A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

21/09/2017 14:01

A importância da atividade física na adolescência

Por Honorio Petersen Hungria Junior (*)

A ciência tem mostrado, há anos, que a prática de atividade física regular é garantia de saúde e, quando praticada desde cedo pelos jovens, pode otimizar o desenvolvimento tanto físico como cognitivo, contribuindo tanto para um crescimento saudável, como nos resultados de aprendizagem. Em outras palavras, a manutenção da saúde e a prevenção de doenças têm como fator primordial o uso do movimento, através da prática de atividade física que contribui no desenvolvimento de adolescentes e jovens.

As atividades físicas dividem-se em várias categorias e, entre elas, os esportes são os que mais atraem os jovens para a prática. Esportes coletivos como o futsal, basquetebol, voleibol e handebol, os individuais como o atletismo e as ginásticas, as lutas como o judô e capoeira e as danças, são exemplos de esportes que este público pode praticar.

Na sociedade organizada, a escola é o primeiro lugar que se pode oferecer às crianças e aos jovens a prática do movimento. Este contato se dá nas aulas de Educação Física e nas atividades extracurriculares. Neste sentido, o estímulo aos jovens para a pratica de atividade física deve ser regra entre pais, mães e professores, garantindo a motivação necessária. Uma vez motivados, os jovens terão condições de se relacionar exercícios físicos e esportes em suas vidas.

No âmbito familiar, pais e responsáveis podem incentivar seus filhos por meio do exemplo, como praticantes de alguma modalidade esportiva, ou adotando hábitos esportivos como a corrida, musculação ou ginástica em academias. A procura por escolas que ofereçam atividades extracurriculares também é fator de motivação para que os jovens se aproximem dos esportes.

O professor de Educação Física, nesse contexto, deve se posicionar como elemento que integra e promove a prática da atividade física entre os jovens, seja no ambiente escolar ou em clubes e associações. É o professor desta área que traduz o conhecimento científico e acadêmico na teoria e prática da atividade física e do esporte, visando a promoção da saúde.

Atualmente a tecnologia de comunicação e informação, oferece o conforto que muitas vezes facilita a nossa vida e trabalho, com a redução do esforço corporal ou manual. Este excesso de conforto, que reduz a quantidade de movimento corporal, pode mitigar o interesse do jovem pela atividade física.

Cabe às pessoas que se apropriam do conhecimento tecnológico e da saúde, a responsabilidade pela divulgação, promoção e prescrição das atividades físicas e esportivas, e aos jovens, cabe a prática regular em sua rotina, enquanto estudantes. Uma vez estabelecida a sinergia entre educadores e pais, direcionadas a jovens e alunos para a prática de atividades físicas, garantem-se as premissas para o desenvolvimento físico, cognitivo e de aprendizagem escolar.

Honorio Petersen Hungria Junior é supervisor de atividades complementares no Colégio Marista Santa Maria, do Grupo Marista.

ICMS e agrotóxicos: um exemplo de lucidez em meio ao caos
O amplo conjunto de ações impostas em 2019 por governantes brasileiros no sentido de fragilizar a proteção ao meio ambiente não tem paralelo na histó...
Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions