A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Junho de 2018

21/09/2017 14:01

A importância da atividade física na adolescência

Por Honorio Petersen Hungria Junior (*)

A ciência tem mostrado, há anos, que a prática de atividade física regular é garantia de saúde e, quando praticada desde cedo pelos jovens, pode otimizar o desenvolvimento tanto físico como cognitivo, contribuindo tanto para um crescimento saudável, como nos resultados de aprendizagem. Em outras palavras, a manutenção da saúde e a prevenção de doenças têm como fator primordial o uso do movimento, através da prática de atividade física que contribui no desenvolvimento de adolescentes e jovens.

As atividades físicas dividem-se em várias categorias e, entre elas, os esportes são os que mais atraem os jovens para a prática. Esportes coletivos como o futsal, basquetebol, voleibol e handebol, os individuais como o atletismo e as ginásticas, as lutas como o judô e capoeira e as danças, são exemplos de esportes que este público pode praticar.

Na sociedade organizada, a escola é o primeiro lugar que se pode oferecer às crianças e aos jovens a prática do movimento. Este contato se dá nas aulas de Educação Física e nas atividades extracurriculares. Neste sentido, o estímulo aos jovens para a pratica de atividade física deve ser regra entre pais, mães e professores, garantindo a motivação necessária. Uma vez motivados, os jovens terão condições de se relacionar exercícios físicos e esportes em suas vidas.

No âmbito familiar, pais e responsáveis podem incentivar seus filhos por meio do exemplo, como praticantes de alguma modalidade esportiva, ou adotando hábitos esportivos como a corrida, musculação ou ginástica em academias. A procura por escolas que ofereçam atividades extracurriculares também é fator de motivação para que os jovens se aproximem dos esportes.

O professor de Educação Física, nesse contexto, deve se posicionar como elemento que integra e promove a prática da atividade física entre os jovens, seja no ambiente escolar ou em clubes e associações. É o professor desta área que traduz o conhecimento científico e acadêmico na teoria e prática da atividade física e do esporte, visando a promoção da saúde.

Atualmente a tecnologia de comunicação e informação, oferece o conforto que muitas vezes facilita a nossa vida e trabalho, com a redução do esforço corporal ou manual. Este excesso de conforto, que reduz a quantidade de movimento corporal, pode mitigar o interesse do jovem pela atividade física.

Cabe às pessoas que se apropriam do conhecimento tecnológico e da saúde, a responsabilidade pela divulgação, promoção e prescrição das atividades físicas e esportivas, e aos jovens, cabe a prática regular em sua rotina, enquanto estudantes. Uma vez estabelecida a sinergia entre educadores e pais, direcionadas a jovens e alunos para a prática de atividades físicas, garantem-se as premissas para o desenvolvimento físico, cognitivo e de aprendizagem escolar.

Honorio Petersen Hungria Junior é supervisor de atividades complementares no Colégio Marista Santa Maria, do Grupo Marista.

Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...
Uma nobre atitude de cidadania e espiritualidade
A solidariedade é intrínseca à condição humana, um dever moral que vai além da dimensão religiosa, pois todos somos gregários e frágeis. A bondade é ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions