A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

08/03/2016 16:07

Horas decisivas

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Na tormenta. É exatamente como o mundo está vivendo agora. O grande problema da humanidade se resume ao fato de que enquanto não encarar a realidade espiritual e a transitoriedade da vida, sempre haverá toupeiras que querem tirar proveito de tudo para si, em qualquer que seja o sistema econômico.

Com o avanço da tecnologia do dinheiro e a ausência de alvos elevados, criou-se um sistema em que o dinheiro se sobrepõe a tudo o mais, gerando tormentas e perversos mecanismos que atingem pesadamente a humanidade em sua indolência. Acumular riqueza tem a sua importância, mas também pesa muito na balança do poder; no entanto, ao ser guindada como prioridade maior, acabou gerando um mundo inóspito e desumano, onde a vida perdeu seu significado e valor.

Tudo que está acontecendo é consequência da política ou da economia? Houve falta de percepção sobre o que aconteceria no futuro quando a China passou a exportar produtos baratos. O pêndulo da economia foi para o lado dela, desarrumando o restante. A economia deveria ser mantida em equilíbrio entre os povos, entre produção e comércio.

Financistas não atentaram para isso. Como resultado, temos o grande acúmulo de dinheiro e de dívidas, inviabilização da indústria, desemprego, salários desanimadores, baixo consumo. E não é fácil sair disso sem ampliar os desequilíbrios. O Brasil se encostou no artifício cambial, mas não consolidou a estabilidade monetária. O resultado está aí: com o realismo do câmbio, as fragilidades apareceram. A política deixou de ser exercida por estadistas atentos e responsáveis para não gerar problemas futuros.

A vida econômica tem se baseado no artificialismo geral e no imediatismo de políticos e empresas, visando ganhos no curto prazo, quando, ao contrário, deveria seguir seu curso em liberdade, pois no longo prazo a interferência governamental acaba sendo nociva. É preciso haver um consenso entre governo, empresas e população para que se estabeleça um objetivo factível com a participação de todos. Com o despreparo e indolência da população, ela passa a ser manipulada para atender interesses e se deixa levar.

Os políticos olham para a próxima eleição, as empresas para o lucro imediato, as pessoas se deixam enganar, esquecendo que o progresso é fruto do trabalho persistente. 

Tudo fugiu da naturalidade. Aí fica difícil para os economistas explicarem por que tudo perde a consistência e tende ao desmoronamento. Os humanos deveriam conviver em paz e progresso, cumprindo sua tarefa de valorizar a vida e melhorar as condições gerais no planeta e a qualidade humana. Em vez disso, querem ser donos e ficam brigando para ver quem manda mais.

O colonialismo criou o ambiente propício aos caudilhos que foram ao encontro dos anseios da população explorada, mas em vez de agir com sincera vontade de ajudar, deram espaço ao desejo de sobressair e dominar. Enfrentamos tantos problemas surgidos como consequência da forma irresponsável de agir das pessoas, mas tudo é varrido para debaixo do tapete, prevalecendo os interesses particulares.

Evo Morales cansou seus eleitores, enquanto nos EUA desponta Trump, enigmático. O que virá para o mundo? Há uma carência de líderes estadistas voltados para o progresso humano, comandantes aptos a enfrentar as horas decisivas da tormenta que se intensifica pelo mundo.

(*) Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP e associado ao Rotary Club de São Paulo; realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida.

Antônio Baiano – Um Gigante
Roseli Marla, minha cunhada querida, neste momento de profunda tristeza que todos estamos vivendo com a morte prematura do nosso querido Antônio Baia...
Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions