A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

14/08/2014 20:05

Áreas de alta vulnerabilidade social merecem mais atenção

* Luiz Gonzaga Bertelli

Áreas de alta vulnerabilidade social, as periferias das grandes cidades merecem mais atenção. Lá está concentrado grande número de jovens que buscam a inserção ao mercado de trabalho, mas encontram dificuldades, pela baixa escolaridade e falta de qualificação. Uma política de assistência social eficiente deveria olhar para essas áreas e estimular a atuação de entidades do Terceiro Setor que buscam facilitar o ingresso desses jovens no mundo do trabalho, diminuindo as estatísticas que apontam para o crescimento da geração nem-nem, que nem estuda nem trabalha.

Com 50 anos de experiência na inclusão de jovens no mercado de trabalho, o CIEE é uma entidade filantrópica de assistência social preocupada com essas questões. Uma prova disso é a iniciativa da instalação de cursinhos pré-vestibulares gratuitos no extremo da zona leste de São Paulo, ¬nos bairros de Artur Alvim, Ermelino Matarazzo, Itaquera, Jardim Helena e no município de Itaquaquecetuba. Resultado da parceria do CIEE com a Paróquia de São Francisco, CPV vestibulares e entidades locais, os cursinhos surgiram para garantir o acesso à faculdade e escolas técnicas de jovens de regiões carentes que, geralmente, não têm condições financeiras de arcar com os custos dos pré-vestibulares que existem no mercado.

Como um verdadeiro oásis do conhecimento, os cursinhos permitem que seus alunos trilhem um novo caminho para um futuro melhor. Com dedicação aos estudos, muitos deles estão atingindo seus objetivos, que antes da instalação dos cursinhos gratuitos, não passavam de um sonho distante: chegar à faculdade pública e às principais escolas técnicas de São Paulo. Em 2013, cerca de 150 jovens foram aprovados nos exames vestibulares e, neste ano, esperamos aumentar ainda mais as estatísticas.

Com uma formação sólida e a oportunidade de desenvolver-se também na prática da profissão por meio do estágio ou aprendizagem, o jovem tem facilitada sua inserção no mercado de trabalho, onde poderá desempenhar suas funções com mais qualidade e afinco. Um caminho aberto para trilhar o sucesso profissional. Ganham, assim, o jovem e sua família, as empresas, a comunidade e o país.

* Luiz Gonzaga Bertelli é presidente executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Brasil potência no mundo da ciência: entre o intelectual e o manicomial
Não se pode dizer ao certo se por conta de uma "cultura da avaliação" – seja lá o que isso signifique – ou se por um instinto de vaidade, quando são ...
O círculo de todos nós
São inúmeros os estudos que tratam da distinção entre o público e o privado. No entanto, estamos vivendo um novo momento da humanidade em que essa fr...
O Segredo da Juventude
Quem quer ser jovem? Sabe-se que as pessoas buscam a cada dia uma supra valorização da aparência, principalmente nos dias atuais. A cantora Madonna (...
O papel da escola na integração da pessoa com deficiência
Para que a pessoa com deficiência aprenda, ela precisa ser integrada ao meio e ao convívio social. E a escola tem um papel fundamental nessa integraç...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions