A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

18/05/2018 08:32

Exercícios físicos, as dores e o frio

Por Fábio Akiyama (*)

Juntamente com o inverno, vem o ventinho frio, chuva fina e aquela preguiça. A partir daí, forma-se um cenário perfeito para se entregar às cobertas a cada momento livre. Mesmo que isso seja uma delícia, pode pôr em risco o seu organismo. Por isso, o ideal é se movimentar sempre, inclusive nesses meses.

Os exercícios devem ser mantido em todas as estação do ano. A atividade física é importantíssima para diversos sistemas do nosso corpo e uma manutenção sadia é vital, principalmente durante a época de baixas temperaturas, em que aumentam a rigidez muscular favorecendo assim com que as dores se acentuem.

Geralmente, esses desconfortos voltam a se manifestar em épocas secas com força total, porque a temperatura ambiente é inferior à do nosso corpo e isso pode gerar uma diferença de pressão em relação as articulações. Por exemplo a rigidez muscular. Se os tecidos forem devidamente irrigados, que é o que ocorre durante um treino, isso não ocorre. Por isso a importância do exercício que garante a mobilidade do corpo.

Caso o incomodo persista, mesmo em se mantendo a rotina de exercícios, significa que o corpo, de fato, não está bem. A princípio relevamos uma dor quando ela não é limitante, e isso pode ser perigoso uma vez que uma coisa pode levar a outra, podendo então se tornar algo crônico se continuar a forçar. Devemos ter bom senso quando estamos diante deste quadro, e sempre seguir as orientações de profissionais.

Quando uma dor não é tratada, ela pode se tornar algo crônico, o que demanda um tratamento longo e complexo. Mas se o acompanhando começar logo, as chances de sucesso são maiores.

A microfisioterapia procura a causa dessa dor crônica em todo o organismo. O especialista busca o tecido que está em desequilíbrio gerando esse sintoma. Depois disso, a técnica é bem eficaz por atuar de forma diferente de outras técnicas porque o seu tratamento consiste em não apenas "apagar o fogo" na região dolorida.

Vale lembrar que a atividade física assim como tudo que é referente a nossa saúde, deve se manter uma rotina e uma frequência. Esse hábito não pode ser comprometido, caso contrário, tudo o que você trabalhou e se superou no verão vem por agua baixo.

(*) Fábio Akiyama Atua na área da saúde desde 2009. É fisioterapeuta e trabalha com a microfisioterapia, terapia que estimula a auto cura através do toque, ou seja, faz com que o corpo reconheça seu agressor e inicie o processo de reprogramação celular. É pós-graduando em técnicas osteopáticas e terapia manual, além da formação em osteopatia visceral, posturologia clinica e equilíbrio neuro muscular. Possui curso na área de tratamento da articulação temporomandibular (ATM) e introdução ao Método Rosen. 

As mulheres e Einstein
Fato incomum: 1.900 mulheres discutindo agronegócio, de questões mercadológicas a tendências de tecnologia, sustentabilidade, gestão, diplomacia ambi...
A humanidade e o poder
Para enfrentar a limitação de recursos da natureza, os humanos têm que superar o egoísmo e encarar a vida com seriedade e solidariedade, estabelecend...
Diálogo de surdos
Imaginem a cena: um professor que repete, repete, repete, sempre da mesma forma, um mesmo conteúdo, em diversas classes, imaginando ter feito a parte...
Eu, professor
Comecei a dar aulas aos 18 anos. Meus alunos, em um supletivo de bairro, eram todos mais velhos que eu. Senti ali, pela primeira vez, a urgência do c...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions