A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Junho de 2017

01/09/2011 06:03

Qual a esperança que te motiva?

Por Silas Fauzi (*)

Estive participando, no final desta semana, dia 27 de agosto, da abertura do Encontro Regional (MS) da Pastoral da Juventude, a famosa PJ.

Apesar de já ter passado há algum tempo da idade de militar nessa pastoral, estive lá como convidado para compor a mesa de abertura e falar um pouco sobre a minha experiência no período de militância, nos início dos anos noventa.

Olhando para os jovens de hoje, pude perceber que estamos vivendo um novo momento para a reorganização dos movimentos que sempre se articularam em torno de um objetivo concreto, embora, às vezes utópico, mas não deixava de ser alcançável. A frase do profeta Raul Seixas, “sonho que se sonha junto é realidade”, nos imbuia de que nossos sonhos eram possíveis.

Durante a mística de abertura do encontro, os jovens eram levados a refletir sobre qual a esperança que os motiva? Essa deve ser a pergunta a ser feita a todos os jovens nos dias de hoje! Creio que será muito difícil encontrar um jovem que dê a resposta.

Se encontrarmos, a resposta será sempre no campo pessoal e específico, como: passar no Enem, passar num concurso público, ter um carro ou qualquer coisa desse tipo. Talvez, encontraremos uma resposta no campo coletivo e social, tipo: lutar por um mundo melhor, onde não haja ganância, onde as pessoas se respeitem, onde prevaleça a solidariedade, etc.

É bem verdade que os tempo de militância são outros. Tudo muda. O mundo muda. Já dizia o filósofo grego Heráclito que a água que passa debaixo da ponte nunca é a mesma. A militância e mobilização se fazem hoje pelas redes sociais.

Não há aquela motivação de ir para as ruas, levantar bandeiras, pichar muros com palavras de ordem. Hoje a revolta acontece no mundo virtual a partir das quatro paredes do nosso quarto, de onde podemos dizer o que pensamos e para quem quisermos e, o que é melhor, sem ter que se expor.

Dos jovens que lutavam contra a ditadura militar nos anos sessenta, que aderiam as lutas dos movimentos sindicais nos anos setenta, que aderiam os movimentos sociais nos anos oitenta e que pintavam a cara nos anos noventa, só nos sobrou aqueles que hoje vão à rua lutar pela legalização da maconha. Longe de mim querer ser moralista, mas qual é a esperança que nos motiva mesmo?

(*) Silas Fauzi é professor e militante de movimentos sociais. (www.silasfauzi.blogspot.com)

Metodologias ativas: a escola atenta a seu tempo!
Não faltam indicadores educacionais para avaliar a qualidade da educação nos âmbitos nacional e internacional. E os resultados não têm sido positivos...
Como empresários e autônomos garantirão futuro com as mudanças previdenciárias
Ter condições de se aposentar se tornou algo mais complicado no Brasil. As reformas propostas, a condição econômica em que o país se encontra, tudo i...
República da delação
O Brasil está se transformando na República da Delação. Os delatores são considerados salvadores da Pátria. Recebem homenagem de tribunais e de casas...
Cidadãos globais ou do cosmos
Vivemos na época do abuso do poder por homens que se julgam acima de tudo e de todos, impondo sua vontade de forma tirânica. Não querem assumir a res...



BOM CARO COLEGA SAO DUAS AS MOTIVAÇOES QUE ME MOVEM PRIMEIRO E ME TORNAR UM FEDERAL E SEGUNDO E CHEVAR PARA MINHA MELHOR AMIGA EDIVANIA E DIZER O POUCO QUE TU ME DESTES E O MUITO QUE TE DOU HOJE SAIBA QUE SEU ALUNO DO CURSINHO DE ESPANHOL ALEM DE TERGANHADO UMA BOLSA DO PROUNI PASSAOU NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA BAHIA E EM DOIS CONCURSO PUBLICOS ENTAO OLHARIA PARA ELA E VERIA UM SORRISO DE QUEM DIZ CUMPRI COM MEU DEVER TENHO UM ALUNO QUE LUTA CONTRA BIPOLARIDADE E GRADUADO E CONCURSADO POI SAIBA QUERIDO ESCRITOR O QUE ME MOTIVA E VER O SORRISO ESTAMPADO NO ROSTO DA MULHER QUE EU AMOR MINHA MOTIVAÇAO E VE LA FELIZ
 
HEBERTON BARRERO em 01/09/2011 12:18:20
Concordo com seu artigo silas, vejo hoje com muita preocupação o futuro das proximas gerações, porque hoje a família estas se definhando, o respeito entre pais e filhos hoje é coisa rara, mas como pai e avô que graças a Deus tenho a benção divina de ter um bom relacionamento e grande respeito familiar, deixo aqui um apelo a nossa juventude que seus verdadeiros amigos são sua familia, um pai ou uma mãe por mais rude que seja sempre é o melhor amigo e conselheiro, que muitas vezes a pessoa quando descobre isso já é muito tarde porque o bom amigo e bom conselheiro já foi embora do seu convivio.
 
porfirio vilela em 01/09/2011 10:34:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions