A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

14/01/2011 11:50

Quando a chuva passar

Por Rosildo Barcellos (*)

Quando a chuva passar

Quando o tempo abrir

Abra a janela e veja eu sou o sol

Eu sou céu e mar

Eu sou céu e fim

E o meu amor é imensidão...

A composição de Ramon Cruz, vai além de uma simples canção de amor eternizada nas vozes de Ivete Sangalo e de Paula Fernandes. Ela nos faz pensar nos grandes problemas que nos atacam com cada vez mais voracidade no mês de janeiro e por conseguinte antecipa um alerta para que todos os motoristas tenham cuidado na hora da chuva.

A primeira regra é levar o carro para um lugar seguro assim que perceber o começo da tempestade. Se a chuva já estiver em andamento, o jeito é procurar um local mais alto para deixar o veículo até que a situação melhore. Em alagamentos, o limite para trafegar com segurança é quando o nível da água estiver chegando à metade da roda. Mais do que isso, não arrisque. Ligue sempre os faróis, mesmo que seja durante o dia.

O início da chuva é o momento mais crítico. Seja uma simples garoa, seja um temporal, ela pode surpreender o motorista. A pista, assim que recebe o início da água da chuva, transforma-se em uma espécie de armadilha, graças à perigosa mistura de água, resíduos de óleo, combustível e sujeira. Esta mistura gera um líquido extremamente escorregadio, que compromete em muito a aderência dos pneus ao solo,principalmente nas rodovias.

Também ocorre o choque térmico. Quando bate nos vidros quentes do carro, a água fria da chuva forma o chamado embaço que é perigoso, pois prejudica a visibilidade do motorista. Mesmo com os pneus e freios em bom estado a frenagem na chuva deve ser suave e progressiva. Assim, quando frear não pressione bruscamente o pedal, mas pise suavemente.

Acione sem demora o limpador de pára-brisa e o sistema de ventilação (para desembaçar os vidros). Se for atravessar poças, procure pontos de referência como outros carros e postes. Mantenha a primeira marcha em velocidade constante.

Se o carro morrer, empurre-o para um local alto e seco,se possível e não tente dar a partida novamente - se o carro tem seguropode haver uma dificuldade no recebimento justamente por esse "agravamento de risco".

Depois de atravessar uma poça grande, ande em velocidade reduzida e pise algumas vezes de leve no freio para secar as lonas traseiras (conforme o caso). Outra questão importante são os pneumáticos...observe se estão em condições. É só observar uma marca TWI ela indica se já esta na hora de trocar; em algumas fábricas essa marca é um pequeno triangulo, que faz um ressalto. abaixo disso é temeroso andar na chuva com esse pneu.

Um outro grande perigo nos dias de chuva é o calço hidráulico, que danifica o motor e provoca prejuízos. Ele acontece quando a água passa pelo filtro de ar e chega ao cilindro. Evite o problema conhecendo a altura do coletor de ar em relação ao chão. Depois da chuva, na hora da limpeza, deixe o carro aberto, pegando sol.

Para completar a faxina, procure um lava-a-jato e limpe o carro por dentro e por fora. Se for impossível não esperar porque já está na água e se você perceber que o escapamento está submerso (o som muda, fica parecendo som de bolhas; jamais desacelere. Se tiver que parar o veículo pise na embreagem, tire a marcha (coloque em ponto morto) e freie com cuidado (com o pé esquerdo). Tudo isso você deverá fazer o veículo acelerado. Aguarde, sempre acelerando, o volume de água abaixar (o som de bolhas pára e volta o som normal do escapamento volta), a priori,naquele momento, é a única forma de proteger o motor.

Saia com condições de chuva forte se realmente for necessário, se puder adiar, retardar ou postergar...faça-o.Sabemos que depois da chuva forte é que as preocupações aumentam.Nas áreas de risco, depois que água escoa é o momento de limpar o estrago que a chuva causou e ver o que foi perdido.

No dia seguinte ao caos, é fácil também encontrar na cidade oficinas cheias e muito barro nas pistas que ficaram alagadas. O prejuízo para quem passa pelos pontos de alagamentos é alto e a insistência em atravessar a pista tomada pela água pode custar mais caro do que muitos imaginam. Esteja sempre atento aos alertas da Defesa Civil.

(*) Rosildo Barcellos é articulista e professor da UCDC.

Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...


Quero aproveitar que li estes depoimentos e acrescentar o meu.Fui aluna do mestre Barcellos e posso assegurar que nunca mais fui a mesma.Primeiro que cada aula era uma palestra e ele parece que captava nossos problemas e dizia o assunto e exemplificava com aquilo que voce estava pensando no momento.É incrível. Obrigada professor,nunca pare de escrever e de nos orientar e aonde estiver saiba que eu aprendi contigo muito e procuro honrar tudo o que me ensinou e aviso que tem muito mais gente nesse Brasil afora com o mesmo sentimento que eu.Sua vida é voltada para o ensino e a dedicação ao próximo.Obrigada por permitir lhe conhecer e existir em nossas vidas.Mesmo aqui em outro país ouço sua voz conduzindo muitas de minhas atitudes.
 
Lummy Mayana em 22/01/2011 12:42:04
MUITO BOA A MATERIA, SO ESQUECEU DOS ITEMS DE SUGURANÇA (INDISPENSAVEIS) TAIS COMO: CORDA BASICA DE 20 MTS COM GANCHO NAS PONTAS. E UM BOTE INFLAVEL NO PORTA MALAS com motor eletrico -pode usar a bateria do veiculo que ficara preso no poste- I BOA SORTE.........
 
Paulo Duraes em 14/01/2011 12:27:56
Gostaria de parabenizar o Prof. Barcellos pelo artigo e, dizer da necessidade de conteúdos significativos como estes, serem divulgados em contextos diversos e concomitantemente ,abrirmos espaços para aprendizagem e discussões rotineiras, contínuas, pois somente assim, conseguiremos uma cultura de cuidados e conscientização em relação aos fatos que aparentemente ,são insignificantes,mas que na realidade custa vidas.
 
Nosimar Ferreira em 14/01/2011 11:46:04
Artigo impecável. Sou de Aracaju/SE e há tempos acompanho o que o Prof. Rosildo Barcellos escreve. Sei que é uma das maiores autoridades no quesito: Trânsito; do Centro Oeste e sempre busco tudo o que ele escreve e republico por aqui.Mas a opinião do Sr Paulo Durães é a azeitona que faltava nos excelentes e úteis comentários mencionados no texto.Parabéns ao campograndenews por ter esse ícone como articulista.
 
Daniela Flores em 14/01/2011 07:52:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions