ACOMPANHE-NOS    
JULHO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Com bandeira cinza, Capital recebe do governo recomendação para "fechar tudo"

Campo Grande não tinha essa classificação desde 17 de dezembro do ano passado

Por Guilherme Correia | 18/03/2021 12:00
Mapa de Mato Grosso do Sul com as cores de cada classificação feita pelo governo (Foto: Reprodução/Governo estadual)
Mapa de Mato Grosso do Sul com as cores de cada classificação feita pelo governo (Foto: Reprodução/Governo estadual)

Mais da metade (44) dos municípios de Mato Grosso do Sul receberam bandeira vermelha no Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), indicando risco alto da covid-19, e Campo Grande é a única que ganhou bandeira cinza - risco extremo.

A Capital não tinha essa classificação desde 17 de dezembro, no segundo ápice da pandemia no Estado. É importante ressaltar que decreto publicado no final de dezembro confere caráter de "obrigatoriedade" para que as prefeituras sigam à risca o que o programa recomenda.

De acordo com o governo, a classificação cinza preconiza que não sejam realizados eventos culturais, esportivos e de lazer, celebrações, velórios, capacitações presenciais, nem abertura de bibliotecas e museus, teatros, cinemas, parques públicos, feiras de negócios e práticas esportivas coletivas.

Outras atividades também estariam proibidas, como academias, clubes, turismo, boliche, sinuca e jogos eletrônicos, visitações turísticas, culturais e esportivas, cabeleireiro, barbearia e áreas comuns de condomínios.

Estariam permitidas apenas atividades como assistência à saúde, somente urgência e emergência, fisioterapêuticos, e terapeutas ocupacionais; assistência social e vulneráveis; transporte e entrega de cargas; transporte coletivo intermunicipal; transporte coletivo de passageiros, por táxi ou aplicativo; coleta de lixo; serviços funerários; centrais de abastecimentos de alimentos; construção civil; aulas presenciais, entre outros.

Classificação - Na semana passada, o governo estadual havia colocado 31 cidades em bandeira vermelha - ou seja, houve aumento de 13 lugares em condições mais críticas. Veja tabela com cada um:

ClassificaçãoMunicípio(s)
Bandeira cinza (risco extremo)Campo Grande
Bandeira vermelha (risco alto)Amambai, Anaurilândia, Aparecida do Taboado, Aquidauana, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Cassilândia, Chapadão do Sul, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Deodápolis, Dois Irmãos do Buriti, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Figueirão, Guia Lopes da Laguna, Itaporã, Itaquiraí, Japorã, Jardim, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Paraíso das Águas, Paranaíba, Pedro Gomes, Ponta Porã, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Rio Negro, Rochedo, Santa Rita do Pardo, São Gabriel do Oeste, Selvíria, Sidrolândia, Tacuru, Taquarussu, Terenos e Três Lagoas.
Bandeira laranja (risco médio)Água Clara, Alcinópolis, Anastácio, Angélica, Antônio João, Bandeirantes, Bataguassu, Bataiporã, Bodoquena, Bonito, Brasilândia, Caarapó, Camapuã, Corguinho, Coronel Sapucaia, Douradina, Glória de Dourados, Iguatemi, Inocência, Ivinhema, Jaraguari, Ladário, Miranda, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Paranhos, Rio Brilhante, Rio Verde, Sete Quedas, Sonora e Vicentina.
Bandeira amarela (risco tolerável)Jateí e Novo Horizonte do Sul
Bandeira verde (risco baixo)Nenhum

Ao todo, 39 municípios não perderam nem ganharam posições, enquanto 29 pioraram e apenas 11 melhoraram. Entre os que "progrediram" estão Bonito, Antônio João, Caarapó, Camapuã, Coronel Sapucaia, Jateí, Paranhos, Sonora, Angélica, Glória de Dourados e Iguatemi.

Metodologia - Conforme o governo estadual, as bandeiras são definidas com base em indicadores como disponibilidade de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), quantidade de equipamentos de proteção individual, contato com casos confirmados, redução da mortalidade em relação a covid-19, disponibilidade de testes, redução de novos casos, ocorrências da doença entre profissionais de saúde e incidência do vírus na população indígena, além de outros fatores.

O programa foi criado para avaliar e classificar os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta, como forma de padronizar tomadas de decisão por parte dos gestores municipais.

Mato Grosso do Sul acumula 198,7 mil casos de coronavírus e mais de 3,7 mil mortes pela doença desde o início da pandemia, há 12 meses atrás.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário