A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017

30/10/2016 08:34

Mulheres na política

Por Odilon de Oliveira (*)

O machismo de país em desenvolvimento ainda impera no Brasil, embora a Constituição Federal proclame a igualdade de todos, sem distinção de qualquer espécie. Foi exatamente essa discriminação que levou à edição da Lei n.° 12.034/2009, garantindo à mulher uma cota mínima na vida política. A participação da mulher, como candidata, varia entre 30 e 70% do número total de pretendentes.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, em 2008, de um total de 330.600 candidatos a vereador, 72.476 eram do sexo feminino, correspondendo a 22%. Foram eleitas 6.504, ou seja, 12,5% do total de vereadores do Brasil. Em 2012, candidataram-se ao cargo de vereador 419.633 pessoas, dentre elas 133.868 mulheres ou 32% do total de candidatos. Foram eleitas 7.648 mulheres (13,3% do total de eleitos).

Dos 715 vereadores eleitos em 2008, nas 26 capitais, apenas 93 (13%) eram mulheres. Em 2012, esse número subiu para 104 mulheres ou 13% do total de 805 vereadores dos dois sexos.

A discriminação contra a mulher ocorre em todos os setores, inclusive no lar. A violência doméstica é crescente. Dos 60.000 assassinatos anuais, no Brasil, 12.000 das vítimas são mulheres, o que corresponde a 33 mortes por dia.

Em 83 países, em 2015, a média de assassinatos de mulheres correspondeu a 2 mortes por grupo de 100.000 mulheres. No Brasil, essa média é de quase 5 vítimas femininas por grupo de 100.000 mulheres. Um absurdo. Em torno de 30% dessas mortes, os assassinos são os maridos ou ex-maridos.

O contingente de mulheres eleitas tem que se equiparar aos homens. Ninguém melhor do que elas para a criação de mecanismos de proteção da família, de onde todos viemos, e da sociedade. Tem que ser uma luta igual.

(*) Odilon de Oliveira é juiz federal

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions