A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

23/07/2019 16:10

Consulta faz TJ autorizar adoção de sobrenome por cônjuge em união estável

Decisão atendeu a consulta de homem que pleiteou oficializar relacionamento de 9 anos com companheiro e será seguida em todo o MS

Humberto Marques
Com decisão do TJ, declarações de união estável emitidas nos cartórios do Estado poderão incluir nomes de cônjuges. (Foto: TJMS/Divulgação)Com decisão do TJ, declarações de união estável emitidas nos cartórios do Estado poderão incluir nomes de cônjuges. (Foto: TJMS/Divulgação)

Decisão da Corregedoria-Geral de Justiça do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) garante que todos os cartórios extrajudiciais do Estado devem permitir a inserção do sobrenome do cônjuge nas declarações de união estável. Assinada pelo corregedor-geral, o desembargador Sérgio Fernandes Martins, ela atende a consulta feita por um homem que desejava oficializar a união de 9 anos com o companheiro.

“Com muita alegria recebo a resposta. Não esperava outro posicionamento do Poder Judiciário deste Estado. Parabéns ao TJMS por seu posicionamento em defesa dos direitos fundamentais do cidadão”, afirmou Fabiano Diniz de Queiroz à assessoria do TJ, ao comentar o resultado de seu pedido.

Em 7 de dezembro de 2018, ele e o companheiro formalizaram a união estável por meio de declaração no 7º Ofício de Campo Grande. Ao lavrar o ato, foram questionados se tinham a intenção de adotar o nome de família. Fabiano, então, aceitou. Porém, por não se tratar de um ato judicial e não resultar na emissão de certidão de casamento, ele deveria solicitar a averbação da alteração do registro no local onde foi registrado seu nascimento –no 2º Ofício de Paranaíba (a 422 km de Campo Grande).

Este cartório, porém, informou que o procedimento não seria possível porque a Corregedoria-Geral de Justiça não permitia tal ato de forma extrajudicial –levando à consulta ao órgão do TJ, primeiro, via Ouvidoria, questionando o fato de ter pago um ato extrajudicial que não teria efetividade sem a devida alteração do sobrenome.

Fabiano se antecipou ao rejeitar que a negativa da unidade em Paranaíba se deveu ao fato de o pedido envolver uma união homoafetiva, mas sim porque não era providenciada em nenhuma união estável.

“Fiz a reclamação em janeiro e fui informado de todo andamento. No início de junho saiu a decisão. Foi muito mais rápido que o cartório. Eu havia ajuizado ação para fazer o pedido judicialmente e, quando saiu a decisão da Corregedoria, desisti da ação”, explicou, dizendo-se, ainda, aliviado com o resultado final. “Uma coisa tão básica estava sendo tão complicada. Eu realmente me senti protegido, essa é a palavra. O ideal seria que não fosse necessária intervenção do Poder Judiciário, mas ainda bem que o TJMS está atento a essas questões. Confesso que fiquei emocionado e não sou muito disso”.

A decisão que permitiu o acréscimo do patronímico (o nome de família) reforçou que a Constituição reconhece a união estável como entidade familiar, incentivando sua conversão em casamento. Além disso, frisou que o Código Civil de 2002 trata especificamente sobre o tema e que a lei federal 6.057/1973 já previa a alteração por sentença judicial.

“O Superior Tribunal de Justiça, ao julgar um Recurso Especial, reconheceu a possibilidade de adoção do sobrenome dentro de uma união estável, em aplicação analógica das disposições constantes no Código Civil, quando dispõe que qualquer dos nubentes, querendo, poderá acrescer ao seu o sobrenome do outro”, pontuou o desembargador Martins, para quem, a partir da manifestação do STJ, não há obstáculo para a adoção do sobrenome de um companheiro em casos de união estável –criando assim jurisprudência sobre o tema no Estado, isto é, devendo ser seguido por todos os cartórios extrajudiciais.

Igualdade de direitos em inventário para pessoas que convivem em união estável
Em decisão proferida em novembro de 2018, o STF, a mais alta corte do Poder Judiciário brasileiro, conclui o julgamento de uma das questões mais intr...
De acordo com STF, união estável e casamento serão iguais para herança
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por sete votos a três, que a união estável e o casamento possuem o mesmo valor jurídico em termos de direit...
STF decide que união estável e casamento são iguais para herança
O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (10), por 7 votos a 3, que a união estável e o casamento possuem o mesmo valor jurídico em ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions