ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Apesar de supermercados racionarem, produtores garantem que não vai faltar arroz

MP autoriza a Conab a importar até 1 milhão de tonela de arroz para evitar eventual falta nos mercados

Por Fernanda Palheta | 10/05/2024 15:15
Cartazes nas prateleiras de mercados de Campo Grande informam limitação de compra de pacote de arroz (Foto: Geniffer Valeriano)
Cartazes nas prateleiras de mercados de Campo Grande informam limitação de compra de pacote de arroz (Foto: Geniffer Valeriano)

Apesar da limitação de compra de saco de arroz nos supermercados de Campo Grande desde ontem (9), a Federarroz (Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul) e ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) garantem que não há risco de desabastecimento do grão no Brasil.

O Rio Grande do Sul é responsável por 70% da produção nacional, mas a Federarroz aponta que 83% da safra já foi colhida. A entidade ainda afirma que o produto colhido apresenta “boa qualidade e produtividade, o que garante o abastecimento dos brasileiros”.

“Embora tenhamos este grande problema com relação à colheita do que falta, nós temos plenas condições de afirmar que nós não temos problemas com relação ao abastecimento do mercado interno”, disse o presidente da entidade, Alexandre Velho.

Segundo ele, há um “problema momentâneo de logística”, principalmente na ligação com o interior do estado, mas a ligação com os grandes centros, por meio da BR-101, está normal.

Já a ABRAS informou estar normalizado o abastecimento no varejo. A entidade recomenda, aos consumidores, que não façam estoques em casa para que todos tenham acesso contínuo ao produto.

Em nota, a AMAS (Associação Sul-mato-grossense de Supermercados) reforça que não há risco de desabastecimento de produtos vindos do Rio Grande do Sul, entre eles o arroz.

A entidade sul-mato-grossense explica que para não deixar faltar produtos até a reposição, os principais atacadistas não estão vendendo em grandes volumes para os comerciantes. E, pontualmente, alguns estabelecimentos menores podem estar limitando a venda ao consumidor, como forma de precaução para que o produto não falte.

Importação - Nesta sexta-feira (10), o Governo Federal publicou, no Diário Oficial da União, medida provisória que autoriza a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) a importar até 1 milhão de toneladas de arroz beneficiado ou em casca, por meio de leilões públicos, para recompor os estoques públicos. O objetivo é evitar eventual falta nos mercados diante do aumento da procura pelo produto, por consumidores preocupados em estocar arroz.

De acordo com o MP, os estoques terão, como destino preferencial, pequenos varejistas das regiões metropolitanas, “dispensada a utilização de leilões em bolsas de mercadorias ou licitação pública para venda direta”. A expectativa é de que, na primeira etapa, sejam compradas 200 mil toneladas de arroz, que devem ser importados dos países vizinhos do Mercosul, como Argentina, Uruguai e Paraguai, e eventualmente da Bolívia.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias