A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 24 de Março de 2017

13/05/2015 12:43

Alta do dólar impulsiona turismo nacional

Por Henrique Mol (*)

A crescente alta do dólar pegou muita gente de surpresa, principalmente quem planejava viajar neste ano para o exterior. Entretanto, apesar da inflação e da variação do câmbio serem grandes vilãs do mercado de turismo em 2015, os brasileiros não estão assustados e continuam querendo viajar. Principalmente porque o calendário está repleto de feriados que podem ser emendados, e ninguém quer perder oportunidade de descansar. Porém, os turistas brasileiros estão agindo com mais cautela e fazendo algumas alterações nos passeios.

A primeira mudança foi na escolha por destinos nacionais, ao invés de internacionais. Diferente de anos atrás - que dependendo do roteiro escolhido, viajar para o exterior poderia ser mais barato do que ficar no país - as viagens pelo Brasil estão saindo bem mais em conta, e os turistas perceberam isso. De acordo com pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo, sete dos dez destinos mais procurados no início de 2015 são em território tupiniquim. As cidades litorâneas lideram a lista, que tem Rio (RJ), Natal (RN), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC) e Porto de Galinhas (PE). Gramado (RS) fecha o ranking.

Viajar pelo Brasil pode ser uma grande aventura. A Encontre Sua Viagem tem ótimas opções, que agrada a todos os gostos: turismo de aventura; cultural; ecoturismo; eventos e negócios; religioso; náutico e de lazer, seja em uma de nossas belíssimas praias ou em cidades serranas.

Alguns destinos da América do Sul também estão entre os mais procurados. Buenos Aires é o principal, já que o peso ainda é desvalorizado, em relação ao real. Cidades da Colômbia, Chile e Uruguai também estão na mira dos brasileiros.

Outra alternativa encontrada foi diminuir os dias de viagem e, até mesmo mudar as datas. Os pacotes de sete dias estão sendo substituídos por de quatro dias. Além disso, viajar durante a baixa temporada pode sair muito mais em conta! Como a demanda é menor, muitos hotéis fazem promoções. As companhias aéreas também têm oferecido bons descontos, com o intuito de garantir mais assentos ocupados e evitar prejuízos. Em alguns casos, a redução de preço pode chegar a 50%.

Algumas pessoas também estão diminuindo o valor gasto durante a viagem, trocando passeios pagos por opções gratuitas; comendo em restaurantes mais econômicos e diminuindo na quantidade de presentes. Minha dica é visitar blogs de turismo, como o Blog da Encontre Sua Viagem (http://blog.encontresuaviagem.com.br/). Lá é possível encontrar muitas informações sobre o destino, hotéis e dicas do que visitar e onde fazer as refeições.

Se por um lado a alta do dólar pode prejudicar quem quer sair do Brasil, por outro, pode atrair turistas estrangeiros que desejam conhecer o país. Isso porque argentinos, chilenos e uruguaios também sentem o aumento da moeda americana e, com isso, o real se torna um ótima opção.

Para quem quer ir para o exterior, aconselho a planejar com antecedência a viagem. É possível conseguir preços mais baixos em hotéis e voos, além de poder parcelar e, quem sabe até terminar de pagar o passeio antes da data de embarque. Sem contar que é necessário providenciar passaporte e visto, dependendo de qual destino escolher. Outra dica é comprar as moedas aos poucos, já que o câmbio é flutuante. Por fim, evite viajar durante alta temporada. A regra de preços, que comentei anteriormente, serve em qualquer lugar do mundo.

Se planejada com antecedência, sua viagem pode sair mais barata e sem nenhum percalço. Converse com seu agente de viagem. Ele pode te ajudar a resolver muitas questões.

(*) Henrique Mol é especialista em turismo e sócio-fundador da Encontre Sua Viagem, franquia de turismo.

Operação Carne Fraca: importância da fiscalização
“Quanto menos as pessoas souberem como são feitas as leis e as salsichas melhor elas dormirão” (Otto Von Bismarck -1815-1898). Esta frase famosa de B...
O custo da violência no trânsito brasileiro
A imprudência no trânsito mata cerca de 45 mil pessoas por ano no Brasil e deixa aproximadamente 600 mil com sequelas permanentes, conforme aponta o ...
A carne é fraca
A operação deflagrada pela Polícia Federal conhecida como “carne fraca”, trouxe à tona, mais uma vez, escândalos que abalam a confiança nos produtos ...
A diferença entre a vida e a morte na BR-163 em MS
Em casos de acidente com trauma, a diferença entre a vida e a morte pode estar na rapidez do atendimento às vítimas e na eficácia dos procedimentos d...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions