ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 30º

Cidades

Cortejo em homenagem a prefeito percorrerá 9 Km entre Pedro Juan e Ponta Porã

A primeira parada será na Rádio La Voz del Amambay, onde trabalhou como diretor artístico

Por Lucia Morel | 22/05/2022 10:57
Prefeito está sendo velado no Paço Municipal de Pedro Juan. (Foto: Rádio Amambay)
Prefeito está sendo velado no Paço Municipal de Pedro Juan. (Foto: Rádio Amambay)

Cortejo para sepultamento do prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo vai percorrer 9 Km entre a cidade paraguaia e a brasileira de Ponta Porã. A morte cerebral foi constatada ontem e hoje, a procissão começa por volta das 14h, no Paço Municipal de Pedro Juan, de onde sairá rumo aos demais locais.

A primeira parada do cortejo será na Rádio La Voz del Amambay, onde trabalhou como diretor artístico. A iniciativa é para que ele receba a homenagem dos funcionários e ex-colegas de trabalho. De lá, o corpo segue para a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Pedro Juan, onde haverá celebração.

Em seguida a procissão vai rumo ao Cemitério Cristo Rei, também em Ponta Porã, onde será enterrado no jazigo da família, ao lado do pai, Don Florencio Acevedo e seu irmão, Roberto Ramón Acevedo.

Atentado - A Polícia Nacional e o Ministério Público tem quatro suspeitos de participação direta no atentado contra o prefeito. Na tarde de terça-feira (17), Acevedo saía de uma reunião com vereadores na sede da Câmara Municipal, localizada em frente ao Palácio da Justiça, quando foi atacado a tiros por pistoleiros em um carro branco.

Pelo menos 11 tiros de pistola foram disparados. O prefeito foi atingido por sete tiros, dois deles no pescoço. O automóvel utilizado pelos pistoleiros foi encontrado, logo depois ao ataque, destruído pelo fogo.

Reeleito em outubro do ano passado, José Carlos Acevedo é filiado ao Partido Liberal. Poucos dias antes da eleição de outubro, ele causou polêmica ao chutar o corpo de um traficante, vítima da chacina com quatro mortes, ocorrida em frente a um centro de eventos de Pedro Juan. Entre os mortos, estava a sobrinha dele, filha do governador Ronald Acevedo.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também