A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Novembro de 2018

01/09/2011 06:03

Qual a esperança que te motiva?

Por Silas Fauzi (*)

Estive participando, no final desta semana, dia 27 de agosto, da abertura do Encontro Regional (MS) da Pastoral da Juventude, a famosa PJ.

Apesar de já ter passado há algum tempo da idade de militar nessa pastoral, estive lá como convidado para compor a mesa de abertura e falar um pouco sobre a minha experiência no período de militância, nos início dos anos noventa.

Olhando para os jovens de hoje, pude perceber que estamos vivendo um novo momento para a reorganização dos movimentos que sempre se articularam em torno de um objetivo concreto, embora, às vezes utópico, mas não deixava de ser alcançável. A frase do profeta Raul Seixas, “sonho que se sonha junto é realidade”, nos imbuia de que nossos sonhos eram possíveis.

Durante a mística de abertura do encontro, os jovens eram levados a refletir sobre qual a esperança que os motiva? Essa deve ser a pergunta a ser feita a todos os jovens nos dias de hoje! Creio que será muito difícil encontrar um jovem que dê a resposta.

Se encontrarmos, a resposta será sempre no campo pessoal e específico, como: passar no Enem, passar num concurso público, ter um carro ou qualquer coisa desse tipo. Talvez, encontraremos uma resposta no campo coletivo e social, tipo: lutar por um mundo melhor, onde não haja ganância, onde as pessoas se respeitem, onde prevaleça a solidariedade, etc.

É bem verdade que os tempo de militância são outros. Tudo muda. O mundo muda. Já dizia o filósofo grego Heráclito que a água que passa debaixo da ponte nunca é a mesma. A militância e mobilização se fazem hoje pelas redes sociais.

Não há aquela motivação de ir para as ruas, levantar bandeiras, pichar muros com palavras de ordem. Hoje a revolta acontece no mundo virtual a partir das quatro paredes do nosso quarto, de onde podemos dizer o que pensamos e para quem quisermos e, o que é melhor, sem ter que se expor.

Dos jovens que lutavam contra a ditadura militar nos anos sessenta, que aderiam as lutas dos movimentos sindicais nos anos setenta, que aderiam os movimentos sociais nos anos oitenta e que pintavam a cara nos anos noventa, só nos sobrou aqueles que hoje vão à rua lutar pela legalização da maconha. Longe de mim querer ser moralista, mas qual é a esperança que nos motiva mesmo?

(*) Silas Fauzi é professor e militante de movimentos sociais. (www.silasfauzi.blogspot.com)

O espaço do negro no mercado de trabalho
É comum as pessoas usarem a seguinte frase: “somos todos iguais e todos temos as mesmas oportunidades.” Depende de como e de que lado você está fazen...
Lina Tâmega Peixoto: uma grande escritora da literatura brasileira
Historicamente, as mulheres presentes na literatura brasileira sempre contribuíram enormemente para a cultura do país. Uma delas é Lina Tâmega Peixot...
Por que o Brasil não está caminhando para a expansão da Internet?
A privatização do Sistema Telebrás, em 1998, foi o embrião para as empresas investirem na universalização das redes de telecomunicação, tornando-se u...
Triste boa notícia
A leitura é um dos maiores prazeres da vida. Mergulhar fundo no mar de palavras de belezas naturais, que ficam maravilhosas quando juntadas com maest...


BOM CARO COLEGA SAO DUAS AS MOTIVAÇOES QUE ME MOVEM PRIMEIRO E ME TORNAR UM FEDERAL E SEGUNDO E CHEVAR PARA MINHA MELHOR AMIGA EDIVANIA E DIZER O POUCO QUE TU ME DESTES E O MUITO QUE TE DOU HOJE SAIBA QUE SEU ALUNO DO CURSINHO DE ESPANHOL ALEM DE TERGANHADO UMA BOLSA DO PROUNI PASSAOU NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA E EM DOIS CONCURSO PUBLICOS ENTAO OLHARIA PARA ELA E VERIA UM SORRISO DE QUEM DIZ CUMPRI COM MEU DEVER TENHO UM ALUNO QUE LUTA CONTRA BIPOLARIDADE E GRADUADO E CONCURSADO POI SAIBA QUERIDO ESCRITOR O QUE ME MOTIVA E VER O SORRISO ESTAMPADO NO ROSTO DA MULHER QUE EU AMOR MINHA MOTIVAÇAO E VE LA FELIZ
 
HEBERTON BARRERO em 01/09/2011 12:18:20
Concordo com seu artigo silas, vejo hoje com muita preocupação o futuro das proximas gerações, porque hoje a família estas se definhando, o respeito entre pais e filhos hoje é coisa rara, mas como pai e avô que graças a Deus tenho a benção divina de ter um bom relacionamento e grande respeito familiar, deixo aqui um apelo a nossa juventude que seus verdadeiros amigos são sua familia, um pai ou uma mãe por mais rude que seja sempre é o melhor amigo e conselheiro, que muitas vezes a pessoa quando descobre isso já é muito tarde porque o bom amigo e bom conselheiro já foi embora do seu convivio.
 
porfirio vilela em 01/09/2011 10:34:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions