ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Polícia tem quatro suspeitos por atentado contra prefeito da fronteira

Promotor e chefe da polícia disseram que mandados de prisão estão sendo preparados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 20/05/2022 15:38
Policiais vigiam porta em corredor de hospital onde prefeito está internado (Foto: La Nación)
Policiais vigiam porta em corredor de hospital onde prefeito está internado (Foto: La Nación)

A Polícia Nacional e o Ministério Público tem quatro suspeitos de participação direta no atentado contra o prefeito de Pedro Juan Caballero José Carlos Acevedo Quevedo, 51. Ferido com sete tiros na tarde de terça-feira (17), ele permanece internado em estado crítico. Se sobreviver, terá sequelas graves, segundo os médicos.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (20), o promotor de Justiça José Luis Torres e o comissário César Silguero informaram que quatro mandados de prisão estão sendo preparados para serem cumpridos nas próximas horas.

Segundo o promotor, as buscas feitas nos últimos dias em endereços da capital Asunción e de Pedro Juan Caballero estão surtindo resultados. A principal pista dos investigadores é a pistola Glock calibre 9 milímetros, usada por um dos pistoleiros.

A arma era registrada e pertencia ao narcotraficante Fernando Javier Lezcano Giménez, o “Gordo”, assassinado a tiros em Pedro Juan Caballero em 16 de dezembro de 2017.

Fernando estava com a pistola no dia em que foi morto. A arma foi apreendida e depois do processo teria sido devolvida para a mulher dele, Mirta Raquel López. Ela foi presa ontem. A advogada de Mirta, Liz López Peña, cuja residência foi alvo de buscas hoje, disse que a pistola nunca foi devolvida para sua ex-cliente.

Entretanto, o ex-promotor de Justiça Álvaro Rojas, afirmou nesta sexta que a arma foi, sim, entregue para a viúva de Fernando Giménez.

“Uma vez esgotadas todas as diligências, a Promotoria, a meu cargo, resolveu devolver a arma. A senhora Mirta López se apresentou acompanhada de advogados e retirou a arma, a Promotoria tem todos os documentos”, afirmou Rojas.

A mesma pistola Clock foi usada no ano passado em confronto entre seguranças de uma fazenda e colonos na zona rural de Iturbe, a 471 km de Pedro Juan Caballero. A balística comprovou que o tiro que acertou o trabalhador rural naquele confronto saiu da mesma arma usada para tentar matar o prefeito.

Nos siga no Google Notícias