A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

02/04/2015 09:38

A educação e a celebração da páscoa na atualidade

Por Ana Paula Detzel (*)

A Celebração da Páscoa nos dias atuais, nos permite refletir sobre o real significado desta data e dos valores necessários para a vivência da fé dentro de uma sociedade contemporânea. Com o desenvolvimento da tecnologia, nos deparamos com uma complexa constituição social e cultural, onde as relações se constroem muitas vezes, embebidas em um mundo eletrônico e virtual.

Neste sentido o que significa celebrar a Páscoa nos dias de hoje? Quais valores passamos aos nossos jovens e crianças imersos nos reflexos de uma sociedade capitalista, em que os meios de comunicação e propaganda, impregnam como foco principal, o consumismo exacerbado? Em uma sociedade em que o homem é escravizado pela razão, pelas descobertas da ciência, pela tecnologia e pelo consumismo, onde a cultura contemporânea atribui o abandono a possibilidade da transcendência, se faz necessário refletirmos sobre o significado da Páscoa como uma data festiva em que nos é dada a oportunidade de repensarmos as nossas ações e torná-las concretas, educando nossos jovens pelo e para o diálogo, os vínculos afetivos e os valores da vida em comunidade.

As crianças, desde muito cedo são colocadas frente a um mundo de possibilidades de compras e de consumo, onde “o ter” ocupa um espaço das relações e das vivências. Em contrapartida ao desejo das crianças, os pais buscam promover a felicidade de seus filhos atendendo seus desejos de consumo e, com a intenção de que atravessem a infância e à adolescência com o mínimo de dor e sem esforço, perdem-se sem saber o que fazer e como agir. Ações estas entre adultos e pequenos que promovem, não de maneira intencional, o individualismo e a autonomia.

Em um período em que crianças estão em pleno desenvolvimento de formação de caráter e de identidade enquanto pessoas, as ações por parte dos adultos devem ser de construção pragmática, contraria a vaidades que a vida em sociedade podem apresentar como atraentes e determinadoras de relações.

Celebrar a Páscoa nos dias de hoje, significa recuperar os valores perdidos, os vínculos de solidariedade e humanidade, longe do jogo do consumo, onde os ovos, presentes e chocolates sejam trocados sim entre as pessoas, mas carregados de vivências de partilha entre adultos e crianças, meninos e meninas, professores e educandos, avós e netos.

Dialogar com nossas crianças se faz necessário. Tornar as confraternizações do domingo de Páscoa momentos de celebração de vida, permitindo-nos o exercício da fé, independente da crença religiosa, mas a fé em uma sociedade de valores concretos, justos e solidários é o desafio de nossa sociedade.

(*) Ana Paula Detzel, coordenadora da educação infantil e 1º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Marista Santa Maria, da Rede de Colégios do Grupo Marista.

Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
A Ciência e o desenvolvimento: o óbvio que deve ser lembrado
Um país só se desenvolve se tiver ciência sólida que se transforme em tecnologia empregada pelo setor produtivo. Isso tem sido sobejamente demonstrad...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions