÉ CAMPO GRANDE !
 
Diego Dias em 18/04/2013 16:30:17
é tão legal a parada gay lamentaaavel
 
Aline portilho gonçalves em 18/04/2013 14:09:18
Esperamos tanto tempo para conseguir nosso espaço nesta sociedade cretina, que ao meu ver a não realização da parada é prejudicial ao nosso movimeto. Que pena !!!!!
 
Paulo Sant' Anna Elkouri Mariosa do Reis em 18/04/2013 14:04:31
Pelo menos uma notícia boa.. agora só falta não reconhecer como de utilidade pública a Associação de Travestis de Mato Grosso do Sul, porque não vejo nenhuma utilidade pública e sim o interesse em angariar recurso público sabe-se lá pra que.....
 
mario panziera em 18/04/2013 14:02:33
Parada gay tem que ser festa, se é uma parada, significa que é festa... e o pastor Marco Feliciano só tem este destaque negativo todo por ser evangélico e isso também é preconceito, então quem defende o fim do preconceito e da segregação faz exatamente o mesmo... tudo que o pastor disse está baseado em estudos bíblicos, antes de os homo-ativistas saírem atirando pedras aos evangélicos deveriam estes estudar teologia, pois se defendem a liberdade de expressão, pensamento e ação, deveriam agradecer aos evangélicos por manifestarem seu pensamento com liberdade... e fica o convite que todas as correntes sociais façam o mesmo desde os gays até os neo-nazistas, se é pra ser livre e se expressar então é pra todos e não apenas pra um ou outro segmento social.
 
José Santos em 18/04/2013 13:36:42
Para a noooooooooooooossa alegria, Até que enfim tomaram ciência.
 
Nice Soares em 18/04/2013 13:26:08
Gente, eu to aqui não sei se dou risadas ou se choro com tantas desinformações, mas isto é bom!

1º - Porque não só tem corinthianos LGBTs, vi recentemente que em todas as torcidas tem LGBT, no entanto (Corinthians, Flamengo, São Paulo) são os três times com maior numero de LGBTs, mas é claro que se justificam por tem as maiores torcidas do país é obvio que quanto menos torcedores menos gays também.

2º - O evento será de formação e conscientização onde envolverá (militância, especialistas, estudantes de universidade e faculdades), bem como o próprio publico LGBT que queriam participar, haja vista que mesmo sendo LGBT irão sair do evento com outra visão de movimento de que não é somente ir às ruas para nada, mas sim replicar o que aprendeu na sua comunidade e no seu convívio social.

3º Aos que dizem que temos algo a comemorar por termos conseguido que uma Desembargadora aqui do estado igualasse a união estável aprovada pelo Supremo em casamento no civil no estado de MS, digo que nada acontece por acaso, sou defensora fidedigna do casamento igualitário as pessoas do mesmo sexo, mas antes de poder me casar, (I) eu quero ter o direito de entrar nos estabelecimentos públicos e privados sem sofrer violações de meus direitos, (II) sem ser obrigada me retirar a pedido de um segurança qualquer que venha me dizer que ali não lugar apropriado para um casal LGBT, (III) quero poder andar nas ruas sem ser apedrejada ou xingada, (IV) quero poder freqüentar uma sala de aula e ter minha identidade de gênero e minha sexualidade respeitada, (V) quero poder faze minha mudança de nome sem precisar mudar de sexo, pois a constituição diz que ninguém pode ser submetido a situação de vexame e constrangimento (VI) quero poder ter direito a um serviço digno e não somente as ruas como meios de sobrevivência, pois os mesmos que nos nega um serviço e salário digno são os mesmos que nos sustentam na prostituição para se satisfazer como mulherzinhas nas camas de motéis, o chamado Falso Moralismo, (VII) quero ter direito a uma saúde digna e segurança publica, pois a cada ida a um posto de saúde é uma situação agravante de constrangimento e a cada abordagem policia enxurradas de palavras de baixo escalões e agressões verbais, psicológica, moral e física (viii) quero poder andar tranquilamente e viver dignamente sem ter medo de amanhã ser a próxima vitima da HOMO/Transfobia e engrossar a alarmante lista de violência e assassinatos de LGBTs no Brasil e no estado de MS.

4º - Para finalizar, (I) quero dizer aos desavisados e aos que sempre criticam as nossas ações do movimento, (II) sejam eles gays ou não, façam algo pela melhoria das vidas que sofrem com a exclusão social, (III) antes de criticar some se a luta pela vida e não por orientação sexual, mas por liberdade e respeito ao ser humano, (IV) antes de criticar venha nos propor idéias e ações positivas, pois criticas vazias são sem nexo e sem noção, porque as criticas construtivas sempre vem acompanhadas de boas propostas, antes de falar o que não sabe venha também ajudar a pagar as contas que sempre fica da parada e que quase nenhum gay ajuda a apagar, pois varias ações para arrecadar fundos foram feitas apos parada e divulgada na mídia, apenas heteros e/ou simpatizantes se fizeram presente alem das travestis porque os gays e lésbicas não sabemos para onde estavam, e o engraçado que estas horas não aparecem 35 mil pessoas LGBTs.
 
Cris Stefanny em 18/04/2013 13:24:33
Mas pessol da Associação, só por curiosidade, vcs sabem que um presidente de comissão de direitos humanos apenas dirige uma assembléia né?? Não muda nada o fato de ter opinião contrária ou a favor em qualquer causa, ele estará lá para servir ao povo e ao país, ele não cria e determina as leis. Já enquanto deputado, o Feliciano foi eleito pelo povo, da mesma forma que o Jam, a Martha Suplicy e os demais. Democracia é isso mesmo. Que vcs tem que combater o preconceito, a violência e todo e qualquer tipo de discriminação isso é fato, mas o fato de ter alguém que tenha opinião contrária à causa LGBTs nos caracteriza como democracia. Que não haja ditadura Gay ou Hétero, mas sim o RESPEITO ao ser humano e à liberdade de expressão, seja ela verbal, intelectual, sexual ou filosófica !! ;)
 
Juliana Moura em 18/04/2013 12:53:21
NADA CONTRA GAY, MAS NESSE MUNDO TAMBEM TEM HOMEM, ISSO É PRECONCEITO.
 
JOSEMAR ALVES VIEIRA em 18/04/2013 12:44:27
Exijo meus direitos:
PARADA HETERO JÁ!!!!
 
José Alves em 18/04/2013 12:42:31
graça a DEUS tem mais e que acabar em todo o brasil....
 
Adelson do nascimento em 18/04/2013 12:29:08
Isso é uma forma de protesto da GAVIOES DA FIEL, pelos seu integrantes estarem presos na Bolivia, uma forma de protesto da torcida corinthiana, que estao totalmente chateados.
 
ricardo reis em 18/04/2013 12:19:01
(Continuação)
... mas exite hora e lugar para tudo. Eles tem que entender que ninguém é igual a ninguém, eu não sou obrigado a me simpatizar com eles, e assim por diante
Eu sou hétero, casado e pai de família, sigo os padrões normais da sociedade, mesmo assim eu não fico me agarrando com minha mulher em locais públicos, em respeito as outras pessoas, que não são obrigadas a verem trocas de intimidades!! se já é constrangedor ver casal hétero se pegando em público, imagina um casal gay... Como diz Silvio Luiz: O que é que eu vou dizer lá em casa( pro meu filho)??? Que é NORMAL!!!
 
adolfo xavier em 18/04/2013 12:14:47
Concordo com Romana Chamorro ...
 
SAMIRA ALVES em 18/04/2013 12:00:34
De uma coisa eu concordo, essa parada gay não acrescenta nada a Campo Grande!!! Graças a Deus não vai haver essa baixaria esse ano na Capital.
Se eles querem se reunir, que façam em local fechado, para evitar que famílias vejam aquilo que acontece nesses eventos!! Ano passado eu tive a infelicidade de estar no centro da cidade bem na hora que passou a carreata!!!Muita falta de respeito com quem não e simpatizante e é obrigado a ver cenas deploráveis em plenas luz do dia!! Vi varias mães com seus filhos sem jeito e com vergonha por suas crianças terem visto aquilo, eles querem esfregar na sua cara a orientação sexual deles, que a gente engula isso como se foce normal. Não tenho preconceito, tenho amigos gay, quem não tem!...
 
adolfo xavier em 18/04/2013 11:57:42
Nao é Bem Assim Dayene Cristine. Eles Estao Corretos Em Lutar Por Epaço na Sociedade , Com Respeito e Dignidade. Nao Apoio a Forma Que Estava Acontecendo Essa Luta , Com Aqueles Pessoas na Farra , Com Muita Baderna. A Decisão de Acabar Com a Parada Foi Acertadissima. Debater e Buscar Soluções Para os Problemas no Dialogo e com Parcerias Fortes é o Caminho.
 
Gildo Oliveira em 18/04/2013 11:39:06
Não concordo. No ano em que Mato Grosso do Sul institucionalizou o casamento gay, não tem o que comemorar??? E mais: o objetivo da parada não é comemorar. É tornar visível uma minoria, reivindicar respeito, etc. Uma lástima!!!
 
Anita Ramos em 18/04/2013 11:32:26
Curintianûs chateados com a notícia......Pavilhão Nove #CHATIADO
 
Gustavo Soberano em 18/04/2013 10:51:55
Ainda bem...
 
Carla Ferreira em 18/04/2013 10:47:22
Engraçado nossos cidadãos!!! Não importa se vc é hetero, gay, homo, poli, seja lá o que for...ou também se vc é laranja , roxo, ou azul não importa sua cor. Apenas quero lembrar que vc não tem Saúde, Educação, Segurança, Transporte, paga os maiores juros bancários do mundo, compra os carros de pior qualidade a preço de ouro, e ainda não tem ruas e nem estradas decentes para rodar. Mas cada um briga pelo que acha importante!!!!
Precisamos rever nossas prioridades, nos tornamos uma nação sem ideais, sem bons exemplos, sem caráter, e perdemos a capacidade de nos indignarmos diante dos fatos. O caso do Feliciano foi usado pela Mídia, apenas para encobrir a entrada dos mensaleiros condenados na CCJ do Senado (a comissão mais importante da casa), no entanto ninguém protestou... Pobre Brasil.
 
Eduardo de Almeida em 18/04/2013 10:40:28
Meu Deus tantas coisas pra si preucupar e o povo fica perdendo tempo com a parada Gay,si vai ter ou não, sendo que os postos de saúde super lotados por falta de atendimento,é esse país em vez de melhorar so tende a piorar
 
Dayene cristine em 18/04/2013 10:19:56
Que pena.... pois a Pavilhão 9 já estava com o bloco pronto!! as fantasias estavam maravilhosas!! #chateado
 
Carlos M Garcia em 18/04/2013 10:11:16
Mas é louvável mesmo a ideia, a iniciativa de mudar o foco do evento, pois o aproveitamento social e para o público LGBT será muito mais notável. Conscientização é fundamental para todo movimento e este é, de verdade, um ótimo caminho.
:)
 
Mirian Costa em 18/04/2013 10:08:29
Gostaria de expressar minha opinião sobre isso e acho que todos têm o que comemorar sim, porque vivemos em uma democracia na qual deve existir espaço para divergência e, nela, todos se constituírem.
O fato de Joelma, Feliciano e outros pensarem diferente é um direito que lhes assiste, assim como os que são LGBT têm o direito de ser como são. Democracia é feita no respeito ao direito de ser diferente. Se Feliciano, Cris, Dilma, Jean ou seja quem for não representa a todos, ÓTIMO ASSIM, porque significa que na presença de um divergente, a democracia se faz existir.
SE uma pessoa representasse a todos, SE não houvesse divergência ou não pudesse existir, aí sim eu me sentaria e não comemoraria, aí sim me desesperaria, porque estaríamos deixando de ser livres. Ou virando Cuba.
 
Mirian Costa em 18/04/2013 10:06:15
Ok... mas afinal, quais são os problemas enfrentados pela comunidade LGBTs?? Preconceito?? Ok... aí haverá palestra contra o preconceito, mas quem vai nessa palestra no mínimo é simpatizante. Ou seja, não tem preconceito.
Não consegui entender de fato qual a finalidade do evento. Standes voltados para saúde, com informação e distribuição de material deve ser feito para TODOS. Em alguns momentos eu acho que os próprios gays gostam de ser "separados".
Mas pelo menos em uma coisa eu concordo: aquela baderna chamada "Parada Gay" não vai fazer nenhuma falta.
E eu concordo também com o Paulo Ramos. Tem coisa bem mais importante para ser discutida. O Feliciano é o deputado menos nocivo para nossa nação, é uma pena que muitos pensem somente na "sua causa".
 
Camila Frota em 18/04/2013 09:43:44
Corretissima Essa Atitude. Atuando Com palestras, discussões de políticas públicas e debates acerca dos problemas enfrentados pela comunidade LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Simpatizantes) Obterão Sucesso na Luta da Igualdade Que Tanto Buscam. Agora , da Forma Que Estavam Buscando Essa Igualdade , Com Farras , Nudes e Sexo em Publico , Só Iriam Aumentar a Revolta das Pessoas. Eu Apoio Essa Luta , Mas Com Seriedade.
 
Ana Luiza em 18/04/2013 08:44:23
É simples de explicar, quanto mais proibido mais chama atenção e atrai curiosidade. Ninguém cheira o dedão duas vezes, mesmo sabendo que está fedendo, uma vez só já satisfaz. As passeatas de SP já tiveram quase 3 milhões, a ulltima não tinha 1 milhão de pessoas.
 
luiz alves em 18/04/2013 08:31:26
Concordo plenamente com a reformulação.
Não que seja desagradável a festa,pelo contrário adoro ver. Mas a conscientização,sensibilização e tomada de atitude é bem restrita.Sem contar que no meio desses 30 a 35 mil pessoas,existem pessoas do interior,que em sua cidade em vez de divulgar a causa, recrimina por temer a critica,que é grande.
Sou hétero,mãe de 2 crianças,um casal. E quero que meus filhos cresçam respeitando o ser humano,independente de sua 'cor',religião e orientação sexual.
Os críticos/homofóbicos dizem que como explicarei aos meus filhos 2 homens se beijando...
A pergunta na verdade deveria ser: Como explicarei fome,violência,desamor ,maus tratos a fauna/flora...enfim existem coisas bem maiores para eu me preocupar do que o AMOR alheio.
Parabéns pela iniciativa,estarei lá...
 
Ramona Chamorro em 18/04/2013 08:30:30
PARADA GAY NÃO ACRESCENTA NADA PARA A CIDADE.
 
GIlberto Torres em 18/04/2013 08:25:16
Realmente, como disse o Julio Cesar na matéria, o movimento vai perder muito em visibilidade. Nesse momento que passamos, seria essencial mostrar o tamanho da comunidade lgbt de campo grande, gritar fora feliciano, bolsanaro, etc. Acredito que pelo menos a passeata (sem show, trio elétrico, apenas o ato político) deveria ser mantida, juntamente com as ações de conscientização que serão propostas. Mas vamos torcer para que a mudança seja positiva e que mais pessoas se conscientizem. Parabéns às lideranças e ao movimento.
 
Arthur Rimbaud em 18/04/2013 08:16:31
Ainda bem que não teremos esse evento,o Brasil tem problemas mais sérios a serem discutidos.Saude,Segurança e Educação são alguns deles.
 
Paulo Ramos em 18/04/2013 08:09:16
Na verdade tomaram a decisão após saberem que coincidiria a data com o jogo do São Paulo, provavelmente um ou outro evento sairia prejudicado.
 
Juliano Andrade em 18/04/2013 08:06:15
Pessoa consciente e madura sobre politica social e humanitaria, parabéns Cris.
A parada Gay em São Paulo virou festa de farofa da Rede Globo e desde quando essa emissora discute politica pública.
Te apoio
 
Ciro Ferreira em 18/04/2013 07:49:35
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.