ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Adolescente de 15 anos morre de covid na Capital

Como não tinha comorbidades, Secretaria de Saúde investiga se paciente desenvolveu síndrome rara associada à doença

Por Ângela Kempfer | 21/10/2020 10:47
Profissionais paramentados para atendimento a vítimas da covid. (Foto: Marcos Maluf)
Profissionais paramentados para atendimento a vítimas da covid. (Foto: Marcos Maluf)

Adolescente de 15 anos morreu em decorrência da covid-19 em Campo Grande, foi a vítima mais jovem da doença em Mato Grosso do Sul. Nunca uma adolescente havia entrado na estatística de óbitos no Estado.

A menina vivia no Jardim Morenão, teve os sintomas agravados no dia 19 de outubro, foi internada e  faleceu ontem. É a 652ª morte na Capital.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que investiga a possibilidade da paciente ter desenvolvido uma síndrome rara associada à covid, porque a família não relatou qualquer comorbidade associada.

Até setembro,  174 casos e 12 óbitos foram confirmados no País  da  "Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica". Depois da fase aguda da covid, os pacientes apresentaram sintomas como manchas pelo corpo, olhos vermelhos, barriga inchada e febre.

"Além da covid, estamos investigando se ela desenvolveu a síndrome que algumas crianças e jovens estão desenvolvendo. Depois de toda essa investigação, vamos falar desse caso. Mas é um aviso importante a todos os nossos jovens, principalmente, aqueles que teimam em dizer que são mais fortes que a doença", comentou o secretário Geraldo Rezende.

Boletim atualizado - Nesta quarta, são 6 mortes a mais no boletim epidemiológico da SES, com 1.518 no total, e acréscimo de 417 testes positivos somando 78.360 casos confirmados até agora.

Por outro lado, Mato Grosso do Sul apresenta hoje a menor taxa de contágio dos últimos 3 meses, com índice de 0,93. A média móvel de mortes é de 7,7 ao dia e 399 contaminados a cada 24 horas.

Também caiu bastante a quantidade de pessoas internadas. São 327 pessoas em leitos hospitalares, 166 pessoas em UTIs. No auge da pandemia, eram mais de 550 internados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI é maior na Macrorregião de Campo Grande, com 70%.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário