A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

29/09/2012 08:57

Corte o sal

Por João Brainer Clares de Andrade (*)

No final do último semestre, o Governo Federal decidiu acelerar a expansão de vagas em cursos de Medicina por todo o País. Em feito inicial, foram credenciadas mais de duas mil vagas distribuídas por instituições públicas e privadas.

Vale destaque ainda que há anos já há uma expansão pública de vagas a futuros médicos, a despeito do crescente volume de iatrogenias e do mau desempenho de muitas instituições por todo o país.

A justificativa é coerente, mas há erro na solução: interiorizar os profissionais médicos e duplicar a proporção que hoje há quanto à população brasileira. O erro, no entanto, é claro: o crescimento tem obedecido a um ritmo caótico, pouco planejado. Crê-se que a mera oferta de profissionais ao mercado salvará as vidas que se perdem pela falta de estrutura e assistência, em todos os níveis. Parece, assim, ser mais barato: um falso alívio na consciência alheia...

A expansão de vagas é regida por um projeto incoerente: unidades formadoras mal avaliadas ou que não atendem a uma estrutura elementar ganham crédito para formar médicos, que labutam na mais extensa graduação ofertada no País e ainda demandam, na grande maioria das vezes, de formação especializada que pode requerer até mais seis anos.

Assim, a despeito da intenção dos entes públicos, é preciso expandir com responsabilidade, articulando melhorias de estrutura, assistência e gestão. Isoladamente, ofertar mais médicos, abdicando de olhos rígidos sobre a formação, é avolumar um problema, é atentar contra a saúde de milhares de inocentes.

As medidas que beiram a irresponsabilidade, quando há claro pacto de entidades públicas, ratificam famosa e repugnante frase já proferida por políticos no Estado, em que médicos são comparados ao sal: brancos, baratos e de fácil acesso... Agora, em tom ainda pior, parecem acrescer novo predicativo: médicos vindos de tal expansão condenável serão tão danosos quanto o sal...

()João Brainer Clares de Andrade

Antônio Baiano – Um Gigante
Roseli Marla, minha cunhada querida, neste momento de profunda tristeza que todos estamos vivendo com a morte prematura do nosso querido Antônio Baia...
Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions