ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Com redução pelo 5º dia consecutivo, MS registra maior queda em mortes por covid

Média móvel atingiu ápice em agosto, e com redução significativa, Estado entra na classificação "azul" de queda no mapa nacional

Por Guilherme Correia | 23/09/2020 10:51
Coletas para exames de covid-19 sendo realizados em unidade de drive-thru na Capital (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Coletas para exames de covid-19 sendo realizados em unidade de drive-thru na Capital (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

Mato Grosso do Sul registrou a maior queda na média móvel de mortes diárias pela covid-19 desde o início da pandemia. A taxa, que atingiu o ápice em 28 de agosto com 18,14 falecimentos, atualmente está em 11,71, com decréscimo significativo se comparado aos últimos 14 dias.

Pelo 5º dia consecutivo, esse índice cai no Estado, o que tira MS da classificação nacional "amarela", que indicava estabilidade, e coloca na azul, apontando queda nos números do coronavírus pela segunda vez neste mês. Em 11 de setembro, outra redução considerável já havia colocado MS em classificação positiva.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Nesta quarta-feira (23), o Estado registra 13 mortes em Mato Grosso do Sul, com total 1.204 óbitos. O estado teve mais 652 infectados desde ontem. Em Campo Grande, são outra 6 vítimas fatais, com 511 sepultamentos até agora.

Outra redução foi em casos ativos. O Estado já teve mais de 7 mil pessoas com sintomas ao mesmo tempo e hoje são 6.001.

A taxa de contágio, no entanto, voltou a subir levemente, de 1.04 para 1.05. No dia 20 de setembro esse índice havia caído para 1.01. A letalidade também segue inalterada, em 1,8%.

Também houve um acréscimo na ocupação de UTIs. Campo Grande segue com 74% dos leitos ocupados, mas Corumbá atinge 85% de lotação.

Números móveis - Na última sexta-feira (18), por exemplo, a média de mortes se aproximava de 16,14 óbitos diários no Estado, e desde então vem reduzindo constantemente. Antes disso, se comparado com duas semanas atrás, a taxa também era maior do que a atual - eram 14 mortes por dia.

Segundo a SES  (Secretaria Estadual de Saúde) , a inconstância ocorre devido a atrasos no repasse de dados sobre a covid-19 partindo das secretarias municipais de municípios.

Abaixo, a linha mais clara indica os registros diários, que oscilam mais. A linha escura indica a média móvel.


Nos siga no Google Notícias
Confira a Galeria de Imagens:
Regras de comentário